Avançar para o conteúdo principal

Documentários produzidos pela AO NORTE para o Museu do Traje de Viana do Castelo, em exibição na RTP2

É já a partir de hoje dia 11, que a RTP2 vai emitir uma série de seis documentários produzidos pela AO NORTE - Associação de Produção e Animação Audiovisual, associação sem fins lucrativos, sedeada em Viana do Castelo, que tem por fim a produção e a divulgação audiovisual.
Este conjunto de seis documentários sobre a região, foram produzidos pela Associação AO NORTE para o Museu do Traje de Viana do Castelo.

A emissão destes documentários na RTP2 terá a seguinte programação: 

11 de novembro (segunda-feira) às 20:00 horas
OURO DE LEI, Histórias do Ouro Popular português, de Carlos Eduardo Viana.
(HD, 110’, 2012).


12 novembro (3ª feira) às 20:45 horas
DESAFIOS, de Carlos Eduardo Viana.
(HD, 90’, 2012).


13 de novembro (quarta-feira) às 21:00 horas
ÁGUAS EM CONTA, de Carlos Eduardo Viana.
(HD, 52’, 2012).


14 de novembro (quinta-feira) às 21:00 horas
S JOÃO D'ARGA, de Carlos Eduardo Viana.
(HD, 44’, 2012).


15 de novembro (sexta-feira) às 20:45 horas
ARGAÇO, de Carlos Eduardo Viana.
(HD, 74’, 2012).

16 de novembro (sábado) às 13:15 horas
BORDADO DE VIANA, de Carlos Eduardo Viana.
(HD, 58’, 2012).


Comentários

  1. Pela primeira vez vi comentários de alguns artesãos que os conheço pessoalmente.
    Regularmente apresentam pessoas que não são mais que comerciantes de artesanato com a " Capa de Artesão ".
    Geminiana Branco Abreu Lima não foi a única impulsionadora dos bordados, houve pessoas com tanto valor ou mais que esta Senhora . A própria irmã Margarida Branco Cerqueira, Joaquim Loureiro dos Santos,Maria Julia Sousa Figueiredo , José da Silva Esteves, Domingos Barbosa, Abel B. Lopes , Ana Fernandes de Araújo,António Pacheco, Alexandre Araújo Barbosa, Ana Miranda da Rocha,Silvério Araújo Barbosa,Artur Fontinha, Agostinho Jose Correia ,António de Sousa Matos ,Carlos Pacheco,Rosa Alves Mendes Pinto, Manuel Gonçalves Cerqueira, Manuel Pacheco, Maria Teresa Galeão, J. M.Cachina Cachina.
    Geminiana colaborou no incremento dos bordados , trabalhou sempre numa escala diminuta. Outros nomes desenvolveram esta arte mais intensivamente levando aos quatro cantos do mundo . Muito se diz e a história é sempre a mesma só dão destaque a quem lhes interessa.
    Muito coisas se poderia contar sobre os bordados de Viana e quem efetivamente contribui para o seu desenvolvimento.As verdades são outras. Aqui há uns tempos atrás foi mencionado que na orla marítima se faziam bordados. Totalmente falso! Conheci todas a localidades onde efetivamente se incrementou o bordado porque lidei no terreno e estava dentro do assunto.Os bordados foram incrementados até às vizinhas localidades de Ponte de Lima. Quanto ao ultimo comentário da pessoa em causa , tem muito para aprender nada disse de importante.

    ResponderEliminar
  2. Mª Violante BRANCIO P. Reis29 fevereiro, 2016 13:42

    Foram as minhas tias Geminiana e Margarida que introduziram os bordados de Viana como artigos domésticos (toalhas, lençóis, panos de tabuleiro, sacos para guardar guardanapos..., durante a 2ª Guerra Mundial para darem trabalho às mulheres cujos maridos tinham ido apara a Guerra (apesar de, oficialmente, Portugal ter sido aparentemente neutro)

    Não me parece que os homens acima citados tenham feito qualquer bordado. Quando muito, poderiam tê-los comercializado. Foi com a iniciativa das minhas tias que os bordados de Viana do Castelo tiveram e mantêm a fama.

