Avançar para o conteúdo principal

Viana: Sem passagens de nível até ao final deste ano

A partir deste ano, Viana do Castelo passa a ser um concelho sem passagens de nível, uma garantia dada pelo presidente da Câmara de Viana do Castelo. Durante o decorrer de 2010 fica terminado o processo de supressão das passagens de nível, que no total se traduz num investimento a rondar os 15 milhões de euros. Ao todo serão 13 novas passagens que substituem as 24 que existiam no concelho. O términos destas travessias conta com um ano de atraso em relação ao que foi anunciado pelo Governo no final de 2007.
“Já demos inicio à passagem superior de Vila de Punhe, já abriu o troço e a passagem inferior de Alvarães, estão m em curso as da Areosa, de S. Sebastião e Além Rio que são as duas últimas em desenvolvimento e vão arrancar agora as obras de restabelecimento de Carreço para pudermos encerrar todas as passagens de nível ainda este ano”, detalhou José Maria Costa. O cenário final conta com passagens inferiores pedonais no S. Socorro e Igreja, ambas na freguesia da Areosa, para além de passagens inferiores em Carreço e Cabriteira/Afife, a construção de passagens desniveladas em S. Sebastião e Além Rio (Areosa) que apesar das obras complexas, o autarca diz que, “no verão estarão concluídas”e uma inferior em Barroselas. As passagens da Seca/Darque foram das primeiras concluir, assim como as passagens superiores e inferiores de Mazarefes, e a inferior de Vila Fria. A superior de Vila de Punhe foi aberta este mês. Esta Quarta-feira, em reunião de Câmara foi aprovado o protocolo do segundo troço que fará o restabelecimento da passagem inferior de Alvarães, que se tornará numa alternativa viária à EN 305 e o “troço estará concluído em 2011, com um custo de perto de 700 mil euros”. A supressão das passagens de nível está ao abrigo de um protocolo assinado entre a Refer e a Câmara Municipal em Junho de 2005 para suprimir as 24 passagens de nível do concelho. Ao todo, de acordo com a autarquia, estão a ser gastos mais de 15 milhões de euros na construção das 14 passagens desniveladas que permitirão maior segurança para a circulação viária, ferroviária e de peões junto à Linha do Minho.

Fonte: Rádio Geice, Viana do Castelo.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.