Avançar para o conteúdo principal

Submarinos/contrapartidas: ENVC já foram buscar gruas, nave de 4 mil m2 e projecto de navio de 15ME

Apesar das dúvidas em torno das contrapartidas no âmbito dos negócios dos submarinos os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) até acabam de sair beneficiados já que uma parte “substancial” do investimento de 650 milhões de euros previstos já está concretizado. Exemplo disso é a nova nave de 4000 metros quadrados, transferida da Alemanha para Viana do Castelo e que ainda este semestre vai permitir aumentar a produtividade da empresa.Conforme a negociação feita em 2004, os ENVC deverão receber 650 milhões de euros de contrapartidas por parte do German Submarine Consortium (GSC), o vencedor do concurso para a construção e fornecimento de dois submarinos para a Marinha Portuguesa.
O consórcio é composto, entre outros, pelos estaleiros da HDW, empresa responsável pela transferência para os ENVC do equipamento de construção naval actualmente nos estaleiros (que faliram há vários anos) da Flenders (Alemanha). Em causa está equipamento no valor de 250 milhões de euros que vai permitir aumentar a produtividade dos ENVC, nomeadamente o número de horas de trabalho no Inverno (4000 m2 de área coberta) e o próprio layout de produção, já que a construção vai passar a ser sequencial, até chegar á doca. Redução de custos na produção ou melhorar o equilíbrio entre capital e trabalho, além da modernização de equipamentos, são os benefícios apontados à nova nave dos ENVC, em fase final de instalação e que deverá estar totalmente concluída ainda este semestre. Além da nave, as contrapartidas contemplaram ainda a transferência, já realizada, de gruas e outra maquinaria pesada. Com estes equipamentos os ENVC ficaram ainda dotados de capacidade para construir o Navio Polivalente Logístico (navio previsto para a Marinha Portuguesa e orçado em 250 milhões de euros). O projecto deste LPD, avaliado em 15 milhões, também estava no âmbito das contrapartidas alemãs e já foi entregue pela HDW aos ENVC. O LPD é apontado como “um meio naval exemplar” das acções que são necessárias actualmente, como a “projecção de força militar com meios conjuntos dos três ramos”, passando pela participação em “operações de apoio à paz e de assistência a catástrofes humanitárias”. Para tal, o navio vai contar, para além da capacidade de transporte, também com uma infra-estrutura hospitalar completa, permitindo ainda o transporte de vários helicópteros e um corpo de fuzileiros.

Fonte: Rádio Geice (2010-04-05)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.