Avançar para o conteúdo principal

Escola do Carmo vai fechar e ser integrada na Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, criando uma nova escola já em 2013

A Escola do Carmo, escola do 1º ciclo do ensino básico, vai fechar e ser integrada na actual Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, dando origem a uma Escola Básica do 1º, 2º e 3º ciclo.
As obras de remodelação da Frei Bartolomeu começam já no final do ano e estão orçadas em 8 ou 9 milhões de euros. O prazo de execução da obra é de 18 meses a 2 anos. Prevê-se assim que, no início do ano lectivo 2013/2014, a nova Escola Básica do 1º, 2º e 3º ciclo já esteja a funcionar.
O ajustamento à Carta Educativa foi, esta segunda-feira, aprovado em reunião do executivo e vai ser votada em Assembleia Municipal na próxima sexta. Segundo a Carta Educativa, a Escola do Carmo tem cerca de 190 alunos e, quer pela localização, quer pelas condições do edifício, “não permite dar uma resposta adequada às necessidades pedagógicas e de segurança”. A Escola EB2,3 da Abelheira tem alunos a mais e, por isso, a Câmara propôs a construção de um novo edifício para substituir a actual EB 2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires. O novo edifício vai ter capacidade para até 30 turmas do 2º e 3º ciclos e terá mais 10 salas para o primeiro ciclo. Essas salas vão receber os alunos da escola do Carmo. José Maria Costa, presidente da Câmara de Viana do Castelo, diz que esta integração vai permitir “criar melhores condições” para o ensino básico.
O autarca diz que a Frei Bartolomeu precisa de uma “requalificação urgente”. Com as obras, os alunos do 1º ciclo vão ser integrados na nova escola, ganhando também melhores condições.
A Escola do Carmo vai ser integrada na Escola EB 2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires, dando assim origem à Escola Básica do 1º, 2º e 3º ciclo. Em 2013, a integração deve entrar em funcionamento.

Fonte: Rádio Geice (22.02.2011)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Cartaz da Romaria da Senhora da Agonia 2010

Já foram apresentados o cartaz e o programa da Romaria da Senhora da Agonia 2010. Segundo a organização, a edição 2010 que vai decorrer de 20 a 22 de Agosto, vai ter um orçamento de 420 mil euros e são esperados um milhão de pessoas para assistirem à Romaria das Romarias de Portugal.

Viagem no Tempo

Assim era o quotidiano na Ribeira de Viana do Castelo, anos 60 do século XX. Crianças descalças e felizes a brincarem na rua sem horários, sem a supervisão de um adulto, sem preocupações de segurança. 📷 Espólio Severino Costa | Arquivo Municipal de Viana do Castelo

Pormenores de Viana do Castelo

Se passar pela Rua do Loureiro, repare na originalidade deste portão do prédio nº 52.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.