Avançar para o conteúdo principal

À Moda Antiga: Esta loja abriu recentemente em Viana, com muita história lá dentro

"À Moda Antiga", Viana do Castelo

Quem lá entra encontra de tudo um pouco, o seu interior contém verdadeiras relíquias. São muitos os artigos de outros tempos e com um toque irreverentemente “vintage”. 
Já entrei nesta loja, fiquei admirado com os vários e tão diferentes produtos tradicionais portugueses expostos. 

Saibam um pouco mais sobre a loja “À Moda Antiga”, através do artigo que abaixo transcrevo, publicado hoje no jornal “Público online” 

 “Viver fora do país é ver com clareza o que de bom o país tem. Joana e Filipe Maia regressaram e abriram em Viana do Castelo um espaço de produtos tradicionais portugueses, que funciona também como bistrô e lugar de exposições 

Foi quando emigraram para a Austrália, após quatro anos a viver em Angola, que Joana e Filipe Maia perceberam como Portugal lhes fazia falta. Ou antes: como a falta de História e de identidade de um país pode transformar-se num “grande vazio”. Foi com esse sentimento (e com a vontade de ter filhos) que regressaram ao país em 2010, “sem casa, sem carro e sem emprego, em plena crise”. 
E foi com essa mesma justificação que, três anos depois, transformaram uma antiga loja de ferragens de 1920 num espaço que é uma verdadeira viagem pelo tempo - e pela cultura de um país. À Moda Antiga Retro Market & Bistro, aberta desde Novembro de 2013 em Viana do Castelo, é uma loja "vintage" cheia de produtos tradicionais portugueses, com um espaço de exposições e um cantinho bistrô.
“Começamos a juntar o puzzle, a nossa vida é um puzzle. E acabamos por criar esta loja”, resumiu Joana durante uma conversa feita à mesa do bistrô e que havia de durar duas horas. Virada para a marina de Viana do Castelo, a loja deste casal de engenheiros civis - dirigida sobretudo por Joana, já que o marido continua a dedicar-se à empresa que criaram quando voltaram ao país - foi desenhada “do local para o nacional”. 
Viana - Norte - Portugal 
Por isso, encontram-se por lá vários produtos vianenses, como os chocolates Imperador, sabonetes artesanais, chás e infusões, os cadernos da Vida Retro ou os azulejos pintados à mão pela artista local Isabel Pinolo. 
Mas também vários do Norte (a segunda prioridade) e do resto do país: biscoitos de Monção, água e biscoitos de Melgaço, funilaria de Barcelos, sabonetes da Ach Brito (Porto) da Confiança (Braga), compotas feitas por monjas de Roriz, em Santo Tirso, biscoitos da Puapério, louça de Caldas da Rainha, cestas de Alcobaça, mantas 100% lã da Serra da Estrela, figos de Moncorvo, chá dos Açores, chocolate Equador, conservas Tricana, colónias Musk, cerveja artesanal Letra, brinquedos antigos, marcadores de livros... 
A lista é grande e cresce numa equação diretamente proporcional às viagens - reais e cibernáuticas - que Joana Maia faz para descobrir “produtos que transmitam algo e tenham qualidade máxima”. “Passo horas e horas à procura, no backstage dos produtos. É exaustivo às vezes”, suspira com um sorriso. 
O primeiro produto que decidiram que tinha de fazer parte da À Moda Antiga foi, na verdade, a bicicleta. “A ideia surgiu com as bicicletas e depois começamos a juntar a informação que tínhamos adquirido de todos os sítios onde estivemos no mundo”, contou. 
Joana tinha-se apaixonado pelo veículo de duas rodas quando estudou em Milão, em Itália; Luís sempre se interessou por “tudo o que fosse clássico”. E desta mistura surgiram na loja as históricas e clássicas pasteleiras que geralmente brindam os visitantes na entrada do espaço. 
A ideia é que os veículos possam não só ser comprados mas também alugados. E além das pasteleiras há também bicicletas inglesas e italianas e as famosas vespas. 
Uma esplanada no Verão 
No Verão, o Largo João Tomás da Costa vai contar também com uma esplanada, para estender o serviço bistrô que se serve agora no fundo da loja, com uma cozinha “show cook” e num local que já funcionou como depósito de carvão e onde as paredes ainda estão pretas. 
O café-restaurante funciona das 9 às 19h (almoços tardios são possíveis), com menus de seis euros (sopa, prato e bebida) e 4,5 euros (sopa, sande e bebida). São considerados “imperdíveis”, segundo os donos da loja, especialidades como cogumelos Portobello recheados com salmão fumado e queijo da ilha gratinado, para prato principal, e muxama de atum (considerado “o presunto dos mares”), como entrada. 
Na À Moda Antiga há também espaço para exposições, que mudam de tempos a tempos (a mais recente é do ilustrador Joel Torres) e têm o mesmo objectivo da loja: a divulgação cultural.”

Comentários

Mais visualizadas nos últimos 30 dias

Viana do Castelo com e sem o Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Estas duas imagens não foram manipuladas, são mesmo reais. Já se percebe a mudança na paisagem. Saiu de cena o edifício de 13 andares.

Viana do Castelo volta a viajar no tempo até à época medieval

A Feira Medieval de Viana do Castelo vai voltar às ruas do centro histórico da cidade de 17 a 19 de junho, após a interrupção de dois anos devido à pandemia. A Feira vai contar com um diversificado programa de animação e com a presença de artesãos e restauração. DO PROGRAMA DE ANIMAÇÃO CONSTA NOMEADAMENTE: ANIMAÇÃO ITINERANTE | CORO MEDIEVAL | ESPETÁCULO DE ABERTURA | ESPETÁCULO DE FOGO | CORTEJO DO SÉQUITO REAL | DANÇAS MEDIEVAIS | MÚSICA MEDIEVAL | MARIONETAS | JOGO DO PAU | DEMONSTRAÇÃO  DE VOO LIVRE | BANDA DE GAITEIROS | OUTORGA DO FORAL | OS GUARDAS REAIS | OFICINA DE TIARAS DE FLORES    | JOGOS MEDIEVAIS Consulte a programação completa do evento, com o local e horário de cada animação, clicando AQUI : 

Canhão do século XVIII roubado do interior da Fortaleza de Valença

Um canhão do reinado de D. João V, do século XVIII, pertencente ao Arsenal Real do Exército, foi roubado na madrugada de hoje do baluarte do Socorro, junto à pousada de S. Teotónio, no interior da fortaleza de Valença. Em comunicado enviado às redações, a autarquia da segunda cidade do distrito de Viana do Castelo, adiantou “tratar-se de um magnífico exemplar de armamento bélico, que estava exposto no Baluarte do Socorro, no interior da Fortaleza de Valença”. “Ao que tudo indica, o canhão foi arremessado muralha abaixo, para um patamar intermédio, e novamente atirado para o fosso da fortaleza, onde terá sido recolhido e transportado. Este é um roubo que abrange o património móvel nacional existente na fortaleza de Valença”, refere a nota. A Câmara de Valença “participou a ocorrência à GNR sendo que foi acionada, de imediato, a Polícia Judiciária (PJ) que já esteve no local a recolher provas”. O presidente da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira manifestou-se “profundame

Santa Luzia à vista

Hoje, sábado, 28 de maio de 2022, com duas máquinas a trabalhar em simultâneo, quase fizeram desaparecer da paisagem vianense o edifício Jardim (Prédio Coutinho). Nesta fotografia de hoje, já é visível o Santuário do Sagrado Coração de Jesus (também conhecido como Templo de Santa Luzia).

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.