Avançar para o conteúdo principal

À Moda Antiga: Esta loja abriu recentemente em Viana, com muita história lá dentro

"À Moda Antiga", Viana do Castelo

Quem lá entra encontra de tudo um pouco, o seu interior contém verdadeiras relíquias. São muitos os artigos de outros tempos e com um toque irreverentemente “vintage”. 
Já entrei nesta loja, fiquei admirado com os vários e tão diferentes produtos tradicionais portugueses expostos. 

Saibam um pouco mais sobre a loja “À Moda Antiga”, através do artigo que abaixo transcrevo, publicado hoje no jornal “Público online” 

 “Viver fora do país é ver com clareza o que de bom o país tem. Joana e Filipe Maia regressaram e abriram em Viana do Castelo um espaço de produtos tradicionais portugueses, que funciona também como bistrô e lugar de exposições 

Foi quando emigraram para a Austrália, após quatro anos a viver em Angola, que Joana e Filipe Maia perceberam como Portugal lhes fazia falta. Ou antes: como a falta de História e de identidade de um país pode transformar-se num “grande vazio”. Foi com esse sentimento (e com a vontade de ter filhos) que regressaram ao país em 2010, “sem casa, sem carro e sem emprego, em plena crise”. 
E foi com essa mesma justificação que, três anos depois, transformaram uma antiga loja de ferragens de 1920 num espaço que é uma verdadeira viagem pelo tempo - e pela cultura de um país. À Moda Antiga Retro Market & Bistro, aberta desde Novembro de 2013 em Viana do Castelo, é uma loja "vintage" cheia de produtos tradicionais portugueses, com um espaço de exposições e um cantinho bistrô.
“Começamos a juntar o puzzle, a nossa vida é um puzzle. E acabamos por criar esta loja”, resumiu Joana durante uma conversa feita à mesa do bistrô e que havia de durar duas horas. Virada para a marina de Viana do Castelo, a loja deste casal de engenheiros civis - dirigida sobretudo por Joana, já que o marido continua a dedicar-se à empresa que criaram quando voltaram ao país - foi desenhada “do local para o nacional”. 
Viana - Norte - Portugal 
Por isso, encontram-se por lá vários produtos vianenses, como os chocolates Imperador, sabonetes artesanais, chás e infusões, os cadernos da Vida Retro ou os azulejos pintados à mão pela artista local Isabel Pinolo. 
Mas também vários do Norte (a segunda prioridade) e do resto do país: biscoitos de Monção, água e biscoitos de Melgaço, funilaria de Barcelos, sabonetes da Ach Brito (Porto) da Confiança (Braga), compotas feitas por monjas de Roriz, em Santo Tirso, biscoitos da Puapério, louça de Caldas da Rainha, cestas de Alcobaça, mantas 100% lã da Serra da Estrela, figos de Moncorvo, chá dos Açores, chocolate Equador, conservas Tricana, colónias Musk, cerveja artesanal Letra, brinquedos antigos, marcadores de livros... 
A lista é grande e cresce numa equação diretamente proporcional às viagens - reais e cibernáuticas - que Joana Maia faz para descobrir “produtos que transmitam algo e tenham qualidade máxima”. “Passo horas e horas à procura, no backstage dos produtos. É exaustivo às vezes”, suspira com um sorriso. 
O primeiro produto que decidiram que tinha de fazer parte da À Moda Antiga foi, na verdade, a bicicleta. “A ideia surgiu com as bicicletas e depois começamos a juntar a informação que tínhamos adquirido de todos os sítios onde estivemos no mundo”, contou. 
Joana tinha-se apaixonado pelo veículo de duas rodas quando estudou em Milão, em Itália; Luís sempre se interessou por “tudo o que fosse clássico”. E desta mistura surgiram na loja as históricas e clássicas pasteleiras que geralmente brindam os visitantes na entrada do espaço. 
A ideia é que os veículos possam não só ser comprados mas também alugados. E além das pasteleiras há também bicicletas inglesas e italianas e as famosas vespas. 
Uma esplanada no Verão 
No Verão, o Largo João Tomás da Costa vai contar também com uma esplanada, para estender o serviço bistrô que se serve agora no fundo da loja, com uma cozinha “show cook” e num local que já funcionou como depósito de carvão e onde as paredes ainda estão pretas. 
O café-restaurante funciona das 9 às 19h (almoços tardios são possíveis), com menus de seis euros (sopa, prato e bebida) e 4,5 euros (sopa, sande e bebida). São considerados “imperdíveis”, segundo os donos da loja, especialidades como cogumelos Portobello recheados com salmão fumado e queijo da ilha gratinado, para prato principal, e muxama de atum (considerado “o presunto dos mares”), como entrada. 
Na À Moda Antiga há também espaço para exposições, que mudam de tempos a tempos (a mais recente é do ilustrador Joel Torres) e têm o mesmo objectivo da loja: a divulgação cultural.”

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Pela avenida do Cabedelo, Darque

A avenida do Cabedelo, em Darque, Viana do Castelo, com 628 metros de comprimento é ladeada por duas fileiras com cerca de 140 plátanos de grande porte, cujas copas formam um túnel de verdura encantador. Encontra-se a ser requalificada (melhoria das condições gerais de conforto e de utilização dos peões, a valorização da imagem urbana local, a melhoria das condições de escoamento das águas pluviais, bem como a beneficiação, marcação/sinalização rodoviária da via) num investimento de 615 mil euros.

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Enorme “Coração de Viana” de Joana Vasconcelos exposto em Serralves

Uma das obras mais conhecidas e emblemáticas da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, o "Coração Independente Vermelho”, inspirado no coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, está entre as mais de trinta e cinco peças que integram a sua primeira exposição individual em Serralves. A exposição, intitulada “I’m Your Mirror” esteve anteriormente no Museu Guggenheim de Bilbau (Espanha), onde recebeu mais de 640 mil visitantes. Vai estar no Porto, em Serralves, até 24 de junho. A obra "Coração Independente Vermelho”, já esteve exposta no Centro Cultural de Viana do Castelo durante a Romaria d'Agonia de 2014. Joana Vasconcelos foi, nesse mesmo ano, presidente da Comissão de Honra das Festas, tendo participado no cortejo etnográfico e no desfile da Mordomia. Alguns dos trabalhos expostos no Museu e nos Jardins do Parque de Serralves: (Clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO, 2005 | Apresenta-se sob a forma

O serpentear dos passadiços da ecovia em Carreço

Percorrer a pé ou de bicicleta este troço da Ecovia Litoral Norte (constituído por piso em terra batida, pavimento betonado e passadiços de madeira) em Carreço, Viana do Castelo, permite-nos ter sempre uma agradável paisagem enquanto passeamos. De um lado temos a companhia do mar, do lado de terra estende-se a veiga de Carreço e o casario, acompanhados pela Serra de Santa Luzia. A brisa no rosto ou o cheiro fresco da maresia a acompanhar-nos, são sensações únicas que podemos disfrutar enquanto passeamos ao longo do litoral vianense. Uma nota negativa, infelizmente, o vandalismo já passou por aqui. Fotografias captadas ontem, véspera de Natal.

Bom Caminho

São vários os caminhos que vão dar a Santiago de Compostela, na Espanha, sendo um deles, o Caminho Português da Costa. Viana do Castelo é um ponto de passagem obrigatório para milhares de peregrinos que, cada ano, escolhem rumar a Santiago de Compostela pelo litoral português.