Avançar para o conteúdo principal

Estratégia de ataque “pura e dura” tira prédio Coutinho da vista de Viana do Castelo



Vinte e dois anos depois do início do “romance” da demolição, o bloco principal do prédio Coutinho começou hoje a ser alvo de uma “estratégia de ataque, pura e dura”, para sair da vista de Viana do Castelo.

Os 42 metros de altura do "mamarracho" ou "aborto urbanístico", como o apelidou o antigo presidente da Câmara, Defensor Moura, que iniciou o projeto de requalificação do centro histórico da cidade, começaram pela manhã a ser destruídos das traseiras para a frente, virada para o rio Lima.

A demolição “pesada”, decidida aquando da aprovação do plano pormenor do Centro Histórico de Viana do Castelo, em 2000, ao abrigo do programa Polis, foi testada, na quinta-feira, a meio da tarde. Hoje começou a sério, para pôr fim ao “romance” do prédio Coutinho, como lhe chamou o ministro do Ambiente, Matos Fernandes.

A paragem de cerca de um mês permitiu afinar os mecanismos de segurança da obra, e deixar recuperar da covid-19 o manobrador especialista em operar o braço de 40 metros da máquina giratória.

“A estratégia de ataque está a decorrer a bom ritmo. Estamos a demolir de trás para a frente, entrando cada vez mais no edifício”, explicou hoje à agência Lusa, o administrador e um dos proprietários da Baltor, a empresa responsável pela desconstrução do edifício, Cláudio Costa.

Apesar do atraso no início da desconstrução dos 105 apartamentos existentes nos 13 andares das duas torres, nascente e poente, prevista para janeiro, Cláudio Costa acredita que “ainda é possível” cumprir o prazo previsto para a conclusão da empreitada, o próximo mês de março.

“Achamos que ainda é possível cumprir o prazo. É um desafio. No pior dos cenários, temos um atraso de um mês”, referiu.

O empresário admitiu que, nesta fase, a obra está “muito dependente” da máquina giratória que, no primeiro dia de demolição “pura e dura”, está a “ter um bom rendimento”.

“Hoje esperamos conseguir desfazer toda uma linha da fachada posterior para entrar mais no edifício”, afiançou.

Acelerar não é um verbo que o empresário goste de conjugar por ser inimigo da perfeição que quer ver assegurada ao limite, numa obra “muito exigente e desafiante”.

“A grande vantagem deste desafio é o reduzido número de pessoas afetas à esta fase. O edifício está a ser demolido sem ninguém no seu interior. Nesta altura estão envolvidos cerca de 10 trabalhadores, entre operários, direção de obra e fiscalização”, apontou, realçando que a segurança “é a primeira preocupação”, da empresa e da Vianapolis, quer dentro, como fora dos estaleiros.

“Não houve acidentes de trabalho a registar”, sublinhou o administrador que acrescentou que quando metade do edifício já estiver demolida, poderão começar a operar, a partir do solo, mais máquinas “noutras frentes” de trabalho, imprimindo “mais ritmo” à empreitada.

Construído no início da década de 70 do século passado, o complexo do prédio Coutinho, nome do empreiteiro que o construiu e com que foi batizado localmente, já foi diminuído do bloco de apartamentos, mais pequeno, situado nas traseiras.

Sobram os detritos que agora servem de plataforma para elevar o braço de 40 metros da máquina giratória ao topo do edifício Jardim.

Depois de mais de duas décadas de avanços e recuos motivados pela batalha judicial levada a cabo pelos moradores processos judiciais, por uma ação de despejo frustrada pela resistência dos últimos proprietários, a desconstrução entrou em velocidade cruzeiro e tem sido registada por muitos, em fotografias e vídeos, profusamente partilhadas nas redes sociais, onde o destino traçado para o Coutinho continua a não ser consensual. 

A partir de março o imponente edifício deixará de fazer sombra à cidade que decidiu retirá-lo do centro histórico e construir, no seu lugar, o novo mercado municipal.

A Baltor, empresa de Viana do Castelo, não esconde o interesse na nova obra, até para “reutilizar os inertes resultantes da trituração do Coutinho”. 

