Avançar para o conteúdo principal

Pescadores reclamam por condições de segurança no novo porto de pesca

Uma comissão de pescadores reivindicou sexta-feira passada, em reunião com a administração do Porto de Viana do Castelo, «melhores condições de segurança» no futuro estacionamento da frota, após as obras no novo espaço.
«Tivemos a promessa da administração de rever os aspetos para os quais alertámos, nomeadamente o estacionamento da frota de barcos de grande dimensão», explicou Francisco Portela Rosa, da administração da VianaPesca, cooperativa de pescadores e armadores do norte.
Em causa estava uma alteração ao projeto inicial do novo porto de pesca de Viana apresentado aos pescadores, e que segundo estes implicava passar a lotação da doca principal de 13 para 21 barcos de grande dimensão, alterando a forma de os estacionar.
«O problema era a segurança dos barcos, a falta de espaço e as óbvias dificuldades de os manobrar. Mas tivemos a garantia de que a doca das marés [um dos espaços de atracagem] volta a receber apenas os 13 barcos previstos», acrescentou Portela Rosa, que se fez acompanhar de outros representantes de armadores e pescadores.
Os técnicos da Administração do Porto de Viana do Castelo (APVC) vão, disse ainda, «estudar as alterações necessárias», estando prevista para 01 de julho outra reunião, onde será conhecida a nova versão do projeto, prevendo a distribuição dos restantes barcos maiores por outros espaços daquela área.
Os pescadores chegaram a afirmar que se avançasse a proposta anterior, em que o estacionamento seria feito pela parte traseira, recusar-se-iam a atracar, porque teriam de «dormir nas embarcações» para evitar que estas embatessem umas nas outras.
«Foi-nos garantido que serão apenas 13 barcos a atracar naquele local, de lado e de braço dado [encostados], o que já vai de encontro ao que era necessário para garantir a segurança», explicou ainda Portela Rosa.
No final da reunião de hoje, que decorreu nas instalações da administração portuária e que reuniu ainda um representante da Capitania do porto de Viana, ninguém da APVC quis prestar declarações à imprensa.
A obra do novo porto de Pesca de Viana do Castelo tem um custo estimado de dois milhões de euros e vai permitir, explicou a APVC aquando do lançamento da empreitada, o ordenamento do estacionamento da frota de pesca em melhores condições de segurança e operacionalidade, libertando a antiga doca comercial para a construção da futura marina Atlântica.

Texto: Rádio Alto Minho (20.06.2011)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.