Avançar para o conteúdo principal

“História Viandante” dá vida e cor a uma parede da Rua do Vilarinho

Esta é a mais recente “História Viandante” que dá vida e cor a uma parede da Rua do Vilarinho, no centro histórico da cidade de Viana do Castelo. Através desta ilustração é contada a história da taberna conhecida como "A Espanhola" e da sua proprietária D. Otília (ambas já desaparecidas).

"Histórias Viandantes" é um projeto criado pelos irmãos vianenses Rui Coelho e Luísa Coelho, que pretendem contar histórias de figuras, lugares e cultura de Viana do Castelo, através de ilustrações pintadas em paredes de 9 ruas do centro histórico da cidade.

De seguida transcrevo o artigo publicado sobre "A Espanhola", no DN de 10 Dezembro 2009:

“Taberna mais antiga fecha portas com morte da dona
Era conhecida como "A Espanhola" e acaba de falecer, aos 84 anos. A proprietária da mais antiga e típica taberna da cidade de Viana do Castelo, por onde passaram várias gerações, termina assim com uma tradição de mais de 60 anos. Copos e malgas de vinho vão agora ser, definitivamente, arrumados. Otília morreu precisamente na taberna que dirigiu desde os anos cinquenta, mas já recentemente, aos 84 anos, a doença obrigou-a a fechar portas.
Uma placa de chapa anunciando "bons vinhos e comida" e um ramo de loureiro pendurado na parede eram algumas das imagens de marca d' "A Espanhola", além de um "champarrião" único. Chouriço assado, pataniscas ou o bacalhau assado eram outras atracções que estavam constantemente a sair na velha tasca do centro histórico de Viana. Com mais de 150 anos, aquele estabelecimento, situado na Rua do Vilarinho, começou por se chamar Venda do Católico, mas mais tarde acabou por ficar conhecido como "A Espanhola".
Da vida académica aos convívios dos profissionais mais distintos da cidade, todos passaram pela tasca e nas suas paredes foram muitas as mensagens de carinho deixadas à proprietária. A "avó" D. Otília, como carinhosamente era por todos conhecida, vai hoje a enterrar, às 15.00, no Cemitério de Viana do Castelo.”





Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Olha que três!

Esta foto tem a particularidade de permitir contemplar um dos mais belos enquadramentos arquitetónicos da cidade. O Chafariz-Estátua de Viana, no seu enfiamento, num plano superior a Capela das Malheiras e no alto do monte de Santa Luzia, o Santuário do Sagrado Coração de Jesus (Templo de Santa Luzia).

Seis pirogas encontradas no rio Lima em Viana do Castelo classificadas "tesouro nacional"

  O Governo aprovou hoje, em Conselho de Ministros, o decreto que classifica, como conjunto de interesse nacional diversos bens móveis arqueológicos náuticos e subaquáticos, sendo-lhes atribuída a designação de "tesouro nacional": as seis pirogas monóxilas provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada no rio Lima, em Viana do Castelo; os três astrolábios provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada em São Julião da Barra, e os dez canhões provenientes de recolha arqueológica subaquática, realizada na Ponta do Altar. As pirogas monóxilas são embarcações construídas a partir de um único tronco de árvore, neste caso de carvalho. Este conjunto apresenta um interesse arqueológico e patrimonial muito relevante enquanto testemunho notável da navegação em Portugal, e da travessia do Rio Lima em particular, desde a Idade do Ferro até à Baixa Idade Média. A dimensão do conjunto e de cada exemplar (uma delas com quase 7m de comprimento), o seu estado de conser

LIRATOV: O Artista Urbano do Azulejo que ninguém sabe quem é

As dezenas de trabalhos que vai deixando nos mais inesperados locais da cidade de Viana do Castelo e noutras localidades, estão a tornar famoso este artista anónimo. Apesar de manter essa faceta de clandestinidade tem uma página na rede social Instagram ( AQUI ), onde vai partilhando fotografias das suas obras. As fotografias aqui apresentadas, são os últimos trabalhos descobertos recentemente por mim na cidade, executados por LIRATOV, o artista que (quase) ninguém sabe quem ele é.

Viana com programação especial para celebrar o Dia dos Namorados

Em Viana do Castelo, a Câmara Municipal e a Associação Empresarial de Viana do Castelo criaram uma programação especial para celebrar o Dia dos Namorados, que se celebra no dia 14 de fevereiro (terça-feira). Chama-se “Viana é Amor” e junta, entre os dias 11 e 14 de fevereiro, descontos nos hotéis, vouchers para experiências a dois e acesso a museus, passatempos de fotografia, concertos, momentos musicais, brindes e esculturas. Foto: Arquivo / Olhar Viana do Castelo