Avançar para o conteúdo principal

Convento de São João de Cabanas

O convento de São João de Cabanas, está classificado pelo IGESPAR (Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico) de Imóvel de Interesse Público, protegido através do Decreto n.º 67/97, DR n.º 301, de 31-12-1997. Fica situado no Lugar de Cabanas, Freguesia de Afife, Viana do Castelo.
Este convento tornou-se mais conhecido, por ter sido residência durante muitos anos do poeta Pedro Homem de Mello, que fazia deste local o seu recolhimento de inspiração para a escrita.

"A fundação primitiva do mosteiro de Cabanas data de 564, sendo atribuída a sua edificação a S. Martinho de Dume. Nas centúrias seguintes, o mosteiro prosperou economicamente, tornando-se senhor de todas as terras circundantes. Segundo as Inquirições de 1258 o mosteiro de Cabanas era de padroado real, tendo sido D. Sancho I a definir os seus limites em 1187. Sucederam-se os comendatários, e cerca de 1382 o mosteiro passou para a Ordem de São Bento, tornando-se uma casa de convalescença e repouso de doentes.
O complexo conventual foi reformulado no início do século XVII, numa campanha de obras que lhe conferiu o aspecto actual. A estrutura seiscentista do convento apresenta um modelo maneirista erudito com programa decorativo de raiz flamenga. A igreja, de pequenas dimensões, possui planta longitudinal de nave única, à qual foi adossada na fachada lateral esquerda a torre sineira, de secção quadrangular, e na fachada lateral direita as dependências conventuais, de que se destaca o claustro, também de planta quadrangular.
O programa decorativo é de grande sobriedade, de acordo com as linhas austeras do edifício, tendo o seu autor optado por elementos decorativos como os pináculos e as volutas. O portal de moldura rectangular simples é rematado por frontão interrompido e encimado por um nicho, decorado por volutas e enrolamentos, com a imagem de São João, ladeado por janelas gradeadas. O corpo da igreja e a torre sineira são rematados por pináculos e cobertura cónica.
O claustro, de dimensões reduzidas, foi edificado numa linguagem clássica, apresentando dois registos, o primeiro com arcada assente em colunas toscanas, e o segundo com janelas separadas por colunelos de cantaria. Ao centro da quadra do claustro foi edificada uma fonte com tanque circular decorado por volutas e imagem escultórica ao centro.
Em 1834, com a extinção das Ordens Religiosas, o convento e a propriedade circundante passou para a alçada da Fazenda Nacional, sendo vendido em Março desse ano em hasta pública ao General Luís do Rego, Visconde de Geraz do Lima; a partir de então o convento teria vários proprietários. No século XX o Convento de São João de Cabanas ficou conhecido por ser o local de férias do poeta Pedro Homem de Mello."

Texto retirado do site do IGESPAR





MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.

Feira Medieval de Viana do Castelo

Às ruas do centro histórico de Viana do Castelo, onde decorre desde a passada quinta-feira a Feira Medieval , tem acorrido muita gente para apreciar e usufruir dum ambiente medieval, com a recriação de festas, sons, cheiros e sabores de tempos bem longínquos. Se ainda não visitou esta Feira, tem até domingo dia 13, a oportunidade de se deliciar com este ambiente de sabor medieval enquadrado no cenário do centro histórico de Viana do Castelo.