Avançar para o conteúdo principal

30 milhões de euros para o despedimento dos trabalhadores dos Estaleiros de Viana


O Estado vai gastar cerca de 30 milhões de euros em indemnizações aos 620 trabalhadores dos Estaleiros de Viana, sabe o Negócios. O grupo Martifer, que ganhou a subconcessão dos terrenos e equipamentos da empresa, deverá garantir 400 postos de trabalho nos próximos três anos. 
Já se sabia que os 620 trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) iriam ser todos despedidos. Faltava conhecer a factura para o Estado, via indemnizações, e o número de empregos que a subconcessionária Martifer iria assumir. 
O grupo de Oliveira de Frades confirmou esta tarde que se compromete a ficar com cerca de 400 dos actuais 620 trabalhadores dos ENVC, nos próximos três anos. 
Somando a maioria dos efectivos que vão recorrer ao fundo de desemprego e os que estão em situação de pré-reforma, o drama social que poderia resultar do fim da empresa estatal deverá assim ser esvaziado neste período de tempo. É esta a mensagem que o Governo irá passar sobre o processo.
E o Negócios sabe que o Estado irá desembolsar cerca de 30 milhões de euros em indemnizações aos 620 trabalhadores que irão ser despedidos dos ENVC, o que dá, em termos grosseiros, uma média próxima dos 50 mil euros por trabalhador, a graduar em função da antiguidade. 
As administrações dos ENVC e da Martifer continuam a negociar o acordo de subconcessão dos terrenos e equipamentos da empresa estatal vianense ao grupo de Oliveira de Frades, estando ainda por firmar o número de postos de trabalho a garantir no arranque das operações da subconcessionária.
Foi a 18 de Outubro que a administração dos ENVC decidiu subconcessionar à Martifer os terrenos, infra-estruturas e equipamentos da empresa. 
O grupo português, que detém os estaleiros navais Navalria, em Aveiro, vai pagar 415 mil euros por ano por esta subconcessão, que vigorará até 31 de Março de 2031.

Fonte: Jornal de Negócios (27.11.2013)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.