Avançar para o conteúdo principal

Exposição “Património Artístico da Santa Casa da Misericórdia”

Instalada desde o passado dia 29 de Julho no Museu de Arte e Arqueologia de Viana do Castelo, encontra-se aberta ao público em geral até ao dia 31 de Agosto, a exposição “Património Artístico da Santa Casa da Misericórdia”, onde se mostra parte do património artístico daquela instituição.
Veja algumas obras da exposição.

Nossa Senhora da Vitória c/menino Jesus
Século XVIII (?)
São Francisco Xavier (?)
Século XVIII
Crucifixo
Século XVIII
Nossa Senhora da Conceição (?)
Século XVII (?)

Um pouco da história da Misericórdia (retirada do desdobrável da exposição)

As Misericórdias foram criadas pela rainha D. Leonor em 1498, com o objectivo de praticar as 14 obras de Misericórdia (7 espirituais - para o cumprimento dos princípios da Igreja Católica - e 7 corporais - ligados ao cumprimento das necessidades terrenas).
A grande novidade desta instituição foi o facto de não proteger apenas os seus membros, mas de estar virada para toda a comunidade, transformando-se numa verdadeira instituição de assistência e solidariedade social, com um papel essencial na protecção dos mais desfavorecidos.
A Misericórdia instalou-se em Viana em 1521, ocupando o edifício onde se mantém, na praça da República (então chamada Campo do Forno).
O actual edifício sede é um dos mais interessantes com a fachada composta de varandas, apoiadas em colunas jónicas, com motivos decorativos eruditos maneiristas, aceitando novas influências italianas e do norte da Europa.
Ao seu lado foi construída entre 1716 e 1722 uma igreja desenhada por Manuel Pinto Vila Lobos, cujo interior é um pequeno Museu Barroco de Artes Decorativas, com retábulos de talha dourada e as paredes inteiramente revestidas de azulejos da autoria de Policarpo Oliveira Bernardes.
Esta Igreja está encerrada para sofrer obras de recuperação e, durante este tempo, pode conhecer nesta sala uma pequena parte do património artístico acumulado ao longo destes quase 500 anos de história.
Esta exposição tem ainda a particularidade de apresentar pela primeira vez em conjunto três obras pertencentes à escola de pintura que esteve activa cm Viana no século XVI, fundada por André de Padilha.
João Alpuim Botelho

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.