Avançar para o conteúdo principal

Ativism cria marca e conceito de comunicação para Viana do Castelo

A Ativism é a agência responsável pela nova marca e conceito de comunicação da região de Viana do Castelo. Sob o conceito “Fica no Coração”, a marca criada pela agência “inspira-se no coração, património emocional e icónico de Viana. Representa a dedicação, honestidade, pertença e generosidade da cidade e dos seus habitantes e assume definitivamente Viana do Castelo como um local privilegiado para os amantes das cidades com uma qualidade de vida elevada e onde as oportunidades estão sempre a acontecer”, explica a ativism. De acordo com a agência, “Fica no Coração” espelha ainda o posicionamento proposto para os três públicos-alvo a atingir: os turistas, os residentes e os investidores. “Desta forma, Viana assume-se como na cidade dos namorados para os primeiros, para os que gostam de cidades e para os que gostam daquilo que fazem. A nova imagem da cidade de Viana representa também a aposta da Autarquia na fixação da população actual, na capacidade de atrair profissionais qualificados e na conquista da comunidade estrangeira, para residir ou visitar o concelho”, reforça. Maria João Vasconcelos, Brand & Behaviour Adviser ativism, sublinha que este “não se trata apenas de um projecto de city branding. É um trabalho estratégico profundo que envolveu a auscultação da população, através de estudos, bem como dos vários agentes do território, que foram preponderantes na definição deste posicionamento. A nova marca pega no património simbólico da região, projectando os argumentos que Viana tem para cada um dos targets identificados”, completa. Este projecto de marketing territorial, comunicação e construção de marca envolveu, além da área de investigação especialista em Brand & Behaviour, as unidades MOLA, BOTTOM LINE e IGNITION, agências de brand design, publicidade e activação em media do sistema ativism.
Fonte: www.briefing.pt (02.08.2010)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Estado de degradação e abandono da praia Norte

Este ano foram-lhe atribuídos os galardões "Praia com Qualidade de Ouro" pela Quercus, e “Bandeira Azul” pela Associação Bandeira Azul da Europa, mas a praia Norte, em Viana do Castelo, apresenta uma imagem de degradação e abandono. Vários candeeiros de iluminação pública que estão no passeio em direção ao “Castelo Velho”, não têm o “chapéu”,  o que quer dizer que não existe iluminação, nos dois bares de apoio à praia a degradação e a falta de manutenção são evidentes, as casas de banho/balneários de apoio à praia anexos aos dois cafés, que muito jeito davam aos peregrinos que utilizam este Caminho em direção a Santiago de Compostela e também aos frequentadores da Praia e Ecovia Litoral Norte, estão fechados, os painéis informativos encontram-se em mau estado, corrimões das escadas de acesso ao areal estão cheios de ferrugem…

Pela rua de Santa Clara

Esta artéria do centro histórico da cidade de Viana do Castelo deve o seu nome ao facto de por aqui ter existido uma capela de invocação a Santa Clara, que foi demolida nos princípios do século XIX.

Enorme “Coração de Viana” de Joana Vasconcelos exposto em Serralves

Uma das obras mais conhecidas e emblemáticas da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, o "Coração Independente Vermelho”, inspirado no coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, está entre as mais de trinta e cinco peças que integram a sua primeira exposição individual em Serralves. A exposição, intitulada “I’m Your Mirror” esteve anteriormente no Museu Guggenheim de Bilbau (Espanha), onde recebeu mais de 640 mil visitantes. Vai estar no Porto, em Serralves, até 24 de junho. A obra "Coração Independente Vermelho”, já esteve exposta no Centro Cultural de Viana do Castelo durante a Romaria d'Agonia de 2014. Joana Vasconcelos foi, nesse mesmo ano, presidente da Comissão de Honra das Festas, tendo participado no cortejo etnográfico e no desfile da Mordomia. Alguns dos trabalhos expostos no Museu e nos Jardins do Parque de Serralves: (Clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO, 2005 | Apresenta-se sob a forma