Avançar para o conteúdo principal

Tanque comunitário usado por gerações de mulheres para lavar a roupa vai ser museu


Um tanque comunitário usado há cerca de um século para lavar roupa por gerações de mulheres da ribeira de Viana do Castelo vai ser musealizado no âmbito de uma intervenção de beneficiação, anunciou o presidente da Câmara. “É uma operação de valorização daquele espaço, que desde tempos muito idos é usado para lavar roupa. Basta dizer que a fotografia que temos nos nossos serviços, onde se vêem as mulheres a lavar, já tem 75 anos, mas a sua utilização já terá cerca de um século”, explicou José Maria Costa.
A intervenção, já em fase de preparação de candidatura, será feita em 2012, ao abrigo do programa Polis do Litoral Norte, nomeadamente na valorização da envolvente do Forte de Santiago da Barra, na freguesia ribeirinha de Monserrate. Segundo o autarca de Viana do Castelo, a intervenção naquele espaço consistirá na reabilitação do tanque, ainda hoje utilizado pela população, com a colocação de uma estrutura metálica de cobertura, em "forma de vela". “Será recuperado todo o tanque, valorizada a envolvente e ainda vai receber painéis informativos com a história daquele espaço”, explicou José Maria Costa.
Estima-se que a construção do tanque actual tenha sido concretizada no início do século XX e o tanque recorria, então, à água de uma nascente que ali jorrava. Hoje, duas torneiras dos serviços municipalizados fornecem a água para as mulheres que ainda lavam a roupa no local, sobretudo grandes peças, como tapetes e cortinas, perpetuando uma actividade de várias gerações. “Pretendemos valorizar um aspecto importante da história da cidade, por onde passaram gerações de mulheres da terra”, sublinhou José Maria Costa.

Texto: Rádio Geice (17.09.2011)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Cartaz da Romaria da Senhora da Agonia 2010

Já foram apresentados o cartaz e o programa da Romaria da Senhora da Agonia 2010. Segundo a organização, a edição 2010 que vai decorrer de 20 a 22 de Agosto, vai ter um orçamento de 420 mil euros e são esperados um milhão de pessoas para assistirem à Romaria das Romarias de Portugal.

Viagem no Tempo

Assim era o quotidiano na Ribeira de Viana do Castelo, anos 60 do século XX. Crianças descalças e felizes a brincarem na rua sem horários, sem a supervisão de um adulto, sem preocupações de segurança. 📷 Espólio Severino Costa | Arquivo Municipal de Viana do Castelo

Pormenores de Viana do Castelo

Se passar pela Rua do Loureiro, repare na originalidade deste portão do prédio nº 52.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.