Avançar para o conteúdo principal

Viana: Fortim da Areosa (Castelo Velho)

Esta fortificação militar foi construída no Século XVII/XVIII, para vigiar e defender, na altura, as populações de possíveis ataques vindos por mar.
Fazia parte de um conjunto defensivo (Torre da Roqueta, Castelo de Santiago da Barra e Forte de Paçô (Carreço) estrategicamente colocado ao longo da costa de Viana do Castelo.

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)







Comentários

  1. António Carvalho05 dezembro, 2013 10:14

    É pena não preservarmos a nossa história. Este é mais um monumento que está ao abandono. Não era preciso uma grande verba para o pôr minimamente apresentável. Estraga-se tanto dinheiro noutras coisas menos importantes.

    ResponderEliminar
  2. Franscisco Cirne23 dezembro, 2013 12:44

    Penso que o Sr António de Carvalho é o historiador mais recente da cidade de Viana do Castelo. Pena é que quando faz as suas investigações não invoca as fontes donde foram recolhidas todas as informações que transcreve.
    Assim história, também eu sei fazer.

    ResponderEliminar
  3. Estas fortificações foram construídas em resposta a uma crescente importância do Corso e da Pairataria nas nossas costas, quer praticadas por povos do Norte de África, quer por países do Norte da Europa.
    Também já tenho pensado que o seu restauro acrescentaria poderia melhorar actividades associadas às praias que lhes estão perto, mas, com o risco do vandalismo e de se tornarem abrigo de marginais, acho que (até ver) só deviam ser mantidos limpos de mato.

    ResponderEliminar
  4. Por que não recuperam a muralha e colocam um portão? Não é preciso muito dinheiro para pôr este monumento mais apresentável. Merecia.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

É o fim do Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Hoje, 01 JUL 2022, desaparece definitivamente do Centro Histórico da cidade de Viana do Castelo.

Ponte Eiffel, em Viana, faz 141 anos

Feita em ferro e desenhada no gabinete de Gustave Eiffel, a ponte que liga as duas margens do Lima, entre a cidade de Viana do Castelo e a vila de Darque, foi inaugurada a 30 de junho de 1878, tendo sido construída para substituir a antiga e precária ponte de madeira. A ponte Eiffel de Viana do Castelo foi a primeira ponte rodoferroviária (de dois tabuleiros sobrepostos) construída em Portugal, tem 645 metros de comprimento e dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário. (clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) A Ponte Eiffel de Viana do Castelo (1930/1940)

O Desfile da Mordomia na Romaria d’Agonia

O Desfile da Mordomia é um dos momentos de maior destaque naquela que é considerada a Rainha das Romarias de Portugal. Depois de dois anos de ausência daquele número devido à pandemia, na Romaria d’Agonia 2022 é esperado um recorde de participações. Cerca de 800 mordomas (número máximo aceite pela organização) irão estar no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto. Em 2019 participaram no desfile 619 mordomas. O Desfile da Mordomia é considerado a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país. No deste ano, estima-se que o valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar (2,5 quilogramas, em média, cada uma), calculado com base no preço atual, atinja os 94 milhões de euros.

Viana do Castelo com e sem o Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Estas duas imagens não foram manipuladas, são mesmo reais. Já se percebe a mudança na paisagem. Saiu de cena o edifício de 13 andares.