Avançar para o conteúdo principal

A beleza do Traje à Vianesa

Traje muito conhecido e admirado, é utilizado há mais de 100 anos pelas raparigas das aldeias do concelho de Viana do Castelo. Este colorido e tão típico traje, assume-se como um símbolo tradicional da região.

Comentários

  1. Os cinco fatos de lavradeira apresentados tem elementos que só os entendidos se dão conta de alguns pormenores.
    Apesar de todos serem fatos de lavradeira usados em momentos especiais , na aldeia são denominados de fatos de festa e não de fato à Vianeza como para aí se diz.
    Em regra os lenços são peças importantes na fato a usar, a antiguidade, a cor, e o padrão. Foram uma moda usada em Portugal nos fins do Século XVIII e princípios do Século XX.
    Foram importados dos Países de leste e mais tarde fabricados em Portugal.
    O primeiro figurino a contar do lado esquerdo para a direita , apresenta um lenço de Lã importado Ucraniano na cabeça e outro às costas . Os outros restantes são criações nacionais em lã antigas pois os atuais que se fazem não passam de cópias em tecido acrílíco com franjas mecánicas.
    Rara era a moçoila do campo que não o tinha.
    Antigamente apresentar uma peça destas às costas em forma de Xaile era uma vaidade pessoal.
    Regularmente era nas festas da terra que demonstravam a beleza dos mesmos.No entanto havia regras defenidas .
    Havia os lenços usados pelas viuvas, os lenços de festa,do casamento os lenços do fato diário , os lenços que usavam no campo para proteção do sol e do vento.... Os padrões eram bem definidos.
    Nas zonas ribeirinhas junto ao mar , usavam padrões definidos. A contar do lado esquerdo para a direita o quarto figurante apresenta um lenço que não se enquadra com a vestimenta apresentada. Naturalmente é diferente mas não é um lenço de lavradeira, nem usado pelas mesmas conforme se costuma ver nas paradas regionais e nas aldeias pelas lavradeiras.
    Não se pode estar a tolerar alterações .
    Quando toleram estas situações nas paradas , aparece sempre um " Mestre Expert" a explicar a matéria em livro.
    Algum tempo depois passam a estar na moda , fazendo crer que era usual o uso e costume dessa época.
    Fazem regra e começam a adulterar todos os costumes da região .
    O lenço apresentado é um lenço de Varina usado pelas mulheres que residem nas zonas ribeirinhas.

    ResponderEliminar
  2. Numa publicação recente em Outubro , um jornal de V. Castelo . apresenta um artigo com o titulo " Antiga Casa Rodrigo Abreu "
    o texto.....a dado momento diz que a Geminiana Branco foi casada com Rodrigo Abreu , trabalhava em artesanato regional, e só ela podia mandar para o estrangeiro porque tinha tudo registado , com certificado da altura e muito pessoal a trabalhar com ela.
    Hora na verdade não foi bem assim !
    A Senhora Geminiana Branco como outros tantos foi um dos impulsionadores dos regionais. No seu tempo havia já quem se dedicasse a esta atividade:-
    Margarida Branco Cerqueira com loja na Rua Candido dos Reis em Viana do Castelo, no ano de 1924. Foram-lhe atribuídos diversos prémios: um em 1924, e uma medalha de ouro em 1929.
    Em Barcelona adquiriu medalha de prata em 1929 , em Sevilha medalha de ouro , no Rio de Janeiro 1930 diploma de honra.
    Outro estabelecimento que merece ser relembrado :-
    Joaquim Lourenço dos Santos com loja , na Av. do Jardim 39 em Viana . Realizou exposições no estrangeiro ,adquiriu prémios e louvores.
    Domingos Barbosa de Cardielos
    ( Violas) Abel B. Lopes e muitos outros que poderia mencionar aqui.
    Gemiana nunca trabalhou em artesanato , tinha sim algumas mulheres do campo que faziam trabalhos encomendados por si.
    É completamente falso que só a Senhora poderia vender para o estrangeiro .
    Nunca teve os artigos registados conforme se diz , mas sim uma etiqueta com uma simbolo de dois corações e uma chave.
    Tenho uma dessas etiquetas e apenas apresenta estes dados .O certificado nunca existiu , o resto é tudo propaganda ...inventada.
    Diz-se que tinha muito pessoal a trabalhar , não me parecesse que seja assim a propaganda em revistas , jornais , é muito diminuta.
    Criou-se um " tabu " inventaram-se historias , quando à muitas pessoas que incrementaram e desenvolveram o bordado de Viana.
    As unicas pessoas que podiam exportar Bordados Regionais de Viana estavam inscritas como Membros da Camara de Comercio Portuguesa nas Rua Portas de Santo Antão em Lisboa .
    Nunca me constou da existencia do nome de Geminiana Branco .
    Os historiadores da terra fizeram-lhe publicidade exagerada, esqueceram-se que tinha uma irmã que se dedicou a esta atividade de alma e coração. A história dos bordados na sua raiz está incompleta , muita coisa foi omitida .
    Por vezes o que se diz por aí, não é de todo verdade !
    Fez-se noticia que a orla maritima Areosa, Carreço, Afife foram zonas onde se destacaram os bordados regionais .
    Levaram 100 anos a descobrir ,o que nunca vi referencia em livros , noticias , jornais.
    A propaganda feita é aquela que nos queremos que seja , o resto é tudo conversa.

