Avançar para o conteúdo principal

Câmara reduz em 20 por cento apoio à realização da Romaria d'Agonia


A Romaria d'Agonia vai sofrer uma redução de 20 por cento no apoio da Câmara de Viana do Castelo, justificado pelo município com "os cortes que o Governo tem vindo a impor ao poder local". 
O apoio que todos os anos a autarquia atribui à VianaFestas, entidade municipal responsável pela organização da romaria, sofrerá, segundo a proposta aprovada esta segunda-feira no executivo municipal, um corte de 50 mil euros face aos 250 mil euros de 2011. 
A medida aplica-se apesar de a festa deste ano, que se realiza sempre em função do dia da padroeira, 20 de agosto, até contar com mais um dia do que no ano anterior. 
A Romaria d'Agonia realiza-se este ano entre 17 e 20 de agosto, mas com menos dinheiro. "Estou convencido que todos vão dar o melhor para que sejam as melhores festas de sempre. Mas não nos vão calar com os cortes financeiros que estão a fazer às autarquias", afirmou José Maria Costa, presidente da Câmara de Viana do Castelo. 
A redução deste apoio terá reflexo nomeadamente na logística da festa, como nas bancadas para receber os milhares de forasteiros para os vários desfiles, mas também na iluminação. "Não vamos ter, se calhar, as melhores condições de acolhimento para quem nos visita, para poderem usufruir da festa, vamos ter de cortar em coisas que davam qualidade", explicou José Maria Costa, admitindo que os cortes impostos pelo Governo ás autarquias estão a criar "grandes dificuldades na gestão corrente". 
Segundo o programa da Romaria d'Agonia de 2012, ainda provisório, a festa encerra a 20 de agosto com o dia dedicado precisamente à padroeira dos pescadores, que promovem neste dia a habitual procissão ao mar e ao rio, juntando dezenas de embarcações. 
A festa começa a 17 de agosto, sexta-feira, com a habitual saída à rua de meio milhar de mulheres, no Desfile da Mordomia. O dia seguinte é marcado pelo Cortejo Etnográfico, que habitualmente conta com mais de 4.000 figurantes, sendo mesmo um dos números principais da festa. 
No domingo, 19 de agosto, o destaque maior vai para a serenata de fogo de artifício a partir da ponte Eiffel, do rio Lima e no ar. 
"Não queremos perder o essencial da festa, que a torna uma afirmação turística de Viana do Castelo, mas vamos ter de fazer a poupança. Sem perder aquilo que é a vida da nossa festa", rematou o autarca.
Segundo dados oficiais, a festa leva todos os anos a Viana do Castelo cerca de um milhão de pessoas.

Fonte: Lusa

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

A passear por Viana…

Pela zona ribeirinha da cidade. Fevereiro 2024

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Um complexo em ruínas chamado Luziamar

Recentemente foi colocada ao redor do que resta deste emblemático empreendimento, uma nova vedação e uma placa com o nome da empresa atual proprietária do espaço. Será que está para breve alguma intervenção no sentido de se recuperar este importante espaço degradado da cidade de Viana do Castelo? O complexo turístico do Luziamar abriu portas em 1974 e fechou em meados da década de 90 do século passado. Durante grande parte do tempo em que se manteve em atividade, foi umas das principais referências na noite da região Norte de Portugal e da Galiza, sobretudo devido à sua discoteca, marcando uma geração que ainda hoje o recorda com saudade. Nos últimos anos, a empresa proprietária do Luziamar já teve diferentes projetos no sentido de recuperar aquele espaço mas, até ao momento, ainda nenhum se concretizou. Em 2015, numa reunião da Câmara Municipal de Viana do Castelo, foi revelado que era vontade do atual proprietário: ..."recuperar a atual envolvência do Luziamar", acresce