Avançar para o conteúdo principal

''Cais de Viana'' espaço de rara beleza continua vazio

Aberto em 2005, depois de obras de recuperação e remodelação do antigo edifício da Marina de Viana do Castelo, junto ao rio Lima, o Complexo Turístico Cais de Viana, criou na altura um conjunto de unidades de restauração e lazer que deu àquele lugar uma nova vida.
Desde os bares "Irish" e "Caffe del Rio", aos restaurantes do rodízio brasileiro e comida indiana, todos foram encerrando aos poucos, até que o complexo ficou totalmente deserto.
O Cais de Viana foi na altura concessionado pela autarquia, por um período de 30 anos, ao Grupo Douro Cais, que agora pretende instalar naquele espaço negócios vocacionados para a náutica e atividades ligadas ao rio, conservando ao mesmo tempo áreas para a restauração.




Comentários

  1. Investir em Viana é uma miragem.05 fevereiro, 2013 13:23

    Fui cliente de todos os restaurantes implantados no Complexo da Marina.
    Viana não tem clientela para determinado tipo de restauração.
    Certo tipo de serviços tem custos e quem abriu não fazia ideia onde se ia meter.
    O encerramento era o fim que todos mais dia menos dia iria acontecer.
    O ultimo restaurante a fechar nem com diárias conseguiu sobreviver. Fez um pouco de tudo , karaok, festas em grupo, musica ao vivo.... etc...
    Investir em Viana é uma miragem.

    ResponderEliminar
  2. Ora bem! Até que enfim alguém põe a tónica em espaços dedicados ao rio.
    Deixemo-nos de vaidades e não pensemos o edifício dirigido a elites que não existem.
    Aquele espaço é para a miudagem ir treinar remo, enquanto os pais bebem um café a olhar para o rio.
    Ponto final.

    ResponderEliminar
  3. Complexo instalado num local espetacular, mas infelismente nada resulta naquele espaço.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

É o fim do Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Hoje, 01 JUL 2022, desaparece definitivamente do Centro Histórico da cidade de Viana do Castelo.

Ponte Eiffel, em Viana, faz 141 anos

Feita em ferro e desenhada no gabinete de Gustave Eiffel, a ponte que liga as duas margens do Lima, entre a cidade de Viana do Castelo e a vila de Darque, foi inaugurada a 30 de junho de 1878, tendo sido construída para substituir a antiga e precária ponte de madeira. A ponte Eiffel de Viana do Castelo foi a primeira ponte rodoferroviária (de dois tabuleiros sobrepostos) construída em Portugal, tem 645 metros de comprimento e dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário. (clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) A Ponte Eiffel de Viana do Castelo (1930/1940)

Viana do Castelo com e sem o Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Estas duas imagens não foram manipuladas, são mesmo reais. Já se percebe a mudança na paisagem. Saiu de cena o edifício de 13 andares.

O Desfile da Mordomia na Romaria d’Agonia

O Desfile da Mordomia é um dos momentos de maior destaque naquela que é considerada a Rainha das Romarias de Portugal. Depois de dois anos de ausência daquele número devido à pandemia, na Romaria d’Agonia 2022 é esperado um recorde de participações. Cerca de 800 mordomas (número máximo aceite pela organização) irão estar no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto. Em 2019 participaram no desfile 619 mordomas. O Desfile da Mordomia é considerado a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país. No deste ano, estima-se que o valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar (2,5 quilogramas, em média, cada uma), calculado com base no preço atual, atinja os 94 milhões de euros.