    ResponderEliminar
  3. Casas comerciais que contribuíram para o desenvolvimento e o incremento dos bordados de Viana;

    Em 1898 Manuel Antonio de Brito.
    Em 1898 José António de Araujo Junior.
    Em 1910 Grandes Armazens do Minho de J.Rodrigues Pinheiro.
    Em 1933 Margarida Branco Cerqueira EM 1939 Viuva de Joaquim Lourenço dos Santos.
    Em 1939 Maria Julia Sousa Figueiredo & Irmãs.
    Em 1939 Cerqueira & Junior& Ca Lda.
    Em 1951 Avelino Rodrigues Teixeira.
    Em 1951 José da Silva Esteves.
    Em 1951 Josine Geraldes .
    Em 1951 Domingos Barbosa & C, Lda.
    Em 1955 Abel B. Lopes.
    Em 1955 Ana Fernandes de Araujo.
    Em 1955 Antonio J.de Sousa Matos.
    Em 1961 Antonio Pacheco.
    Em 1961 Alexandre Araujo Barbosa.
    Em 1961 Ana Miranda da Rocha.
    Em 1961 Silvério Araujo Barbosa.
    Em 1961 Cabanelas e Hélio.
    Em 1961 António Pacheco & Filhos.
    Em 1961 Artur Fontinha.
    Em 1961 Agostinho José Freitas Correia.
    Em 1964 Carlos Pacheco.
    Em 1974 Rosa Alves Mendes Pinto.
    Em 1974 Manuel Gonçalves Cerqueira.
    Em 1975 Manuel Pacheco ,Lda.
    Em 1975 Maria Teresa Correia Galeão.
    Em 1975 J.M Cachinas.

    Esta lista abrange o ano de 1898 até ao ano de 1975.

    ResponderEliminar
  4. Sobre os bordados de Viana28 novembro, 2014 21:20

    Nunca se falou mas é um facto.
    Houve empresários ou artesãs ligadas aos bordados de Viana , mas que residiam fora do distrito.
    Modernamente dão-lhe o nome de " artesãos " mas na prática a ocupação é a mesma.
    Foram eles:
    Helena Dantas do Prado ( Braga).
    Maria Cachetas do Prado ( Braga).
    Maria Alves do Prado ( Braga).
    Henrique Teixeira do Porto.
    Epifánio Teixeira do Porto.
    Estes empresários dedicavam-se ao comercio e venda dos bordados de Viana.
    Não esquecendo a sua ligação a Viana , devem ser lembrados porque também foram impulsionadores e desenvolveram esta atividade.

    ResponderEliminar
  5. Saber não ocupa lugar.30 novembro, 2014 09:12

    Curioso , tem escrito muita matéria sobre os bordados de Viana do Castelo , mas nunca tinha ouvido falar sobre estes assuntos.
    É sempre bom aprender e saber.

