Avançar para o conteúdo principal

Os nomes e a história das ruas de Viana do Castelo

Já alguma vez se questionou sobre a origem dos nomes das ruas, avenidas, praças, bairros... da cidade onde mora? Você que vive em Viana do Castelo nunca teve curiosidade em saber de onde veio o nome da sua rua?
Prosseguindo com a descrição e origem de alguns nomes atribuídos a arruamentos de Viana do Castelo, desta vez vou dar a conhecer quem são as pessoas que dão o nome a duas ruas de Viana e que fizeram elas para merecem tal honra.

RUA MATEUS BARBOSA 
Rua da zona histórica, entre a Rua Gago Coutinho e o Largo das Almas. Esta velha artéria que durante vários séculos se chamou Rua da Piedade, por ser por ela que passavam os cortejos fúnebres a caminho do cemitério no Largo das Almas, consagra para a posteridade Mateus José Barbosa e Silva, da distinta família dos Barbosa e Silva, com residência nesta rua.

Rua Mateus Barbosa
QUEM FOI MATEUS BARBOSA?
Activo, entusiasta e generoso, Mateus Barbosa ajudou durante muito tempo, a Congregação da Caridade e de entre os vários cargos da vida social que ocupou, destaca-se o de Vice-consul de França em Viana do Castelo, e o de Presidente da Instituição que atualmente se chama Associação Empresarial de Viana do Castelo.

RUA ROQUE DE BARROS
Rua da zona histórica, entre a Rua Major Xavier da Costa e a Avenida Rocha Páris. Esta lajeada e típica artéria da cidade chamou-se antigamente Rua das Tripeiras.

Rua Roque de Barros
QUEM FOI ROQUE DE BARROS?
Roque de Barros foi uma importante figura histórica, bastante antiga, que pelos seus feitos deu origem a ser consagrado com este topónimo. "Roque de Barros Rego do nobilíssimo ramo destas famílias, foi filho de Afonso Caminha Rego e de sua mulher D. Ana Maciel Salgado. Militou com bizarria marcial nas campanhas do seu tempo pelo que os Reis deste Reino o fizeram Governador de Cabo Verde, e depois Comendador da Comenda de S. Miguel de Vila Franca da Ordem de Cristo".

Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

É o fim do Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Hoje, 01 JUL 2022, desaparece definitivamente do Centro Histórico da cidade de Viana do Castelo.

Ponte Eiffel, em Viana, faz 141 anos

Feita em ferro e desenhada no gabinete de Gustave Eiffel, a ponte que liga as duas margens do Lima, entre a cidade de Viana do Castelo e a vila de Darque, foi inaugurada a 30 de junho de 1878, tendo sido construída para substituir a antiga e precária ponte de madeira. A ponte Eiffel de Viana do Castelo foi a primeira ponte rodoferroviária (de dois tabuleiros sobrepostos) construída em Portugal, tem 645 metros de comprimento e dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário. (clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) A Ponte Eiffel de Viana do Castelo (1930/1940)

Viana do Castelo com e sem o Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Estas duas imagens não foram manipuladas, são mesmo reais. Já se percebe a mudança na paisagem. Saiu de cena o edifício de 13 andares.

O Desfile da Mordomia na Romaria d’Agonia

O Desfile da Mordomia é um dos momentos de maior destaque naquela que é considerada a Rainha das Romarias de Portugal. Depois de dois anos de ausência daquele número devido à pandemia, na Romaria d’Agonia 2022 é esperado um recorde de participações. Cerca de 800 mordomas (número máximo aceite pela organização) irão estar no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto. Em 2019 participaram no desfile 619 mordomas. O Desfile da Mordomia é considerado a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país. No deste ano, estima-se que o valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar (2,5 quilogramas, em média, cada uma), calculado com base no preço atual, atinja os 94 milhões de euros.