Avançar para o conteúdo principal

A falta de respeito dos automobilistas pelo espaço público

A colocação de pilaretes nos espaços que as fotografias documentam é intencional, infelizmente, não impedem o estacionamento ilegal quando somos confrontados com baixos níveis de civismo dos automobilistas.
Este cenário deplorável acontece todos os dias, há vários meses, junto ao antigo Pavilhão da Associação Industrial do Minho, no Campo d’Agonia, em Viana do Castelo. São automobilistas que os desprezam e vandalizam sem remorsos, o que a todos pertence.

Colocar um pilarete (seja de madeira, borracha, metal, cimento…) num espaço público tem como objetivo delimitar ou condicionar uma determinada área e de impedir o acesso e o estacionamento de veículos. Contudo, esta proteção serve de pouco perante a falta de respeito pelo mais elementar bom senso das pessoas e pela ineficácia das entidades competentes.

Mas não são só os espaços relvados que estão sujeitos a maus-tratos, também nesta zona (ver foto), os passeios sofrem da vergonhosa insensibilidade e impunidade de quem pouco se preocupa com o que é de todos.

Estes e outros automobilistas não deviam ter este comportamento, mas também ninguém os impede. Perto desta zona, a cerca de 100 metros (junto aos antigos Pilotos da Barra e ao edifício da Autoridade Marítima) há dezenas de lugares vagos, mas esta gente não dá meia dúzia de passos. Sempre praticavam algum exercício.




Comentários

  1. É mais desrespeito dos arquitetozinhos pela vida das pessoas.

    ResponderEliminar
  2. Penso que a melhor maneira não será a colocação de pilaretes nesses "pontos-chave"...
    No entanto, se forem começadas a ser cobradas multas de estacinamento nesses sítios, poderia facilitar... De qualquer das formas, passar multas não era o fim, pois a ideia seria criar estacionamento (gratuito e acessível 24/7) para parquear esses carros (p.ex. o parque da Agonia)... O bom exemplo disso (peca apenas por pequeno) é o parque dos Gil Eannes.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Corte de árvore no Jardim Público

Talvez por se encontrar com problemas, e no sentido de garantir maior segurança aos utentes do Jardim Público Marginal da cidade de Viana do Castelo, está a ser cortada uma árvore de grande porte. Neste que é o espaço verde mais antigo da cidade, datado de 1881, existem mais de 150 árvores, na sua maioria tílias.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

Escadório de Santa Luzia

A Basílica de Santa Luzia, situada no alto do monte com o mesmo nome, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade de Viana do Castelo. Para lá chegar tem três opções: a estrada, o funicular ou o escadório. Quem optar pelo funicular, fará um percurso de 650 metros, vencendo um desnível de 160 metros, numa viagem com duração de aproximadamente 7 minutos. Quem se sentir atraído a ir a pé pelo escadório, terá que subir 659 degraus. Subir esta escadaria não é assim tão difícil, basta ir com calma, parando quando o cansaço aparecer. Veja algumas fotografias do escadório de Santa Luzia.

Quem vai ao mar avia-se em terra

Tripulação do “Santa Luzia no Monte” no porto de pesca de Viana do Castelo, a preparar os covos para uma próxima saída para a faina.