Avançar para o conteúdo principal

A Igreja da Misericórdia de Viana do Castelo reabre esta quinta-feira


A Igreja da Misericórdia de Viana do Castelo, um dos mais importantes exemplares do Barroco, que estava encerrada desde 2010, reabre esta quinta-feira após obras de restauro, anunciou hoje o provedor da instituição. 
Concluída em 1721, desde dezembro de 2010 que aquela igreja estava totalmente encerrada, devido ao perigo de derrocada da cúpula principal, que se encontrava fraturada. "Foi uma intervenção muito delicada, dada a importância, e ao mesmo tempo, o estado em que se encontrava", explicou à agência Lusa Vitorino Reis. 
A empreitada, iniciada em junho de 2011, incidiu, além do reforço da estrutura, ao nível dos históricos azulejos que integram o templo, na consolidação estrutural da capela-mor e do arco cruzeiro e na recuperação da pintura do teto.
"Vamos permitir que os vianenses e os turistas possam visitar esta magnífica joia do Barroco nacional. Será já possível ver, na parte da nave, o teto e os azulejos no seu esplendor original", acrescentou.
Os azulejos, que ilustram as 14 obras de misericórdia, são precisamente uma das relíquias do templo e foram pintados pelo mestre da azulejaria setecentista Policarpo de Oliveira Bernardes. 
A visita, que será permitida a partir de quinta-feira, incluirá o acesso à nova sala de Arte Sacra, que integra "parte significativa do acervo artístico da Misericórdia, com magníficas imagens e pinturas". 
Construída em apenas oito anos, a igreja, classificada Património Nacional em 1910 e é considerado pelos especialistas um "feérico pequeno museu de ornamentação barroca". 
As obras permitiram também o reforço estrutural da cúpula, a recuperação e o tratamento da pedra da fachada, a reabilitação do claustro e da Capela da Senhora do Bom Despacho. 
Estes trabalhos custaram 877 mil euros, comparticipados a 70 por cento por fundos do QREN, no entanto a instituição estima que a investimento final na recuperação daquele património, a concretizar até final do ano, ascenda a um milhão de euros. 
É que a reprogramação da candidatura permitiu alargar a intervenção à fachada do perímetro do edifício da igreja, que funciona como sede da instituição e que já foi o hospital da cidade, sendo este conjunto uma das marcas históricas da principal praça da cidade. 
Uma dessas intervenções arrancou esta semana e decorre na fachada do edifício principal, de três andares, e que apresenta uma estrutura "que não tem paralelo na arquitetura maneirista portuguesa", descrevem os especialistas, por ter sido inspirada nos modelos arquitectónicos da Europa do Norte. 
"Foi um estilo que não vingou. Por isso, sendo único, e com mais de 400 anos, é algo cuja importância da preservação é ainda maior, pela importância nacional que tem. Curiosamente nem se sabe quem a desenhou", sublinha o provedor. 
Dado tratar-se de um dos pontos mais visitados da cidade de Viana do Castelo, a instituição colocou uma tela em toda a dimensão da fachada que será intervencionada, replicando o edifício original. "É uma fotografia, em tamanho real, da fachada, enquanto ao mesmo tempo decorrem as obras. 
Foi uma forma de minimizar os impactos, sobretudo ao nível dos turistas, que podem continuar a tirar fotografias no local", explicou ainda Vitorino Reis.

Texto: Lusa

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Sabe o que vai acontecer de 4 a 14 de julho?

Os jardins Público e da Marina vão encher-se de atividades com o “MARGINAL - festa no jardim”. Esta 3ª edição inclui concertos, espetáculos de dança, teatro, showcookings, venda de produtos diversos e propostas gastronómicas, Praça Kids, o Viana Beer Fest – Festival de cerveja artesanal (4 a 7 de julho), entre muito mais, sempre de acesso livre.  E porque já estamos em contagem decrescente para a Festa no Jardim, vamos recordar o programa da Festa?

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Marginal - Festa no Jardim” arranca a 14 de julho com experiências para toda a família

De 14 a 24 de julho, vai realizar-se no Jardim Público e no Jardim da Marina um evento cheio de experiências diurnas e noturnas para toda a família. Concertos, dança, jogos, showcookings, ateliers, conversas… vão animar a marginal de Viana do Castelo durante 11 dias. Clique na imagem e conheça a programação completa.

O crochet está de volta às ruas de Vila Nova de Cerveira

A 6ª edição do “O Crochet sai à Rua… em Cerveira” volta a espalhar pelo centro histórico desta vila minhota a arte do crochet, recriando o património mais emblemático de cada freguesia, algumas tradições e ainda muitos outros apontamentos criativos em crochet. Para ver até ao final de setembro de 2023.