Avançar para o conteúdo principal

Praça de touros de Viana não vai ser demolida. Passa a pavilhão desportivo em 2016


Ginástica, esgrima, patinagem artística, hóquei em patins e basquetebol são algumas das modalidades que vão existir no pavilhão desportivo.
A reconversão da antiga praça de touros de Viana do Castelo em pavilhão desportivo vai começar em 2016 e não implicará a demolição do imóvel desactivado há seis anos, disse esta quarta-feira à agência Lusa o autarca local. "Espero ter o projecto pronto até final deste ano para execução em 2016. A praça de touros terá uma função desportiva e o nosso parceiro será a Escola Desportiva de Viana (EDV). Juntos vamos encontrar o modelo de financiamento mais ajustado para esta reabilitação", afirmou José Maria Costa. 
O autarca adiantou que a demolição do imóvel, desativado há seis anos desde que cidade se declarou anti-touradas, "nunca esteve em causa", afirmando que o relatório do estudo que a Câmara encomendou ao Instituto da Construção da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto "diz que é preciso ter alguns cuidados em algumas áreas". "Tirámos as dúvidas quanto às questões estruturais através do Instituto de Construção. Agora o trabalho é dos engenheiros e arquitectos que vão adequar essas condicionantes ao projecto de reabilitação, e fazer uma estrutura que sirva o desporto e os jovens do concelho", sustentou. 
José Maria Costa adiantou que o projecto "vai ser elaborado pela Câmara e o programa base será traçado em cooperação com a EDV", avançando que o objectivo é ter o projecto pronto até final deste ano para "aproveitar fundos do actual quadro comunitário de apoio". "Eu próprio já tive uma reunião com a EDV e vamos avançar com uma proposta de projecto de reabilitação, para função desportiva, para que a EDV possa utilizar o espaço como multifunções", sustentou, apontando a prática de várias modalidades, em simultâneo, como ginástica, esgrima, patinagem artística e hóquei em patins e basquetebol. 
A praça foi construída em 1948 e teve uma intensa actividade inicial mas, nos últimos anos, ficou reduzida a apenas um espectáculo anual, por altura da Romaria da Senhora d'Agonia, o que aconteceu pela última vez em Agosto de 2008. Está encerrada desde 2009, quando Viana do Castelo se declarou cidade anti-touradas. 
Chegaram a ser avançadas várias hipóteses para aquele imóvel, como um centro de Ciência Viva, um Centro de Mar - entretanto instalado a bordo do antigo navio hospital Gil Eannes - e um espaço de restauração e actividades náuticas. Até hoje não foi dada qualquer utilização pública ao equipamento. Agora, a "vontade clara" da autarquia de dar resposta à "falta de condições físicas com que se debate a Escola Desportiva de Viana (EDV)" está na origem da transformar o espaço num pavilhão desportivo. 
Anteriormente à Lusa, o presidente da EDV, Rui Jorge Silva, manifestou "satisfação", sublinhando que, "pela primeira vez em 39 anos de existência, o clube começa a ver alguma luz ao fundo do túnel", no que diz respeito a instalações próprias. 
Actualmente, acrescentou Rui Jorge Silva, o clube, com 1.300 atletas, "cresceu até ao limite", pelo que defendeu a necessidade do espaço da antiga arena da praça de touros, com uma área de 3.800 metros quadrados e cerca de 65 metros de diâmetro, "ser rentabilizada, permitindo a prática de várias modalidades em simultâneo". Para o exterior do edifício, situado no parque da cidade, é proposta a criação de estruturas que permitam a prática desportiva ao ar livre.
Texto: Agência Lusa 11.03.2015

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Pedro Abrunhosa enche Centro Cultural de Viana do Castelo

Milhares de pessoas juntaram-se, este sábado, dia 17 de fevereiro, em Viana do Castelo, para assistir ao concerto do cantor português Pedro Abrunhosa, que encheu o CCVC e trouxe mensagens de amor e paz, apelando ao fim dos conflitos no mundo.

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

Gigantones e cabeçudos vieram em 1893 para ficar na tradição

Remonta ao ano de 1893 a introdução dos gigantones e cabeçudos na Romaria da Senhora d'Agonia, em Viana do Castelo. Este costume foi importado da região espanhola da Galiza.  Como manda a tradição, vai acontecer todos os dias (20, 21, 22 e 23 de agosto) da Romaria da Agonia 2015, por volta das 12H00, na Praça da República, a habitual revista de “Gigantones e Cabeçudos”. Os Gigantones e cabeçudos, acompanhados de Grupos de Bombos e Zés P’reiras, transformam-se no número mais ruidoso das Festas de Viana, contagiando todos quantos a ele assistem.