Avançar para o conteúdo principal

Confraria de Santa Luzia quer construir um restaurante panorâmico e um albergue de peregrinos junto ao Templo


A Confraria de Santa Luzia quer construir um restaurante panorâmico e um albergue de peregrinos junto ao santuário com o mesmo nome, em Viana do Castelo. Segundo o projeto aprovado por unanimidade na última reunião de executivo, a Confraria quer avançar com o reordenamento urbanístico do santuário e pretende “redesenhar” a praça do templo, reorganizando a circulação pedonal e automóvel. 
José Maria Costa, autarca vianense, diz que este é um projeto “muito interessante” e acredita que esta pode ser “uma nova forma de atratividade” do espaço. O socialista diz que está a promover contactos para alertar para o interesse patrimonial e turístico do Monte de Santa Luzia, para que o projeto possa ser viabilizado. 
Na proposta é referida a intenção de eliminar "o estacionamento na frente do templo” e a redução da “área de paragem de autocarros", além da "construção de um bar/restaurante panorâmico" e "de um espaço de culto/cripta sob o nível da praça". Num outro nível, a confraria pretende avançar com uma "reorganização geral do espaço exterior a norte do templo", alterando os arranjos existentes, "de forma a promover a sua renaturalização e ampliar substancialmente a área de estacionamento". 
Por último, está ainda prevista a "revitalização" do Jardim das Tílias através da "replantação de diversas árvores e redefinindo as áreas ajardinadas", além da instalação de um parque de merendas e da construção de um anfiteatro. 
Nesta zona do santuário, a confraria pretende também construir, segundo o projeto enviado à Câmara, um edifício polivalente de três andares para receber as novas instalações da instituição, mas também para acolher um albergue de peregrinos, entre outras valências. 
Este projeto já recebeu recomendação para aprovação do pelouro do Planeamento Urbano e Gestão Urbanística da Câmara e foi aprovado agora em reunião do executivo. 
Recorde-se que o santuário de Santa Luzia foi projetado pelo arquiteto Ventura Terra e construído entre 1904 e 1943. É o ex-libris da cidade de Viana e recebe todos os anos cerca de 1 milhão de visitantes.

Texto: Rádio Geice

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.