Avançar para o conteúdo principal

VIANA | Uma janela virada para o mar

Esta peça escultórica assinala o Alcantilado de Montedor, um dos 5 geossítios classificados como Monumentos Naturais Locais de Viana do Castelo (Alcantilado de Montedor, Pedras Ruivas, Ínsuas do Lima, Canto Marinho e Ribeira de Anha), que constituem o Geoparque Litoral de Viana do Castelo.
Há troços já construídos da Ecovia do Litoral Norte que passam por estes espaços, e permitem visitá-los a pé ou de bicicleta. Há muitos motivos de interesse para explorar.
O geossítio Alcantilado de Montedor corresponde a uma área aproximada de 55 ha, delimitado a norte pelo Forte do Paçô e a sul pela Praia da Cambôa do Marinheiro.

A inscrição gravada na escultura, diz o seguinte: 
O URZAL-TOJAL É UM HABITAT DE BELEZA ÚNICA E DE CONSERVAÇÃO PRIORITÁRIA DA REDE NATURA 2000. ESTÁ ENRAIZADO SOBRE O GRANITO DE MONTEDOR QUE, COM MAIS DE 300 MILHÕES DE ANOS FOI EXUMADO DAS PROFUNDEZAS PELO DESGASTE DAS ROCHAS QUE O COBRIAM E PELA INTENSA ATIVIDADE SISMÍCA, GRAVANDO DESDE HÁ CERCA DE 400 MIL ANOS AS SUBIDAS E DESCIDAS DO NÍVEL DO MAR. A LENTA EVOLUÇÃO CLIMÁTICA QUE ACOMPANHOU ESTAS MUDANÇAS, PATENTE NOS SEDIMENTOS AQUI PRESERVADOS, MOSTRA-NOS QUE HÁ CERCA DE 70 MIL ANOS ESTE LOCAL ERA UM EXTENSO CAMPO DUNAR, COM LAGOS, AFASTADO VÁRIOS QUILÓMETROS DA COSTA. JÁ RECENTEMENTE E DESDE A IDADE DO FERRO, 1200 A 550 ANOS ANTES DE CRISTO, MONTEDOR PRESERVA SALINAS, ARTE RUPESTRE E UM LEGADO ÚNICO, CONHECIDO DESDE A IDADE MÉDIA AS CAMBOAS, COMO A DO MORGADO.

Peça escultórica do Monumento Natural Local do Alcantilado de Montedor, junto à Praia da Cambôa do Marinheiro

Peça escultórica do Monumento Natural Local do Alcantilado de Montedor, junto à Praia da Cambôa do Marinheiro

Comentários

  1. Como habitante de Carreço apenas tenho a dizer que este linda freguesia fica mais bonita sem este monumento escultural
    Os nossos antepassados considerariam inestético , comparativamente a arte ruprestre que deixaram na região.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando o espaço é por si só caracterizado de elementos naturais de incomparável beleza, a tentativa de acrescentar um objecto imbecil com pretensões de significado qualquer, resulta em mais um monumento à pobreza de espírito... Esta porcaria deveria ser demolida rapidamente!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Escadório de Santa Luzia

A Basílica de Santa Luzia, situada no alto do monte com o mesmo nome, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade de Viana do Castelo. Para lá chegar tem três opções: a estrada, o funicular ou o escadório. Quem optar pelo funicular, fará um percurso de 650 metros, vencendo um desnível de 160 metros, numa viagem com duração de aproximadamente 7 minutos. Quem se sentir atraído a ir a pé pelo escadório, terá que subir 659 degraus. Subir esta escadaria não é assim tão difícil, basta ir com calma, parando quando o cansaço aparecer. Veja algumas fotografias do escadório de Santa Luzia.

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Em 2005 era assim...

O Campo d’Agonia / Campo do Castelo num passado não muito remoto. Fotos: Arquivo / Olhar Viana do Castelo

Casa Brasileira a mais antiga confeitaria de Viana do Castelo

A fachada sóbria da “Casa Brasileira”, a mais antiga confeitaria da cidade de Viana do Castelo, “guarda” no seu interior verdadeiras delícias da doçaria tradicional. Fundada por emigrantes no Brasil, que a abriram precisamente no dia 22 de Março de 1902, no edifício onde ainda existe hoje, em pleno centro histórico da cidade, este estabelecimento citadino foi durante muitos anos um ícone dos doces típicos de Viana do Castelo. Mas, como em tudo na vida, esta confeitaria também teve os seus pontos altos e baixos. Os actuais proprietários, Sr. Norberto Martins e D. Maria Graça Ferreira, ex-emigrantes em França, quando em 2004 assumiram a direcção do estabelecimento, encontraram-no com uma deterioração que fazia esquecer os tempos dourados. Aos poucos, foram renovando o espaço e introduzindo nova doçaria de inspiração francesa que, juntamente com a confecção tradicional fez com que o espaço voltasse a ter a fama e a clientela que entretanto tinha perdido. Entre as especialidades serv

Dia de sol em Viana

“A Brasileira”, a confeitaria mais antiga de Viana do Castelo, de portas abertas desde 1902. Rua Sacadura Cabral É sexta-feira!!! Bom fim de semana.