    ResponderEliminar
  6. Avelino Rodrigues Teixeira que em 1951 contribuiu para incrementar e desenvolver os bordados de Viana com a sua casa comercial residiu e terá desenvolvido também a sua actividade em algum momento na Rua de Viana nº 92. Ainda lá esta na porta a placa com o nome da mulher e da filha.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Viana acende luzes de Natal a 02 de dezembro

As iluminações de Natal vão acender-se nas ruas da cidade de Viana do Castelo no dia 02 de dezembro, e estarão ligadas de segunda-feira a quinta-feira, das 18h00 às 22h00 e, às sextas-feiras e fins-de-semana, o horário será alargado, entre as 18h00 e a 00h00. A programação de Natal será anunciada pela Câmara de Viana no próximo dia 25 de novembro. (Notícia atualizada em 25 nov 2022 com mais informação)

Natal 2022 em Viana do Castelo com mais ruas iluminadas e um investimento de 160 mil euros

A Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje, por unanimidade, um investimento de 160 mil euros na animação de Natal, menos 10 mil do que em 2021, com “mais ruas iluminadas” e espetáculos multimédia em toda a Avenida dos Combatentes. Segundo o presidente da Câmara de Viana do Castelo, que falava durante a reunião camarária para apresentar protocolo de cooperação entre o município e a Associação Empresarial, o valor destinado à animação de Natal 2022 representa uma poupança de 10 mil euros, em relação ao investimento do ano passado, sendo que, durante os meses de dezembro e janeiro, “haverá mais ruas iluminadas” e que o os espetáculos multimédia, que até agora preenchiam cerca de metade da Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, vão ser alargados a toda a extensão da principal artéria da cidade. Os espetáculos multimédia, diários, consistem em jogos de luzes sincronizados com música e, atraem centenas de pessoas. Luís Nobre anunciou ainda que a árvore de Natal 3D, com cerca de 30 metros

Viana do Castelo vai receber o Natal e Passagem de Ano com concertos, animação de rua, exposições…

De 01 de dezembro de 2022 a 08 de janeiro de 2023 a cidade vive intensamente as festividades do Natal e da chegada do Ano Novo.  A programação “Viana, Coração do Natal”, organizada pela Câmara Municipal de Viana do Castelo em parceria com a Associação Empresarial de Viana do Castelo, é bastante diversificada. O programa inclui propostas em vários locais na cidade, para que miúdos e graúdos possam celebrar esta época festiva. Praça Natal, Mercado de Natal, atividades infantis, concertos, animação de rua, exposições e passagem de ano, são sugestões de coisas para fazer este Natal, sozinho, entre amigos ou em família. Destaques da Programação > A 02 de dezembro, são inauguradas as iluminações de Natal nas ruas da cidade, em parceria com a Associação Empresarial de Viana do Castelo. Este ano, as iluminações estarão ligadas de segunda-feira a quinta-feira, das 18h00 às 22h00 e, às sextas-feiras e fins-de-semana, o horário será alargado, entre as 18h00 e a 00h00. > A Praça da República

Em Viana ainda se vendem os tradicionais presépios em barro

Nos últimos anos, nesta quadra, há uma banca que é montada junto ao Jardim Público, onde ainda é possível comprar pequenas peças coloridas em barro, meio toscas, para montar um presépio tradicional português. São muitas dezenas de peças com origem na região de Barcelos, que retratam o Menino Jesus, Nossa Senhora, São José, manjedoura, burro, vaca, reis magos sobre camelos, moleiro e o seu moinho, rebanhos, fanfarras, o castelo, o casario, a igreja, o padre, entre muitas outras personagens. Um costume que parece um pouco afastado das casas dos portugueses, mas que alguns ainda mantêm o encanto de o montar à moda antiga.

A magia do Natal está de regresso à Praça

Com a chegada da época mais especial do ano, está de volta à Praça da República de Viana do Castelo, a Praça Natal. De 02 de dezembro de 2022 a 08 de janeiro de 2023 a principal Praça da cidade vai estar decorada com motivos alusivos à época natalícia. Não vão faltar a Casa do Pai Natal, a Árvore de Natal, o Presépio e também um Carrossel que vai proporcionar aos mais pequenos momentos de diversão e alegria. Refira-se, que a Praça Natal faz parte do evento “Viana, Coração do Natal”, que apresenta mais de uma centena de propostas e iniciativas, para todos os gostos e idades, até à primeira semana de janeiro do novo ano. Praça Natal, Mercado de Natal, atividades infantis, concertos, animação de rua, exposições e passagem de ano são os pontos altos da programação.