Avançar para o conteúdo principal

Viana do Castelo - A Bela e o Monstro

A Bela (Santa Luzia) e o Monstro (Prédio Coutinho)
O “Prédio Coutinho” foi construído na segunda metade da década de 1970. É um prédio de 13 andares, situado no centro histórico de Viana, junto ao Rio Lima e, desde a sua construção tem gerado muita polémica.
Já data de 1975 a primeira tentativa de demolição por parte da então Comissão Administrativa da Câmara de Viana do Castelo, que por falta de verba não surtiu efeito.
No ano de 1990, o Presidente da Câmara, Branco Morais, eleito pelo PSD, tentou arranjar verbas comunitárias para demolir o prédio até ao sexto andar, mas como anteriormente, também esta intenção não se concretizou.
Desde que foi eleito para a autarquia pelo PS, Defensor Moura encetou uma luta no sentido de demolir o referido prédio e reconverter aquele espaço, para nele ser construído um novo Mercado Municipal.
Defensor Moura foi apoiado na sua intenção pelo Governo PS de António Guterres. Entretanto o Governo mudou para o PSD (Durão Barroso e Santana Lopes) que, recusaram apoiar a demolição, invocando que ficava muito dispendioso e não haver financiamento comunitário.
Já em 2005 com o Governo PS, a polémica foi relançada, mas teve forte oposição de alguns proprietários e moradores do referido edifício, que não querem abandonar as suas casas e a Câmara e o Governo que querem ir para a frente com a sua demolição e o realojamento dos moradores em edifícios já construídos para o efeito ou através de indemnizações.
O processo encontra-se há já alguns anos à espera de decisão judicial.
Pelo que se vai ouvindo, parece-me que uma grande maioria dos Vianenses está de acordo que o referido edifício destoa, é inestético e inapropriado, atendendo ao local onde está implantado (Zona Histórica da cidade), pondo somente algumas reservas quanto ao elevado custo necessário para a sua demolição e se esse dinheiro não seria melhor utilizar noutros projectos.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.