Avançar para o conteúdo principal

Canadianos da British Colombia Ferries fora do negócio do navio Atlântida

Notícia da Rádio Alto Minho, Viana do Castelo, de 2009-11-10.
Os canadianos da British Colômbia Ferries estão fora do negócio do Atlântida, o navio que o Governo Açoriano encomendou aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) e rejeitou por não cumprir os 19 nós de velocidade máxima prevista no contrato. Face à recusa da transportadora canadiana, a administração tem intensificado contactos para tentar encontrar uma solução para o ferry-boat que está atracado desde Maio no cais do Bugio e com elevados custos de manutenção. Em cima da mesa estarão duas novas hipóteses. Dois armadores, um grego e outro cubano, que já terão manifestado interesse na compra do navio que, após transformação, terá outra finalidade, nomeadamente no sector turístico.
Em declarações à RAM, fonte dos ENVC adiantou que, apesar do interesse manifestado pela empresa canadiana, que em Outubro passado acompanhou os testes de mar da embarcação, o negócio não se veio a concretizar por falta de financiamento público.
A empresa, que tem ao seu serviço 33 ferries e assegura várias ligações entre Vancouver e algumas ilhas do Pacífico, ficou inclusivamente de apresentar uma oferta de compra, mas face à impossibilidade de aceder a apoios estatais antes de 2014, nem chegou a avançar com valores.
Já anteriormente um armador norueguês e um empresário luso-canadiano tinham manifestado interesse, mas igualmente sem resultados.
Perante o impasse a administração está agora centrada noutros potenciais interessados. A utilização do ferry para cruzeiros turísticos, face à qualidade das instalações do navio, que possui um mini-casino e infantário, poderá ser uma possibilidade, uma vez que a empresa reconhece que muito dificilmente conseguirá encontrar um armador interessado num barco com as especificidades do Atlântida, pensado para efectuar as ligações entre ilhas Açorianas.
A mesma fonte adiantou que à priori, a venda do navio «implicará sempre alterações» ao projecto inicial.
No contrato estabelecido com o Governo Açoriano, a embarcação, com seis pisos e capacidade para transportar 750 passageiros e 140 viaturas, tinha um custo estimado de 40 milhões de euros.
Para além do caso Atlântida, a Empordef, holding do Estado para as empresas no sector da Defesa, que tutela os ENV, vê-se ainda a braços com uma eventual auditoria, no âmbito da operação «Face Oculta». É que a empresa de Manuel Godinho, a O2, detém, desde 2003, o serviço de recolha e tratamento de resíduos urbanos e não urbanos dos estaleiros.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Pela avenida do Cabedelo, Darque

A avenida do Cabedelo, em Darque, Viana do Castelo, com 628 metros de comprimento é ladeada por duas fileiras com cerca de 140 plátanos de grande porte, cujas copas formam um túnel de verdura encantador. Encontra-se a ser requalificada (melhoria das condições gerais de conforto e de utilização dos peões, a valorização da imagem urbana local, a melhoria das condições de escoamento das águas pluviais, bem como a beneficiação, marcação/sinalização rodoviária da via) num investimento de 615 mil euros.

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Bom Caminho

São vários os caminhos que vão dar a Santiago de Compostela, na Espanha, sendo um deles, o Caminho Português da Costa. Viana do Castelo é um ponto de passagem obrigatório para milhares de peregrinos que, cada ano, escolhem rumar a Santiago de Compostela pelo litoral português.

Maior Romaria de Portugal já tem programa

A maior romaria portuguesa apresenta esta quarta-feira o programa oficial de 2024, com nove dias de festa dedicada à Senhora d’Agonia. A edição deste ano da Romaria da Senhora d’Agonia realiza-se de 14 a 22 de agosto, tendo como novidades do programa, a realização do tradicional Desfile da Mordomia, que em 2023 juntou mais de 900 mulheres pelas ruas de Viana do Castelo, no dia 15 de agosto, feriado. Este é um dos quadros mais procurados, na participação e no público para assistir. Pode consultar o programa oficial AQUI .

O serpentear dos passadiços da ecovia em Carreço

Percorrer a pé ou de bicicleta este troço da Ecovia Litoral Norte (constituído por piso em terra batida, pavimento betonado e passadiços de madeira) em Carreço, Viana do Castelo, permite-nos ter sempre uma agradável paisagem enquanto passeamos. De um lado temos a companhia do mar, do lado de terra estende-se a veiga de Carreço e o casario, acompanhados pela Serra de Santa Luzia. A brisa no rosto ou o cheiro fresco da maresia a acompanhar-nos, são sensações únicas que podemos disfrutar enquanto passeamos ao longo do litoral vianense. Uma nota negativa, infelizmente, o vandalismo já passou por aqui. Fotografias captadas ontem, véspera de Natal.