Avançar para o conteúdo principal

Depois de vários adiamentos, 5 de junho é a nova data para a abertura do PEUVC

 

O Parque Ecológico Urbano de Viana do Castelo abre no Dia Mundial do Ambiente, a 05 de junho, após 13 anos de sucessivos adiamentos, disse hoje o vereador do ambiente da autarquia. 
Ricardo Carvalhido, que respondia à interpelação da vereadora da CDU, Cláudia Marinho, no período antes da ordem do dia da reunião camarária, explicou que o parque esteve para abrir na mesma data de 2020, mas a "imprevisibilidade" da pandemia de covid-19 impediu esse objetivo. 
"Este ano, estamos a prever para essa altura a retomada de alguma normalidade após esta crise sanitária que se abateu sobre todos", referiu. 
O vereador do Ambiente adiantou que "estão a ser ultimadas as questões relacionadas com a segurança, da sinalética e do plano de atividades que vai ser disponibilizado ao público, nomeadamente, aos fins de semana", sendo que "durante a semana a oferta será proporcionada, essencialmente, por meios próprios da Câmara". 
Ricardo Carvalhido adiantou que o último ano foi "aproveitado para melhorar ainda mais as infraestruturas" do parque, apontando como exemplos "a reposição de quatro quilómetros de caminhos existentes no interior do parque e o sistema de escoamento de águas pluviais". 
"Já podíamos ter aberto o parque há muito, mas queremos que essa abertura seja pautada pela excelência. E é isso que irá acontecer. Vamos ficar todos muito orgulhosos com aquela infraestrutura", referiu. 
Com cerca de 20 hectares, o Parque Ecológico Urbano de Viana do Castelo (PEUVC) foi inaugurado em março de 2008 e, desde então, recebe apenas visitas guiadas para grupos, restrição contestada há anos, quer pelos partidos da oposição quer pela população local. 
A maioria socialista na autarquia tem justificado aquele modelo com a necessidade de consolidação e proteção do parque. 
Situado junto ao rio Lima, na zona da caldeira de marés das antigas Azenhas Dom Prior, aquele parque é uma das obras emblemáticas do Programa Polis, que investiu dois milhões de euros na recuperação daquela área. 
O regulamento daquele espaço foi aprovado em 2020. 
O PEUVC "é um espaço dedicado ao recreio e lazer, e a atividades de educação ambiental, e de investigação científica e conservação da natureza, integrado no Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA)". 
O regulamento refere que espaço funcionará "de terça-feira a domingo", o entre "21 de setembro e 20 de março e entre 21 de março a 20 de setembro". 
Naquele documento, a autarquia da capital de distrito define que o acesso ao PEUVC "poderá estar sujeito ao pagamento de uma tarifa cujo valor é fixado pela Câmara. 
Os utilizadores "poderão ser distinguidos por categorias, entre elas a de Público, Amigo do Parque ou de Empresa Amiga, destinada a todas as entidades coletivas que contribuam com um donativo ou que patrocinem atividades, eventos específicos ou ações de melhoria do PEUVC". 
É ainda criada a figura do "Benfeitor" do PEUVC, para distinguir "toda a pessoa singular que contribuir com um donativo". 
O PEUVC integra a Rede Portuguesa de Estações da Biodiversidade e é o primeiro Parque de Halófitas em Portugal. 
Recebeu o Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista, na categoria de Parques e Jardins, em 2009, cujo projeto é da autoria da arquiteta Ana Barroco. 
Em 2011, recebeu uma menção honrosa na categoria de Melhor Serviço de Extensão Cultural dos Prémios APOM 2011, atribuídos pela Associação Portuguesa de Museologia.
Notícia da Lusa de 04.03.2021.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.