Avançar para o conteúdo principal

VIANA | Antigo Edifício da Quimigal vai conhecer um novo destino


No seu lugar vão ser construídos 22 apartamentos de luxo, num edifício composto por cave, rés do chão e dois andares.
Ainda no passado dia 21 de fevereiro tinha referido (ver AQUI) a situação em que se encontrava este antigo armazém, em pleno coração da cidade.

 “Edifício em Viana do Castelo devoluto há 30 anos vai ser habitação de luxo 
O antigo armazém da Quimigal Adubos, um edifício devoluto e abandonado há mais de três décadas na frente ribeirinha de Viana do Castelo, vai ser demolido e transformado em habitação de luxo, divulgou hoje o promotor da obra. 
"A reabilitação desta zona nobre da cidade vai ser o maior investimento da última década, no setor imobiliário, em Viana do Castelo", afirmou hoje à agência Lusa, Fernando Peixoto. 
O imóvel, antigo armazém da Quimigal Adubos, em avançado estado de degradação, está situado junto à antiga doca comercial onde está atracado o navio museu Gil Eannes. Para aquela zona está ainda prevista a construção de uma marina atlântica que sirva navios de cruzeiro. 
"No futuro, será uma grande valorização para o empreendimento porque, nessa altura, esta zona da cidade será uma das portas de entrada mais importantes da cidade, com a chegada dos grandes veleiros vindos de toda a Europa", afirmou o empresário. 
Mais do que o investimento na aquisição do imóvel e no projeto de transformação em habitação, Fernando Peixoto, de 50 anos, um dos dois sócios do projeto Reabilitar Viana, "prefere" destacar "a paixão pela cidade e pela valorizarão do património da cidade". 
"O valor final global deste projeto envolve alguns milhões de euros. É um empreendimento virado para as famílias, para fixar famílias no centro da cidade", destacou. 
O edifício foi adquirido "há cerca de duas semanas, sendo que as obras deverão começar ainda este ano". 
"O projeto está em fase de conclusão. Está a ser feito com todo o cuidado. Dentro de duas semanas deverá dar entrada na câmara o pedido de licenciamento e esperamos, ainda este ano, iniciar a demolição, para iniciar a empreitada". 
Construído de raiz, o empreendimento vai ocupar uma área de 5.550 metros quadrados, com cave, rés do chão e dois andares, num total de 22 apartamentos. 
"Em forma de 'U' o edifício vai nascer totalmente virado para o mar e terá, a meio, uma praça verde, aberta à comunidade. 
O projeto do arquiteto Fernando Jorge vai ser apresentado à cidade, em breve", adiantou. 
Criado, em 2016, o projeto Reabilitar Viana "começou com um apartamento e tem, atualmente, quer em fase de projeto ou já em reabilitação, cerca de 100 apartamentos situados em prédios antigos de várias ruas do centro histórico da cidade". 
"Reabilitamos o passado, mas garantimos condições de habitabilidade e conforto do século XXI. É o conceito de chave na mão, com muita qualidade. A empresa aposta sobretudo no produto "chave na mão" que envolve todo o processo, do projeto à obra final, incluindo decoração e mobiliário de projeto ou construção", referiu o empresário. 
Fernando Peixoto sublinhou ainda que além da reabilitação a marca "aposta na dinamização da economia local, envolvendo na reabilitação as empresas do concelho e da região”.”

Artigo da Agência LUSA de 2018.03.19

Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Já pouco resta…

Viana do Castelo, 16 de maio de 2022. Já pouco resta do Edifício Jardim, mais conhecido por Prédio Coutinho.

Cortejo académico converte ruas de Viana em palco de festa

O Cortejo Académico do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), marcado pela amizade, alegria e cerveja - mui­ta cerveja - animou hoje várias ruas da cidade. Entre saltos e cantoria, milhares de alunos, a pé ou em carros alegóricos, tornaram o cortejo “molhado”, dando “banhos” de cerveja uns aos outros.

Cartaz da Romaria d’Agonia 2022 com 60 propostas a concurso

Sessenta trabalhos concorrem ao prémio de melhor cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia de Viana do Castelo de 2022. O vencedor, para além de ver o seu trabalho utilizado para a divulgação pública da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia 2022 a nível Nacional e Internacional, será contemplado com um prémio monetário no valor de 750,00€.  O resultado do concurso vai ser conhecido no dia 26 de maio. A Romaria d’Agonia deste ano vai realizar-se em Viana do Castelo de 17 a 21 de agosto. (Na imagem são mostrados os cinco últimos cartazes vencedores, 2017 a 2021)

Vegetação toma conta do Castelo de Santiago da Barra

Derivado ao interesse histórico e cultural, é urgente que se proceda de imediato à limpeza da vegetação, quer no interior quer na envolvente do Castelo de Santiago da Barra, por forma a dignificar a imagem do monumento e possibilitar o seu usufruto pelos cidadãos de Viana do Castelo e pelos turistas, nacionais e estrangeiros. A vegetação cresce sem qualquer controlo (em alguns sítios chega a alcançar mais de 1 metro de altura), impossibilitando muitas vezes a circulação pelo mesmo. Em julho de 2021, o presidente do Turismo do Porto e Norte disse, em declarações à LUSA, que a reabilitação, por mais de um milhão de euros, do Castelo Santiago da Barra, em Viana do Castelo, onde se encontra instalada a sede da entidade, vai ser candidatada a fundos europeus.  Enquanto esses fundos europeus não chegam para que seja feita essa intervenção mais profunda, era importante que, entretanto, o TPN mandasse efetuar mais vezes o corte da vegetação e limpeza, de modo a evitar o aspeto degradante que a