Avançar para o conteúdo principal

VIANA | O abandono do Castelo Velho

Sem porta de acesso, muita erva e sujidade no seu interior, pedras das muralhas em falta em vários pontos… aspeto de abandono total. Merecia outro cuidado por parte das entidades responsáveis.

Fortim da Areosa / Fortim da Vinha / Fortim do Rego de Fontes ou Castelo Velho (Séc. XVII/XVIII)
Este exemplar da arquitectura militar seiscentista, foi construído para suster possíveis ataques espanhóis durante as guerras da Restauração (1640-1668). Fazia parte de uma linha defensiva estrategicamente colocada nas margens do rio Minho e ao longo da Costa Atlântica, conseguida através da remodelação de antigas fortificações, casos dos Castelos de Valença, Vila Nova de Cerveira e Santiago da Barra (Viana do Castelo), ou da edificação de novos fortes, como os de Lobelhe (V. N. Cerveira), Ínsua (Caminha) e Paço (Carreço), entre outros.  Algumas destas fortalezas tiveram um papel importante, não só na guerra da Restauração, como também durante as invasões napoleónicas, tendo sido por vezes reactivada a sua função militar estratégica nas lutas liberais do século XIX.


(clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro)






Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Já pouco resta…

Viana do Castelo, 16 de maio de 2022. Já pouco resta do Edifício Jardim, mais conhecido por Prédio Coutinho.

Cortejo académico converte ruas de Viana em palco de festa

O Cortejo Académico do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), marcado pela amizade, alegria e cerveja - mui­ta cerveja - animou hoje várias ruas da cidade. Entre saltos e cantoria, milhares de alunos, a pé ou em carros alegóricos, tornaram o cortejo “molhado”, dando “banhos” de cerveja uns aos outros.

Cartaz da Romaria d’Agonia 2022 com 60 propostas a concurso

Sessenta trabalhos concorrem ao prémio de melhor cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia de Viana do Castelo de 2022. O vencedor, para além de ver o seu trabalho utilizado para a divulgação pública da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia 2022 a nível Nacional e Internacional, será contemplado com um prémio monetário no valor de 750,00€.  O resultado do concurso vai ser conhecido no dia 26 de maio. A Romaria d’Agonia deste ano vai realizar-se em Viana do Castelo de 17 a 21 de agosto. (Na imagem são mostrados os cinco últimos cartazes vencedores, 2017 a 2021)

Vegetação toma conta do Castelo de Santiago da Barra

Derivado ao interesse histórico e cultural, é urgente que se proceda de imediato à limpeza da vegetação, quer no interior quer na envolvente do Castelo de Santiago da Barra, por forma a dignificar a imagem do monumento e possibilitar o seu usufruto pelos cidadãos de Viana do Castelo e pelos turistas, nacionais e estrangeiros. A vegetação cresce sem qualquer controlo (em alguns sítios chega a alcançar mais de 1 metro de altura), impossibilitando muitas vezes a circulação pelo mesmo. Em julho de 2021, o presidente do Turismo do Porto e Norte disse, em declarações à LUSA, que a reabilitação, por mais de um milhão de euros, do Castelo Santiago da Barra, em Viana do Castelo, onde se encontra instalada a sede da entidade, vai ser candidatada a fundos europeus.  Enquanto esses fundos europeus não chegam para que seja feita essa intervenção mais profunda, era importante que, entretanto, o TPN mandasse efetuar mais vezes o corte da vegetação e limpeza, de modo a evitar o aspeto degradante que a