Avançar para o conteúdo principal

Estátua do Caramuru já mora na Praia Norte

A estátua do Caramuru foi retirada no passado mês de maio do local onde se encontrava há dez anos, na Praça do República, e acaba de ser colocada na Praia Norte junto ao restaurante Scala. As operações decorreram durante a tarde desta quinta-feira.
O conjunto escultórico composto por duas figuras, Caramuru e sua esposa Paraguaçu, fundido a bronze com cinco metros de altura, foi inaugurado na passagem do ano de 2008 para 2009. Desde o dia da sua inauguração que a polémica estátua é alvo das críticas da população, devido à dimensão e enquadramento arquitetónico no local mais nobre da cidade. Depois de tanta contestação, o Caramuru conhece novos horizontes.
A escultura destinada a homenagear o Caramuru, ou Diogo Alvares Correia, navegador natural de Viana do Castelo que naufragou no Brasil em 1508, foi encomendada pela Câmara de Viana ao mestre José Rodrigues.

QUEM FOI CARAMURU?   
“Caramuru, ou Diogo Alvares Correia, natural de Viana do Castelo, foi um destemido navegador que naufragou na Bahia de Todos os Santos, no Brasil, em 1508, e que está intimamente ligado à história daquele país. Quando, a seguir ao naufrágio, usou a sua arma de fogo e matou um pássaro, surpreendeu de tal modo os índios que estes lhe atribuíram poderes divinos. Casou depois com a filha do chefe da tribo Tupinambá, Paraguaçu, tendo depois tido grande influência quer na miscigenação que caracteriza a nação brasileira quer no acolhimento dos portugueses em terras de Vera Cruz”.

(clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro)









Comentários

  1. Qual foi o valor gasto na mudança ? Quanto custou a execução do novo , ( pouso ), onde foi colocada as ilustres figuras Caramuru e Paraguaçu.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Viana de Outros Tempos

Assim era a Praça da República nos anos 60 do século XX. Espólio de Severino Costa | Arquivo Municipal de Viana do Castelo

Projeto alemão de energia eólica offshore previsto para Viana “chumbado” pelo governo

A BayWa, gigante alemã das energias renováveis, tinha apresentado ao governo português um projeto de cerca de 2,5 mil milhões de euros de investimento, na instalação de um parque eólico flutuante com 30 turbinas, com uma capacidade instalada de até 600 megawatts (MW), ao largo de Viana do Castelo (na Zona Piloto onde já se encontram instaladas as três turbinas que constituem o parque eólico offshore WindFloat Atlantic). O Governo diz que o projeto só é viável noutra área marítima dedicada às renováveis, ainda por definir.

Bom dia, Viana do Castelo!

Começar bem a manhã, pela zona ribeirinha.

Seis pirogas encontradas no rio Lima em Viana do Castelo classificadas "tesouro nacional"

  O Governo aprovou hoje, em Conselho de Ministros, o decreto que classifica, como conjunto de interesse nacional diversos bens móveis arqueológicos náuticos e subaquáticos, sendo-lhes atribuída a designação de "tesouro nacional": as seis pirogas monóxilas provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada no rio Lima, em Viana do Castelo; os três astrolábios provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada em São Julião da Barra, e os dez canhões provenientes de recolha arqueológica subaquática, realizada na Ponta do Altar. As pirogas monóxilas são embarcações construídas a partir de um único tronco de árvore, neste caso de carvalho. Este conjunto apresenta um interesse arqueológico e patrimonial muito relevante enquanto testemunho notável da navegação em Portugal, e da travessia do Rio Lima em particular, desde a Idade do Ferro até à Baixa Idade Média. A dimensão do conjunto e de cada exemplar (uma delas com quase 7m de comprimento), o seu estado de conser

Praça da República - Viana do Castelo

Ao longo dos anos esta Praça já teve o nome de Campo do Forno, Praça da Rainha e actualmente Praça da República. Nas fotos em baixo verifica-se que pouco foi alterado nos prédios à sua volta, notando-se mudanças na Praça em si, no que diz respeito à existência em tempos, de uma placa central com árvores e bancos, ao redor da qual circulavam viaturas e agora é unicamente pedonal. Um pouco da História dos três monumentos emblemáticos da Praça da República. Chafariz da Praça da República (Séc. XVI)  Foi construído, ou pelo menos concluído em 1559, sendo obra do mestre canteiro João Lopes "o velho", o mesmo que alguns anos antes executara o chafariz de Caminha e, muito provavelmente, alguns dos chafarizes semelhantes que podemos encontrar em cidades galegas como Pontevedra. Foi durante vários séculos o ponto de abastecimento de água potável da população vianense e, pela sua monumentalidade e localização, uma das referências urbanas do burgo.  Antigos Paç