Avançar para o conteúdo principal

Casa Manuel Espregueira e Oliveira: Um bom exemplo de recuperação de um edifício histórico


Situada mesmo no Centro Histórico da cidade de Viana do Castelo, a Casa Manuel Espregueira e Oliveira, construída no século XIX, é uma antiga casa de família totalmente recuperada e adaptada para Turismo de Habitação. Esta Casa continua a exibir todo o seu antigo esplendor, depois de restaurada com elevado cuidado, conserva a fachada do edifício original. Renovada e decorada com o conforto de uma habitação contemporânea, alia ao charme a alma de uma casa com tradição. 
Hoje, a Casa Manuel Espregueira e Oliveira é constituída por um equipamento de excelente qualidade em pleno centro histórico, com seis suites, biblioteca, salão nobre, salão de jantar, varanda com vista para Santa Luzia, salão de eventos, auditório e jardim. 

Um pouco da história desta Casa: 

 “A Casa Manuel Espregueira e Oliveira foi adquirida em 1900 pelo ilustre Dr. Luíz Augusto de Oliveira, médico, militar e um grande colecionador de obras de arte. Habitou-a com a família até à sua morte, em 1927, tendo sido entregue por herança ao seu filho, Manuel Espregueira e Oliveira, também ele figura ilustre e benemérito da cidade de Viana do Castelo. Foi ele que, para cumprir a vontade de seu pai, doou por testamento ao Museu Municipal de Viana do Castelo em 1949, todo o recheio, composto por valiosas peças de arte, de faiança, de mobiliários de vários estilos e telas que, ainda hoje, podem ser encontradas no Museu de Artes Decorativas de Viana do Castelo, no Largo de S. Domingos, depois de transferidas após o falecimento de Manuel Espregueira e Oliveira, em 1953. Os atuais proprietários adquiriram a casa em 2004. Sentindo a necessidade de a reconstruir por se tratar de uma valiosa obra de arte, mas também porque poderia ser uma mais-valia para a cidade para poder ser visitada por todos os que apreciam a arte, a história e a cultura, os proprietários apostaram no Turismo de Habitação”.

Saiba mais AQUI 

Comentários

  1. Excelente exemplo de recuperação de edifício histórico. Pena não ser seguido por outros na nossa cidade. Parabéns e bons negócios para os promotores da Casa Manuel Espregueira e Oliveira.

    ResponderEliminar
  2. Diga a formula se faz favor para conseguir sucesso num empreendimento identico como este .
    Tenho um projeto identico mas falta-me o principal.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Seis pirogas encontradas no rio Lima em Viana do Castelo classificadas "tesouro nacional"

  O Governo aprovou hoje, em Conselho de Ministros, o decreto que classifica, como conjunto de interesse nacional diversos bens móveis arqueológicos náuticos e subaquáticos, sendo-lhes atribuída a designação de "tesouro nacional": as seis pirogas monóxilas provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada no rio Lima, em Viana do Castelo; os três astrolábios provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada em São Julião da Barra, e os dez canhões provenientes de recolha arqueológica subaquática, realizada na Ponta do Altar. As pirogas monóxilas são embarcações construídas a partir de um único tronco de árvore, neste caso de carvalho. Este conjunto apresenta um interesse arqueológico e patrimonial muito relevante enquanto testemunho notável da navegação em Portugal, e da travessia do Rio Lima em particular, desde a Idade do Ferro até à Baixa Idade Média. A dimensão do conjunto e de cada exemplar (uma delas com quase 7m de comprimento), o seu estado de conser

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Carnaval sem desfile tradicional mas com várias iniciativas para celebrar

Em Viana do Castelo, apesar da não realização do tradicional desfile e, para manter o espírito “folião”, o Carnaval vai festejar-se durante cinco dias (17 a 21 de fevereiro) marcados por DJ’s na Praça da República, concurso de máscaras, animação, motivos alegóricos na Praça da República, entre outras iniciativas. PROGRAMA 17 DE FEVEREIRO (sexta-feira) > 10h00 – 13h00 / 14h00 – 20h00 | Viagem de comboio turístico (para crianças) > 11h00 | Dança de Hip-Hop (Ana Coelho) > 10h00 – 13h00 | Dança e construção de fitas de dança criativa 18 DE FEVEREIRO (sábado) > 10h00 – 13h00 / 14h00 – 20h00 | Viagem de comboio turístico (para crianças) > 11h00 | Aula de Dancehall (Eduarda Silva) > 17H30 | 1º Edição da Corrida de Carnaval > 16h00 – 19h00 | Animação infantil (atelier de adereços de carnaval – espadas e varinhas de condão) > 22H00 | Concurso de Máscaras > 22H00 | DJ’s na Praça da República 19 DE FEVEREIRO (domingo) > 10h00 – 13h00 / 14h00 – 20h00 | Viagem de combo

Olha que três!

Esta foto tem a particularidade de permitir contemplar um dos mais belos enquadramentos arquitetónicos da cidade. O Chafariz-Estátua de Viana, no seu enfiamento, num plano superior a Capela das Malheiras e no alto do monte de Santa Luzia, o Santuário do Sagrado Coração de Jesus (Templo de Santa Luzia).

Viana de Outros Tempos

Assim era a Praça da República nos anos 60 do século XX. Espólio de Severino Costa | Arquivo Municipal de Viana do Castelo