Avançar para o conteúdo principal

Romaria d’Agonia arranca hoje com programa inédito de nove dias e procura sem precedentes


A edição da Romaria d’Agonia de 2023 arranca hoje em Viana do Castelo, estreando um modelo de nove dias de festa que recupera antigas tradições e que a associa aos tempos atuais, como a cidade europeia do Desporto, entre uma procura sem precedentes para participar nos desfiles e cortejos.

Já esta noite começa a funcionar a Praça da Música, em que a Orquestra Sopro de Cordas, Contraponto e Orquestra de Baile Maestro José Pedro atuam na Praça da Liberdade, recuperando uma antiga tradição associada à festa.

“Desafia o público a retomar e recriar o baile à moda antiga, com música e trajes das décadas de 20, 30 e 40 do século passado. Era algo com muito impacto na cidade e na sociedade vianense”, explica António Cruz, membro da VianaFestas, promotora das festas da cidade.

Num ano em que Viana do Castelo foi escolhida com Cidade Europeia do Desporto, recebendo dezenas de eventos nacionais, a Praça da República, um dos pontos centrais da festa, transforma-se na quarta-feira, 16 de agosto, na “Praça do Desporto na Romaria”, associando a prática de hóquei em patins, basquetebol, ténis de mesa, teqball e futebol de mesa, entre outras modalidades, com centenas de atletas.

Nesta edição será ainda recuperada a tradição do “fogo preso” na avenida marginal, pelas 24:00 de sexta-feira, 18 de agosto, logo após centenas de elementos de nove grupos do concelho subirem ao palco da Praça da Liberdade para o Festival de Folclore.

“Temos igualmente a tradicional Festa do Traje, no Centro Cultural, na quarta- feira à noite, com cerca de 200 participantes, dedicação às memórias do povo, com destaque para ‘O Traje e os Ofícios’. Além disso, paralelamente, e porque o traje é componente essencial da festa, está patente uma exposição fotográfica ao longo do jardim marginal, que explica cada uma destas peças ao pormenor”, recorda António Cruz.

O emblemático Desfile da Mordomia, destaque maior do dia de quinta-feira, 17 de agosto, saí às ruas da cidade às 16:00 com o maior número de sempre de mulheres vianenses devidamente trajadas e ouradas.

 “Serão 906 mordomas a desfilar, algo nunca visto, num ano de festa que tem a particularidade de distribuir o programa por mais dias. Isso permite ter um grande momento da festa em cada dia e não um programa tão apertado”, explica António Cruz, recordando a Romaria vai decorrer até 22 de agosto.

O típico cortejo histórico-etnográfico volta a sair à rua, como manda a tradição, às 16:00 de sábado, 19 de agosto, prolongando-se por várias horas desde a Alameda 5 de Outubro até à Alameda do Campo d’Agonia, que vai recordar o 100. º aniversário da abertura do primeiro museu em Viana do Castelo e da cerâmica no concelho.

 “Tivemos a maior procura de sempre de pessoas para participar no cortejo. Serão mais de 3000 figurantes que vão participar nos vários quadros que compõe o cortejo deste ano”, sublinha igualmente António Cruz, membro da VianaFestas.

Ainda no sábado, mas à noite, os moradores da Ribeira de Viana do Castelo vão para a rua preparar os tradicionais tapetes – este ano com 40 toneladas de sal - que no dia seguinte serão percorridos pelos andores no regresso da imagem da Senhora d’Agonia, padroeira dos pescadores, no regresso da procissão ao mar e ao rio, com dezenas de embarcações de pesca envolvidas.

A festa volta a fazer-se alvoradas festivas, revistas de gigantones e cabeçudos concertos musicais pela cidade, quase diários, com os principais eventos a poderem ser acompanhados em direto através dos órgãos locais e nas páginas da Romaria nas redes sociais.

A festa tem ainda a particularidade de contar pela primeira vez com uma aplicação informática, denominada “Romaria n'Algibeira”, que permitirá acompanhar a evolução da festa, com informação em tempo real sobre a cidade. “Estamos a falar de um modelo de festa de nove dias, nunca feito antes, mas ao mesmo tempo com um nível de interesse para participações sem paralelo. Por isso será muito útil o inquérito de satisfação da festa de 2023, tal como aconteceu em 2022, numa iniciativa do município”, destaca António Cruz.

O programa da festa deste ano, que só fecha na terça-feira, ainda inclui o “Arraial da Romaria”, durante a madrugada, junto ao forte de Santiago da Barra, o ‘peddy paper’ - “À descoberta na Romaria” pela cidade e concertos de Sons do Minho (17 de agosto), Augusto Canário e Amigos (18 de agosto) e de Paulo Baixinho, no encerramento.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Romaria d’Agonia já tem vencedora do concurso “Mordoma do Cartaz”

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo foi escolhida por um júri entre 20 finalistas. O concurso registou 53 candidaturas. Qualquer mulher com idade entre os 18 e os 35 anos pôde concorrer. A escolha da Mordoma do Cartaz da Romaria de Nossa Senhora d'Agonia 2024 teve lugar nesta sexta-feira, dia 17 de maio, no Teatro Municipal Sá de Miranda. Gabriela Sampaio com o traje de Carreço vermelho é a mordoma do Cartaz da Romaria de 2024. Agora que está escolhida a Mordoma do Cartaz, a VianaFestas e a Comissão de Festas da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vão convidar três designers/artistas, que apresentarão, cada um, uma proposta, na qual figura a jovem mordoma selecionada neste concurso, com a apresentação do cartaz oficial prevista para 21 de junho.  A Romaria d'Agonia 2024, realiza-se de 14 a 22 de agosto.

Arte urbana dá cor às caixas de distribuição de energia em Viana

Algumas ruas da cidade de Viana do Castelo estão diferentes. O cinzento caraterístico das caixas de distribuição de energia elétrica deu lugar a um conjunto de desenhos e pinturas que embelezam este equipamento que se encontra no espaço público. Nesta iniciativa, promovida pela AISCA - Associação de Intervenção Social, Cultural e Artística e E-REDES, foram intervencionadas pela mão de diversos artistas, cerca de 20 caixas de distribuição de energia elétrica. As fotografias seguintes ilustram e dão conta da enorme criatividade que os artistas materializaram nas caixas.

Arte ou vandalismo?

Este comboio tinha acabado de chegar à estação ferroviária de Viana do Castelo todo grafitado. É deprimente ver o estado de degradação em que se encontra, consequência do vandalismo que nada poupa. Os custos para remover estas pinturas dos comboios são enormes para a CP, ou seja, para todos nós contribuintes. Foto: maio de 2024