Avançar para o conteúdo principal

Mais floreiras e menos carros

A Rua dos Rubins, no Centro Histórico de Viana do Castelo, foi requalificada recentemente. Para combater o estacionamento abusivo neste arruamento do centro da cidade foram colocadas floreiras e construído um canteiro, com o objetivo de impedir os condutores a estacionarem naqueles locais.

Comentários


  1. Este tipo de obras não esta a melhorar em nada a cidade. Só traz transtornos aos poucos moradores que existem nessas ruas e ao comércio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão, no momento da obra traz transtornos (todas trazem).
      Mas depois traz vantagens, o peão circula melhor e de forma mais segura, sem andar aos tropeções no paralelo ou cubo que lá havia, (pergunte aos idosos), não precisa de se andar a desviar dos carros mal estacionados ou em cima dos passeios quando os há, deixa de servir de estacionamento a pessoas que nem lá moram, deixam o carro de manhã e vão buscá-lo no fim do trabalho (uma grande parte da ocupação é essa), de resto a rua continua a permitir circulação automóvel, para servir os moradores e o comércio, não há lugares específicos para cargas e descargas, operação que demora 5 a 10 minutos, ou menos (quem tiver muita muita pressa usa a Avenida). De resto, os lugares para cargas e descargas são muitas vezes usados para estacionamento dos donos do comércio e ficam lá "o dia todo", muitas vezes acontece isso, infelizmente. Quanto ao número de moradores, nestas ruas poucas casas há desocupadas, na verdade o que se nota após estas obras de reabilitação do espaço público é um aumento de procura e a renovação dos imóveis existentes, desde pinturas a obras mais profundas.
      Gosto dos canteiros e das árvores no meio da cidade sempre que possível.
      Pessoalmente, acho um desastre a quantidade de tampas metálicas à vista, não tira funcionalidade mas "estraga" bastante, é lamentável e uma vergonha não haver uma solução, parece que andam a dormir ou não fazem caso da voz popular, há muitas ruas com as tampas revestidas, bem mais bonitas, repitam a solução... não sei porque nos últimos anos não se encontra uma solução...
      Também não gosto do lixo e das marcas que deixa no chão...talvez fosse melhor voltar à solução de recolha porta a porta (haveria mais cuidado em "atar o saco" e à limpeza caso vertesse na própria porta, ou fazer uma gestão mais afinada das horas de depósito na via pública...ou até de dias em que era possível depositar e outros dias não (haveria menos desleixo), a culpa não é só das gaivotas.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Seis pirogas encontradas no rio Lima em Viana do Castelo classificadas "tesouro nacional"

  O Governo aprovou hoje, em Conselho de Ministros, o decreto que classifica, como conjunto de interesse nacional diversos bens móveis arqueológicos náuticos e subaquáticos, sendo-lhes atribuída a designação de "tesouro nacional": as seis pirogas monóxilas provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada no rio Lima, em Viana do Castelo; os três astrolábios provenientes de recolha arqueológica subaquática realizada em São Julião da Barra, e os dez canhões provenientes de recolha arqueológica subaquática, realizada na Ponta do Altar. As pirogas monóxilas são embarcações construídas a partir de um único tronco de árvore, neste caso de carvalho. Este conjunto apresenta um interesse arqueológico e patrimonial muito relevante enquanto testemunho notável da navegação em Portugal, e da travessia do Rio Lima em particular, desde a Idade do Ferro até à Baixa Idade Média. A dimensão do conjunto e de cada exemplar (uma delas com quase 7m de comprimento), o seu estado de conser

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Carnaval sem desfile tradicional mas com várias iniciativas para celebrar

Em Viana do Castelo, apesar da não realização do tradicional desfile e, para manter o espírito “folião”, o Carnaval vai festejar-se durante cinco dias (17 a 21 de fevereiro) marcados por DJ’s na Praça da República, concurso de máscaras, animação, motivos alegóricos na Praça da República, entre outras iniciativas. PROGRAMA 17 DE FEVEREIRO (sexta-feira) > 10h00 – 13h00 / 14h00 – 20h00 | Viagem de comboio turístico (para crianças) > 11h00 | Dança de Hip-Hop (Ana Coelho) > 10h00 – 13h00 | Dança e construção de fitas de dança criativa 18 DE FEVEREIRO (sábado) > 10h00 – 13h00 / 14h00 – 20h00 | Viagem de comboio turístico (para crianças) > 11h00 | Aula de Dancehall (Eduarda Silva) > 17H30 | 1º Edição da Corrida de Carnaval > 16h00 – 19h00 | Animação infantil (atelier de adereços de carnaval – espadas e varinhas de condão) > 22H00 | Concurso de Máscaras > 22H00 | DJ’s na Praça da República 19 DE FEVEREIRO (domingo) > 10h00 – 13h00 / 14h00 – 20h00 | Viagem de combo

Olha que três!

Esta foto tem a particularidade de permitir contemplar um dos mais belos enquadramentos arquitetónicos da cidade. O Chafariz-Estátua de Viana, no seu enfiamento, num plano superior a Capela das Malheiras e no alto do monte de Santa Luzia, o Santuário do Sagrado Coração de Jesus (Templo de Santa Luzia).

Viana de Outros Tempos

Assim era a Praça da República nos anos 60 do século XX. Espólio de Severino Costa | Arquivo Municipal de Viana do Castelo