    ResponderEliminar
  3. De Bordados de Viana percebo eu !02 março, 2016 20:26

    Não sei se é conforme diz !
    Não estou a ver as sua tias a pegar numa agulha e estar a bordar uma toalha ou qualquer peça que seja ! Alguma vez bordou uma peça de Viana ? Experimente e veja as horas que leva a elaborar uma peça .
    Para se vender em série é necessário ter outras pessoas a trabalhar para dar resposta ao mercado.
    Muitas pessoas que se intitulam artesãos , não passam de comerciantes de artesanato.Quando as vemos numa cadeira ou em revistas fazendo propaganda de artesãos , não contam verdadeiramente tudo .
    Só acredita quem não vê.
    Os Pseudo artesãos de bordados de Viana , que actualmente laboram nesta actividade conheço-os a todos.
    Quando aos bordados não foram as suas tias unicas nesta atividade. apesar de haver homens nesta area , foram eles que desenvolveram e levaram os mesmos a terras longinquas.
    As suas tias tiveram um importante desempenho no incremento , mas as noticias aparecem duma forma exagerada, que não corresponde à verdade.

    ResponderEliminar
  4. Nunca foi feito um levantamento nesta atividade. Aquilo que diz é o que habitualmente estamos ouvir e a ler . Conheço esta matéria e estou dentro do assunto.
    A lista foi estudada nao preparada ao acaso . O aparecimento de homens nesta atividade foi tao importante quanto as das Senhoras Margarida e Geminiana . Conheço pessoas ligadas aos bordados qua nada tem, de artesãos , tem carta , mas os bordados são realizados por terceiros que trabalham para os mesmos. Aquelas que estamos habituados a ver em revitas , e na televisao sobre bordados nao dizem que os bordados sao feitos por pessoas fora do seu atelier. Até parece que sao eles que fazem tudo.
    Há muita história mal contada e por explicar.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Bom Dia Viana do Castelo

Iates na antiga doca comercial onde, presentemente, se encontra ancorado o navio museu Gil Eannes.  A reconversão desta antiga doca comercial numa marina atlântica está prevista há vários anos, mas tarda em concretizar-se. Com cerca de 477 metros de comprimento e 100 de largura, com a reabilitação prevista, a referida doca (futura Marina Atlântica) passará a ter capacidade para receber embarcações de recreio de maior dimensão.

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

PRAÇA DE TOUROS | Anteprojeto de reconversão

A construção de uma pista de atletismo a dez metros de altura, com 200 metros de extensão e vista panorâmica é uma das valências do 'campus' desportivo que vai nascer na antiga praça de touros de Viana do Castelo.  Em declarações hoje à agência Lusa, a propósito da conclusão do anteprojeto de reconversão da antiga praça de touros em 'campus' desportivo, o presidente da Câmara revelou que a infraestrutura, a criar no exterior e abrangendo todo o perímetro do edifício, poderá ser utilizada por atletas e pela população para "jogging, atletismo, caminhadas entre outras atividades de manutenção física".  A pista "será coberta", permitindo a sua utilização "mesmo em condições climatéricas adversas" e está integrada no projeto para reconversão da antiga praça de touros, um investimento de 2,5 milhões de euros que vai a concurso em abril de 2017 e que prevê a transformação da antiga arena, desativada há cerca de sete anos desde que cidade se d

Escadório de Santa Luzia

A Basílica de Santa Luzia, situada no alto do monte com o mesmo nome, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade de Viana do Castelo. Para lá chegar tem três opções: a estrada, o funicular ou o escadório. Quem optar pelo funicular, fará um percurso de 650 metros, vencendo um desnível de 160 metros, numa viagem com duração de aproximadamente 7 minutos. Quem se sentir atraído a ir a pé pelo escadório, terá que subir 659 degraus. Subir esta escadaria não é assim tão difícil, basta ir com calma, parando quando o cansaço aparecer. Veja algumas fotografias do escadório de Santa Luzia.

Casa Brasileira a mais antiga confeitaria de Viana do Castelo

A fachada sóbria da “Casa Brasileira”, a mais antiga confeitaria da cidade de Viana do Castelo, “guarda” no seu interior verdadeiras delícias da doçaria tradicional. Fundada por emigrantes no Brasil, que a abriram precisamente no dia 22 de Março de 1902, no edifício onde ainda existe hoje, em pleno centro histórico da cidade, este estabelecimento citadino foi durante muitos anos um ícone dos doces típicos de Viana do Castelo. Mas, como em tudo na vida, esta confeitaria também teve os seus pontos altos e baixos. Os actuais proprietários, Sr. Norberto Martins e D. Maria Graça Ferreira, ex-emigrantes em França, quando em 2004 assumiram a direcção do estabelecimento, encontraram-no com uma deterioração que fazia esquecer os tempos dourados. Aos poucos, foram renovando o espaço e introduzindo nova doçaria de inspiração francesa que, juntamente com a confecção tradicional fez com que o espaço voltasse a ter a fama e a clientela que entretanto tinha perdido. Entre as especialidades serv