“Vamos concorrer [ao concurso público]. Para nós e um projeto estratégico. Queremos muito fazer o mercado. Queremos ter essa mais-valia ambiental e económica. É um projeto que nos interessa muito por somos uma empresa de Viana do Castelo, com sede a poucos metros do prédio Coutinho”, disse Cláudio Costa.


Artigo da LUSA 4 fev 2022

Comentários

Mais visualizadas nos últimos 30 dias

Trânsito condicionado junto à antiga Somartis, Viana do Castelo, a partir da próxima segunda-feira

Em virtude da construção de nova rotunda no cruzamento da Avenida 25 de Abril com a Rua de Monserrate (antiga Somartis), a partir da próxima segunda-feira, dia 9 de maio, vai ser necessário proceder a condicionamentos de trânsito. A circulação no local far-se-á de forma alternada. Fica o aviso… para que não seja apanhado(a) de surpresa.

Maio é mês de celebrar as flores em Viana do Castelo

O Viana Florida 2022 está aí. A Estátua de Viana já se apresenta embelezada com centenas de flores.  A Câmara Municipal realiza pelo oitavo ano, no mês de maio, o evento “Viana Florida”, que envolve diversas experiências enaltecendo as flores, os jardins e os espaços verdes.  Das diversas iniciativas que se vão realizar ao longo do mês, realce para o Jardim Florido do 50.º aniversário da APPACDM, dia 13, na Praça da República, confeção de um Tapete de Sal pelas gentes da ribeira, dia 13, no Jardim Público, encontro das Festas Floridas , dias 14 e 15, no Jardim Público, e Festival de Flores e Arranjos Florais de grandes dimensões, dias 14 e 15, na Praça da Liberdade e Rua da Picota. Haverá ainda exposição, feirão com petiscos tradicionais, atividades infantis com insufláveis, animação musical de rua com Bandas de música… sex 13 | Praça da República | 10h Jardim Florido do 50º aniversário da APPACDM sex 13 | Jardim Público | 19h Confeção de um tapete de sal pelas gentes da ribeira sáb

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

“O Mundo dos Dinossauros” em Viana do Castelo

De 23 de Julho a 28 de Agosto, o Pavilhão de Exposição da AIMinho, no Campo da Agonia, em Viana do Castelo, recebe “O Mundo dos Dinossauros”, uma exposição que permitirá observar bem de perto os grandes répteis (figuras à escala real) e os cenários em que viveram. Esta é uma exposição que surpreende pelo seu realismo, pois as figuras reagem com movimentos e sons à passagem dos visitantes, o que a torna mais interactiva. Estes seres imponentes, extintos há milhões de anos, continuam a ser grandes atracções não só em museus, mas também em exposições como esta. Descubra o universo dos Dinossauros fazendo uma visita ao “parque Jurássico” do Pavilhão da AIMinho, em Viana do Castelo. HORÁRIO : Aberto todos os dias 2ª A 6ª Feira: 14H00 às 22H00 Sábado, Domingo, Feriado, Festas: 11H00 às 23H00 PREÇOS: Adulto: 5,00€ por pessoa Crianças (3-12 anos): 3,50€ por pessoa Família (Pais e 3 filhos c/idade inferior a 12 anos): 15,00€ Grupo (Mínimo de 15 pessoas): 2,50€ por pessoa

Já é conhecida a programação completa do LER EM VIANA

LER EM VIANA é um evento cultural que vai decorrer de 23 de abril a 7 de maio, no Centro Cultural de Viana do Castelo. Contempla uma vasta programação, que inclui diversas iniciativas como a 42.ª FEIRA DO LIVRO, a 13.ª edição dos CONTORNOS DA PALAVRA, sessões de lançamento de livros, conferências, oficinas, encontro com escritores, espetáculos, teatro e concertos. A abertura da FEIRA DO LIVRO tem lugar no dia 23 de abril às 15h00, e vai decorrer até 7 de maio, com o seguinte horário: Sábados e Domingos das 15h00 às 23h00 e Segunda a Sexta-feira das 17h00 às 23h00. Consulte toda a Programação do LER EM VIANA, clicando AQUI .