Avançar para o conteúdo principal

Convento de São João de Cabanas

O convento de São João de Cabanas, está classificado pelo IGESPAR (Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico) de Imóvel de Interesse Público, protegido através do Decreto n.º 67/97, DR n.º 301, de 31-12-1997. Fica situado no Lugar de Cabanas, Freguesia de Afife, Viana do Castelo.
Este convento tornou-se mais conhecido, por ter sido residência durante muitos anos do poeta Pedro Homem de Mello, que fazia deste local o seu recolhimento de inspiração para a escrita.

"A fundação primitiva do mosteiro de Cabanas data de 564, sendo atribuída a sua edificação a S. Martinho de Dume. Nas centúrias seguintes, o mosteiro prosperou economicamente, tornando-se senhor de todas as terras circundantes. Segundo as Inquirições de 1258 o mosteiro de Cabanas era de padroado real, tendo sido D. Sancho I a definir os seus limites em 1187. Sucederam-se os comendatários, e cerca de 1382 o mosteiro passou para a Ordem de São Bento, tornando-se uma casa de convalescença e repouso de doentes.
O complexo conventual foi reformulado no início do século XVII, numa campanha de obras que lhe conferiu o aspecto actual. A estrutura seiscentista do convento apresenta um modelo maneirista erudito com programa decorativo de raiz flamenga. A igreja, de pequenas dimensões, possui planta longitudinal de nave única, à qual foi adossada na fachada lateral esquerda a torre sineira, de secção quadrangular, e na fachada lateral direita as dependências conventuais, de que se destaca o claustro, também de planta quadrangular.
O programa decorativo é de grande sobriedade, de acordo com as linhas austeras do edifício, tendo o seu autor optado por elementos decorativos como os pináculos e as volutas. O portal de moldura rectangular simples é rematado por frontão interrompido e encimado por um nicho, decorado por volutas e enrolamentos, com a imagem de São João, ladeado por janelas gradeadas. O corpo da igreja e a torre sineira são rematados por pináculos e cobertura cónica.
O claustro, de dimensões reduzidas, foi edificado numa linguagem clássica, apresentando dois registos, o primeiro com arcada assente em colunas toscanas, e o segundo com janelas separadas por colunelos de cantaria. Ao centro da quadra do claustro foi edificada uma fonte com tanque circular decorado por volutas e imagem escultórica ao centro.
Em 1834, com a extinção das Ordens Religiosas, o convento e a propriedade circundante passou para a alçada da Fazenda Nacional, sendo vendido em Março desse ano em hasta pública ao General Luís do Rego, Visconde de Geraz do Lima; a partir de então o convento teria vários proprietários. No século XX o Convento de São João de Cabanas ficou conhecido por ser o local de férias do poeta Pedro Homem de Mello."

Texto retirado do site do IGESPAR





MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

A pesca da lampreia no estuário do Lima

Pequenas embarcações, com uma tripulação que varia entre dois e três pescadores por barco, dão vida e movimento a este rio que desagua na cidade de Viana do Castelo. Este é um período muito esperado pelos pescadores locais, pois cada exemplar deste ciclóstomo tem elevado valor comercial. Por estes dias os preços têm estado muito altos, rondando os 100 euros por unidade. A pesca decorre até 10 de abril. Fotos: estuário do rio Lima, fevereiro de 2024.

A passear por Viana…

Pela zona ribeirinha da cidade. Fevereiro 2024

Enorme “Coração de Viana” de Joana Vasconcelos exposto em Serralves

Uma das obras mais conhecidas e emblemáticas da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, o "Coração Independente Vermelho”, inspirado no coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, está entre as mais de trinta e cinco peças que integram a sua primeira exposição individual em Serralves. A exposição, intitulada “I’m Your Mirror” esteve anteriormente no Museu Guggenheim de Bilbau (Espanha), onde recebeu mais de 640 mil visitantes. Vai estar no Porto, em Serralves, até 24 de junho. A obra "Coração Independente Vermelho”, já esteve exposta no Centro Cultural de Viana do Castelo durante a Romaria d'Agonia de 2014. Joana Vasconcelos foi, nesse mesmo ano, presidente da Comissão de Honra das Festas, tendo participado no cortejo etnográfico e no desfile da Mordomia. Alguns dos trabalhos expostos no Museu e nos Jardins do Parque de Serralves: (Clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO, 2005 | Apresenta-se sob a forma

Um complexo em ruínas chamado Luziamar

Recentemente foi colocada ao redor do que resta deste emblemático empreendimento, uma nova vedação e uma placa com o nome da empresa atual proprietária do espaço. Será que está para breve alguma intervenção no sentido de se recuperar este importante espaço degradado da cidade de Viana do Castelo? O complexo turístico do Luziamar abriu portas em 1974 e fechou em meados da década de 90 do século passado. Durante grande parte do tempo em que se manteve em atividade, foi umas das principais referências na noite da região Norte de Portugal e da Galiza, sobretudo devido à sua discoteca, marcando uma geração que ainda hoje o recorda com saudade. Nos últimos anos, a empresa proprietária do Luziamar já teve diferentes projetos no sentido de recuperar aquele espaço mas, até ao momento, ainda nenhum se concretizou. Em 2015, numa reunião da Câmara Municipal de Viana do Castelo, foi revelado que era vontade do atual proprietário: ..."recuperar a atual envolvência do Luziamar", acresce