A tradição pode esperar

Hoje, sábado de Aleluia, a tradição manda que se queime o Judas na Ribeira de Viana. Mas este ano a tradição não se vai cumprir.
Na sequência das medidas de recomendação definidas para fazer face à pandemia de Covid-19, este ato de cultura popular vianense foi adiado "para momento mais oportuno".

Esta manifestação de cultura popular, vem sendo recreada por iniciativa da União de Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela. O Judas, transportado por quatro jovens, percorre em cortejo várias artérias da cidade ao som de um grupo de bombos, até chegar ao Campo do Castelo. Recorrendo à encenação teatral, o Judas, o traidor, é suspenso numa árvore e após a leitura do testamento (um conjunto de conselhos e críticas), é enforcado e queimado, com centenas de pessoas a assistir. 

Estas imagens são da Queima do Judas na Ribeira vianense, no “longínquo” ano de 2012.






Comentários

Mensagens populares deste blogue

Politécnico estuda com Câmara destino de convento abandonado em Viana do Castelo

Em Viana há um tanque comunitário que ainda cumpre a sua função

Praça de Touros de Viana: Processo de demolição quase concluído

Geoparque Litoral de Viana do Castelo já tem aplicação móvel e sítio na internet