Avançar para o conteúdo principal

Viana na “Corografia Portugueza” em 1706


Como era descrita Viana há 306 anos atrás. 
No ano de 1706 o Padre António Carvalho da Costa, na sua obra “Corografia Portugueza e Descripçam Topografica...“ refere-se a Viana nos seguintes termos: 

“Dez legoas da Cidade do Porto para o Norte, na fóz do cristalino Lima em huma vistosa e alegre planície tem seu assento a notável Villa de Viana, fundada pelos Gallos Celtas 296 annos antes da vinda de Christo em hum alto monte para a parte do Norte, onde hoje está a Ermida de Santa Luzia, de que se mostrão ainda ruínas de edifícios, e casas nobres: chamaraõlhe Viana em memoria de sua pátria Viena, antiga Cidade de França, situada nas margens do rio Rodano. He cercada de fortes muros com cinco portas, a saber, a porta de Santiago, a de S. Pedro, com huma Capella deste Santo, a de S. Felippe com huma Capella de Saõ Crispim, & S. Crispiano, a de Nossa Senhora da Vitoria com sua Capella pela parte de fora, & a de S. Joaõ com huma Capella deste Santo da parte de fora. 
Tem esta Villa três mil vizinhos, & divide-se (à imitação de Lisboa) em os bairros seguintes, a saber, a Villa cercada de muros, o bairro da Bandeira, o da Carreira, o de Monserrate, o da Ribeira, o de S. Bom Homem, o do Postigo, o de S. Bento, & o do Campo do Forno. Todos estes bairros estaõ bem povoados de casas nobres, & tem de comprido meya legoa, que começa da rua do Loureiro até S. Vicente de fora. Tem hum cães de pedraria, que começa no fim da Villa no sitio, que chamaõ o Papanata, & acaba junto da barra no mar largo, co hum reducto no fim, aonde se vão recrear os moradores. Tem na boca da barra huma inexpugnável fortaleza, respeitada das Naçoens estrangeiras, com hum letreiro na porta, que diz: Todo o mundo me temerá, & só o tempo me vencerá: tem muitas peças de artilharia, & hum fosso de lodo à roda, que sorve tudo o que nelle cahe, & fora desta fortaleza tem huma obra exterior muito bem fabricada. 
Foy esta Villa antigamente Cidade Episcopal atè o anno de 610 no qual se unio ao Bispado de Tuy, & depois ao Arcebispado de Braga. Pelo tempo adiáte se arruinou de todo, & de suas ruínas se fundou no anno de 1260 a segunda Vianna por ElRey Dom Affonso o Terceiro no sitio, em que hoje está, o qual lhe deu grandes fóros, & privilégios, sendo sempre favorecida dos Reys de Portugal com grandes liberdades, & isençoens, & na natureza (demais de outras excelencias) na capacidade de seu porto, que chegou a ter mais de cem navios proprios, que navegavaõ a diversas partes. Goza de voto em Cortes com assento no banco quinto, & tem por Armas huma Náo. Foy antigamente cabeça de Condado, cujo titulo deu ElRey Dom Pedro o Primeiro a Dom Joaõ Affonso, filho de Dom Joaõ Affonso, Conde de Ourem: depois ElRey Dom Fernando deu o mesmo titulo a Dom Joaõ Affonso Telles de Menezes, pay de Dõ Pedro de Menezes, primeiro Capitaõ de Ceuta..." 

Clique aqui para ver a descrição completa.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Estado de degradação e abandono da praia Norte

Este ano foram-lhe atribuídos os galardões "Praia com Qualidade de Ouro" pela Quercus, e “Bandeira Azul” pela Associação Bandeira Azul da Europa, mas a praia Norte, em Viana do Castelo, apresenta uma imagem de degradação e abandono. Vários candeeiros de iluminação pública que estão no passeio em direção ao “Castelo Velho”, não têm o “chapéu”,  o que quer dizer que não existe iluminação, nos dois bares de apoio à praia a degradação e a falta de manutenção são evidentes, as casas de banho/balneários de apoio à praia anexos aos dois cafés, que muito jeito davam aos peregrinos que utilizam este Caminho em direção a Santiago de Compostela e também aos frequentadores da Praia e Ecovia Litoral Norte, estão fechados, os painéis informativos encontram-se em mau estado, corrimões das escadas de acesso ao areal estão cheios de ferrugem…

Pela rua de Santa Clara

Esta artéria do centro histórico da cidade de Viana do Castelo deve o seu nome ao facto de por aqui ter existido uma capela de invocação a Santa Clara, que foi demolida nos princípios do século XIX.

Enorme “Coração de Viana” de Joana Vasconcelos exposto em Serralves

Uma das obras mais conhecidas e emblemáticas da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, o "Coração Independente Vermelho”, inspirado no coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, está entre as mais de trinta e cinco peças que integram a sua primeira exposição individual em Serralves. A exposição, intitulada “I’m Your Mirror” esteve anteriormente no Museu Guggenheim de Bilbau (Espanha), onde recebeu mais de 640 mil visitantes. Vai estar no Porto, em Serralves, até 24 de junho. A obra "Coração Independente Vermelho”, já esteve exposta no Centro Cultural de Viana do Castelo durante a Romaria d'Agonia de 2014. Joana Vasconcelos foi, nesse mesmo ano, presidente da Comissão de Honra das Festas, tendo participado no cortejo etnográfico e no desfile da Mordomia. Alguns dos trabalhos expostos no Museu e nos Jardins do Parque de Serralves: (Clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO, 2005 | Apresenta-se sob a forma