Avançar para o conteúdo principal

Recuperar ou demolir a Praça de Touros de Viana


A Câmara de Viana do Castelo quer saber se a Praça de Touros pode ser recuperada ou se a adaptação a novas funções, ainda por definir, obrigará à demolição do edifício, disse hoje à Lusa o autarca local. 
"Nós queremos mudar o destino daquele espaço dando-lhe outras funções mas como o edifício é antigo queremos ter a certeza de que a estrutura física ainda está suficientemente robusta para aguentar essa intervenção. Nesse caso, será aproveitada. Se não existirem essas condições, teremos que demolir a estrutura existente para construir um novo edifício ", explicou José Maria Costa. 
A Praça de Touros foi construída em 1948 pela Empresa da Praça de Touros, formada por 32 sócios. Está encerrada desde 2009, altura em que Viana do Castelo se declarou como cidade antitouradas.
Composta por 4.900 lugares e 18 camarotes, teve uma intensa atividade inicial mas, nos últimos anos, ficou reduzida a apenas um espetáculo anual, por altura da Romaria da Senhora d`Agonia, o que aconteceu pela última vez em agosto de 2008. 
Questionado pela Lusa sobre o destino que o executivo municipal quer dar ao espaço, o autarca afirmou que "todos os cenários" ainda estão "em aberto". 
"Temos várias ideias mas ainda não está nada definido. Por isso é que queremos fazer este estudo, para podermos evoluir com outras análises e funções para aquele espaço", afirmou. 
A proposta de adjudicação, por ajuste direto, da prestação de serviços para a execução do "Estudo das condições estruturais do edifício da Praça de Touros" vai ser apreciada na quinta-feira, em reunião ordinária do executivo municipal. 
De acordo com José Maria Costa, a proposta prevê a adjudicação daquele estudo ao Instituto da Construção da Faculdade de Engenharia do Porto que, "num prazo de 60 dias entregará o respetivo relatório". 
Em novembro de 2008, o então presidente da Câmara, Defensor Moura, anunciou a intenção de comprar o imóvel a um grupo privado. 
A aquisição seria concretizada três meses mais tarde pelo valor simbólico de 5.127 euros e previa a instalação naquele espaço, a demolir parcialmente, de um centro de Ciência Viva. 
Contudo, esta ideia seria abandonada meses mais tarde, já com o também socialista José Maria Costa na liderança da autarquia e até hoje não foi dada qualquer utilização pública ao equipamento. 
Já em 2010, José Maria Costa admitiu a possibilidade de instalar naquele espaço o futuro Centro de Mar, mas, "após estudos aprofundados", a hipótese também não vingou e esse investimento está a ser realizado no antigo navio-hospital Gil-Eannes. 
Em 2012 chegou a ser anunciada reconversão da antiga praça de touros num espaço de restauração e atividades náuticas, através de um investimento privado, mas o negócio também não se concretizou.

Notícia da Agência Lusa (11.11.2014)

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Sabe o que vai acontecer de 4 a 14 de julho?

Os jardins Público e da Marina vão encher-se de atividades com o “MARGINAL - festa no jardim”. Esta 3ª edição inclui concertos, espetáculos de dança, teatro, showcookings, venda de produtos diversos e propostas gastronómicas, Praça Kids, o Viana Beer Fest – Festival de cerveja artesanal (4 a 7 de julho), entre muito mais, sempre de acesso livre.  E porque já estamos em contagem decrescente para a Festa no Jardim, vamos recordar o programa da Festa?

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Marginal - Festa no Jardim” arranca a 14 de julho com experiências para toda a família

De 14 a 24 de julho, vai realizar-se no Jardim Público e no Jardim da Marina um evento cheio de experiências diurnas e noturnas para toda a família. Concertos, dança, jogos, showcookings, ateliers, conversas… vão animar a marginal de Viana do Castelo durante 11 dias. Clique na imagem e conheça a programação completa.

O crochet está de volta às ruas de Vila Nova de Cerveira

A 6ª edição do “O Crochet sai à Rua… em Cerveira” volta a espalhar pelo centro histórico desta vila minhota a arte do crochet, recriando o património mais emblemático de cada freguesia, algumas tradições e ainda muitos outros apontamentos criativos em crochet. Para ver até ao final de setembro de 2023.