Avançar para o conteúdo principal

Onde está o público?

O PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM 2017 está a decorrer desde o dia 3 até 9 de abril, em Viana do Castelo. Dele fazem parte exposições, conferências, projecção de fotografias, filmes, documentários e um mercado do livro de fotografia. A entrada é livre.
Ontem 6 de abril, desloquei-me ao Teatro Municipal Sá de Miranda para assistir a uma sessão de “Slideshow Fotojornalismo Internacional” que decorreu das 15H00 até às 16H30, inserida no Estação Imagem. Excelente. No entanto, não posso deixar de referir o aspeto assistência. É uma pena, uma pena enorme, ver esta bonita sala de espetáculos com o escandaloso número de… 3 pessoas a assistir. Com tão pouco público, fará sentido investir num evento desta envergadura se os vianenses não correspondem?

Ainda está a tempo de assistir à programação que resta deste grande prémio internacional de fotojornalismo, cujo objetivo é promover a reportagem fotográfica. Veja AQUI o programa completo.

Teatro Municipal Sá de Miranda, Viana do Castelo

Comentários

  1. Realmente é triste ver uma sala de espetáculos como o Teatro Da de Miranda confinada a três pessoas.
    A arte em Viana do Castelo tem de procurar palco nos arredores, e ontem não foi excessao.
    A escola de dança Arte em Movimento poderia ter abraçado este projeto, sim a dança e a projeção de fotografias poderia ter sido um evento ímpar, mas mais uma vez foi inviabilizado.
    Onde estavam duzentos e cinquenta vianenses ontem ?
    Em Vila Praia de Âncora, pois foi está vila que permitiu que a Arte saísse à rua, em dois dias o cineteatro de VP Âncora enche a sua sala com quinhentos espectadores.
    É com profunda tristeza que respondo à sua questão, este espetáculo em Viana traduzia-se em sala cheia no TSM.
    Teria sido tão simples como permitir que dois eventos culturais dessem as mãos , se abraçassem.

    ResponderEliminar
  2. Provavelmente estavam a trabalhar

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

É o fim do Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Hoje, 01 JUL 2022, desaparece definitivamente do Centro Histórico da cidade de Viana do Castelo.

Ponte Eiffel, em Viana, faz 141 anos

Feita em ferro e desenhada no gabinete de Gustave Eiffel, a ponte que liga as duas margens do Lima, entre a cidade de Viana do Castelo e a vila de Darque, foi inaugurada a 30 de junho de 1878, tendo sido construída para substituir a antiga e precária ponte de madeira. A ponte Eiffel de Viana do Castelo foi a primeira ponte rodoferroviária (de dois tabuleiros sobrepostos) construída em Portugal, tem 645 metros de comprimento e dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário. (clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) A Ponte Eiffel de Viana do Castelo (1930/1940)

Viana do Castelo com e sem o Edifício Jardim (Prédio Coutinho)

Estas duas imagens não foram manipuladas, são mesmo reais. Já se percebe a mudança na paisagem. Saiu de cena o edifício de 13 andares.

O Desfile da Mordomia na Romaria d’Agonia

O Desfile da Mordomia é um dos momentos de maior destaque naquela que é considerada a Rainha das Romarias de Portugal. Depois de dois anos de ausência daquele número devido à pandemia, na Romaria d’Agonia 2022 é esperado um recorde de participações. Cerca de 800 mordomas (número máximo aceite pela organização) irão estar no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto. Em 2019 participaram no desfile 619 mordomas. O Desfile da Mordomia é considerado a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país. No deste ano, estima-se que o valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar (2,5 quilogramas, em média, cada uma), calculado com base no preço atual, atinja os 94 milhões de euros.