Escola Frei Bartolomeu dos Mártires substituída por nova que custa 11,7 ME

A Câmara de Viana do Castelo vai lançar a concurso público, por mais de onze milhões de euros, a obra de substituição da Escola Frei Bartolomeu dos Mártires, que a própria autarquia admite ter "péssimas condições". 
A proposta da maioria socialista que lidera a Câmara, à qual a Lusa teve hoje acesso, prevê um prazo para a construção da "nova" EB1,2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires de 18 meses. 
O lançamento do concurso público internacional para esta obra, com um preço base de 11,7 milhões de euros, será discutido e votado em reunião do executivo municipal, esta quinta-feira. 
A autarquia, liderada desde 2009 pelo socialista José Maria Costa, tinha já definido, anteriormente, que a substituição daquela escola era "uma das grandes prioridades", por funcionar em "péssimas condições". 
Esta chegou a integrar a lista oficial do Ministério da Educação e Ciência (MEC) das escolas com cobertura de fibrocimento (com amianto), material perigoso que ainda não foi removido pela perspetiva de realização de obras. 
Precisamente na mesma reunião do executivo municipal - que decorrerá à porta fechada, a partir das 18:00 - será discutido um voto de protesto apresentado pela oposição (CDU) face ao "atraso" nestas obras e, nomeadamente, na remoção desta cobertura. 
A construção da nova escola, processo a conduzir pela autarquia e pelo MEC, deverá ser comparticipada por fundos comunitários e permitirá ainda a fusão de três níveis de ensino no mesmo espaço, no centro da cidade de Viana do Castelo. 
A atual escola Frei Bartolomeu dos Mártires data de 1980 e, segundo fonte do estabelecimento de ensino, "sofre atualmente de um problema de sobrelotação", distribuindo-se por cinco pavilhões que, "pese embora o cuidado posto na sua manutenção e conservação, evidenciam o natural desgaste decorrente da sua utilização". 
Além da beneficiação da atual escola, ao futuro espaço será acrescentada a valência de primeiro ciclo, com a prevista desativação da Escola do Carmo, também no centro da cidade. 
Passará a receber, de acordo com a estimativa de 2011, cerca de 800 alunos em 38 turmas. 
"A vantagem é que os alunos da antiga escola primária poderão também utilizar a cantina, o pavilhão desportivo e algumas áreas mais tecnológicas através desta partilha de espaços", disse, em novembro de 2011, o autarca José Maria Costa. 

Fonte: Agência Lusa (19.02.2014)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Enorme máquina giratória vai “triturar” mais de 15 mil toneladas de materiais dos 13 andares do prédio Coutinho

Queixa contra desconstrução do prédio Coutinho arquivada pelo MP

Morreu a ''PALMIRINHA''

Laboratório do mar com minissubmarino e aquário abriu em Viana do Castelo