Avançar para o conteúdo principal

Secundária de Monserrate com aulas em contentores durante 18 meses

Notícia da Rádio Alto Minho, de Viana do Castelo, datada de 2009-09-14.

O ano lectivo na Secundária de Monserrate, Viana do Castelo, arranca hoje com 15 contentores transformados em salas de aula devido às obras de requalificação da escola, que durarão 18 meses e custarão 14 milhões de euros.
«Eu preferia, de longe, ter aulas nestes contentores do que nas salas viradas a Norte, que são tão frias que é frequente ver os alunos a esfregar a mão direita com a esquerda para poderem escrever», disse o director da escola.
José Carvalhido da Ponte explicou que a principal vantagem dos contentores é serem climatizados.
«À primeira vista, pode dar aspecto de um bairro de lata, mas seria um bairro de lata de luxo. É, obviamente, uma situação provisória, mas não tínhamos outra solução para acolher os cerca de 1300 alunos matriculados para este ano lectivo», acrescentou.
Com 45 anos, a Secundária de Monserrate está a ser alvo da primeira «intervenção de fundo» da sua história, que permitirá duplicar o espaço escolar dos actuais 7000 para 14 mil metros quadrados.
«No final das obras, vamos ficar com uma escola de referência, de luxo, para mais 45 anos», garantiu.
O projecto foi desenhado pelo arquitecto Marques Franco, que disse que a obra decorrerá por fases, estando prevista já para Janeiro a conclusão da zona dos laboratórios, oficinas e salas de arte, com tecnologia de última geração.
«Fomos copiar o melhor que há no mundo», garantiu.
Em Maio deverão estar concluídos a cantina e o bar, «que farão inveja a muitos estabelecimentos comerciais da cidade», bem como o centro de aprendizagem e a biblioteca.
Daqui a um ano começará a intervenção na zona das salas de aula.
Marques Franco sublinhou as «soluções inovadoras» e de eficiência energética projectadas para a escola, como o aproveitamento das águas pluviais para os autoclismos e a instalação de painéis solares e fotovoltaicos.
A escola passará também a dispor de um ginásio, com salas de aeróbica, RPM e musculação, «iguais ou melhores» do que os que existem no mercado.
«A única diferença é que, na escola, não se paga», acrescentou.
Marques Franco referiu que o facto de ele próprio ter sido aluno da Secundária de Monserrate e de ser professor na mesma escola contribuiu «sobremaneira» para a «excelência» do projecto.
«Conheço bem as dificuldades que sentem no dia-a-dia as pessoas que lá estudam e trabalham e fiz tudo para as tentar eliminar ou minimizar», rematou.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.