Avançar para o conteúdo principal

Doca desativada há cerca de 20 anos vai ser reconvertida para construir iates


Um projeto privado para reparação, transformação e construção de iates, deverá avançar dentro de dias, com a concessão à empresa promotora de uma doca da cidade desativada há cerca de 20 anos. 
A Metalorep, que em 2013 construiu dois barcos rabelos em aço para a Douro Azul, aguarda apenas a formalização do contrato com o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM) para poder tomar posse do futuro espaço onde irá desenvolver a sua nova atividade. Trata-se de um investimento de perto de três milhões de euros, que deverá arrancar no final de 2017, após a reconversão da doca, localizada junto ao navio Gil Eannes, com um número inicial de duas dezenas de trabalhadores e capacidade para trabalhar com embarcações até 12 metros de largura e 107 de comprimento. 
“Este projeto surgiu em finais de 2012, quando tivemos uma consulta para transformação e ampliação para 72 metros de um iate com 66 metros. Colocou-se o problema do local onde poderíamos fazer isso e tive de recusar, porque não tinha condições”, contou o proprietário da Metalorep, Domingos Moreira, referindo que, a partir dessa altura, começou “a pensar seriamente” em investir nesse nicho de mercado. “Neste momento, em Portugal, não temos nenhum estaleiro a fazer este tipo de trabalho. É claro que, por agora, não temos nada em carteira, mas estamos esperançados que vamos conquistar mercado, principalmente na área da transformação de iates”, declarou o empresário, afirmando que, se iniciar a obra de reconversão da doca em junho, conforme prevê, “terá condições para começar a trabalhar no final de 2017”. Além daquele novo projeto, planeia ainda “agarrar outros mercados”, um deles, o da construção de embarcações de serviço para plataformas petrolíferas. “Angola, por exemplo, comprou agora três em França. São embarcações para transporte de trabalhadores para as plataformas. Não há ninguém que faça isso cá. 
Principalmente o mercado africano, estou convencido que dará trabalho”, disse Domingos Moreira. 
A Metalorep está sediada no Parque Empresarial de Viana do Castelo, na Praia Norte, e desenvolve a sua atividade desde 1995, na área da metalomecânica e na construção, reparação e transformação naval, em aço e alumínio. 
Jornal de Notícias 24/5/2016

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Maior Romaria de Portugal já tem programa

A maior romaria portuguesa apresenta esta quarta-feira o programa oficial de 2024, com nove dias de festa dedicada à Senhora d’Agonia. A edição deste ano da Romaria da Senhora d’Agonia realiza-se de 14 a 22 de agosto, tendo como novidades do programa, a realização do tradicional Desfile da Mordomia, que em 2023 juntou mais de 900 mulheres pelas ruas de Viana do Castelo, no dia 15 de agosto, feriado. Este é um dos quadros mais procurados, na participação e no público para assistir. Pode consultar o programa oficial AQUI .

Enorme “Coração de Viana” de Joana Vasconcelos exposto em Serralves

Uma das obras mais conhecidas e emblemáticas da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, o "Coração Independente Vermelho”, inspirado no coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, está entre as mais de trinta e cinco peças que integram a sua primeira exposição individual em Serralves. A exposição, intitulada “I’m Your Mirror” esteve anteriormente no Museu Guggenheim de Bilbau (Espanha), onde recebeu mais de 640 mil visitantes. Vai estar no Porto, em Serralves, até 24 de junho. A obra "Coração Independente Vermelho”, já esteve exposta no Centro Cultural de Viana do Castelo durante a Romaria d'Agonia de 2014. Joana Vasconcelos foi, nesse mesmo ano, presidente da Comissão de Honra das Festas, tendo participado no cortejo etnográfico e no desfile da Mordomia. Alguns dos trabalhos expostos no Museu e nos Jardins do Parque de Serralves: (Clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO, 2005 | Apresenta-se sob a forma

Sabe o que vai acontecer de 20 a 28 de abril?

É o “ LER EM VIANA – Festa do Livro e das Artes ”, iniciativa que integra a 44ª FEIRA DO LIVRO . Durante 9 dias, predominantemente no Centro Cultural de Viana do Castelo (algumas iniciativas vão decorrer no edifício dos Antigos Paços do Concelho e na Biblioteca Municipal) vai acontecer uma programação rica e diversificada, contemplando uma exposição sobre o 25 de abril de 1974, sessões de lançamento de livros, conferências, oficinas, encontro com escritores, cientistas e artistas, espetáculos, teatro, concertos e a 44ª Feira do Livro, com 32 expositores, que estará disponível todos os dias, das 14h30 às 23h30, com entrada gratuita. Para os concertos, a lotação máxima é de 300 lugares. Os bilhetes têm um custo de 5 euros. Toda a programação AQUI .