Avançar para o conteúdo principal

Casa dos Sá Sotomaior

Breve Historial
Séc. 16, meados - construção do edifício principal e fachada por Rui de Sá Sotomaior ( ALPUIM e VASCONCELOS, 1983: 92 ); 1772, 23 Abril - após a morte do bisneto do fundador, sem descendência directa, os bens passaram a Pedro Lopes de Azevedo, no entanto D. Josefa de Sá Sotomaior reclamou a herança por ter sido perfilhada pelo falecido; nesta data foi-lhe concedida por decisão régia a posse dos bens litigados; 1866 - demolição da torre existente no lado S., talvez de origem medieval, para ampliação do salão nobre ( CALDAS e GOMES, 1990: 45 ); 1872 - a casa é alugada à Assembleia Vianense por 150.000 réis mensais até 1895 ( ALPUIM e VASCONCELOS, 1983: 93 ); 1898 sede do Sport Clube Vianense até 1902; 1904 - reinstalação da Assembleia Vianense até 1954; 1908 - obras no interior do edifício, no valor de 65.985 réis, para acolher o rei D. Manuel II; 1927 - adaptação do 1º piso a agência do Banco Pinto e Sotto Maior; 1930 - modernização das salas de jogo e leitura, palco para música no salão e arranjo do pátio de entrada; 1954 - o BPSM adquire o edifício a Primo de Sá Pinto de Abreu Sottomaior, último proprietário pertencente à família original, e ocupa a totalidade do edifício; 1975 - obras de modernização da agência bancária.

Fonte: www.monumentos.pt

Casa dos Sá Sotomaior, construída no ano de 1570.
Situada na Praça da República de Viana do Castelo

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.