Avançar para o conteúdo principal

Intervenção de rua «Para a Senhora Passar» na Ribeira de Viana do Castelo

A zona da Ribeira de Viana do Castelo vai ser alvo de uma intervenção de rua, inserida no projecto «Celebração da Cultura Costeira».

"PARA A SENHORA PASSAR é uma expressão que ouvimos na boca de muitos dos moradores quando explicam porque razão se empenham na dura e criativa tarefa de decorar as ruas do bairro da Ribeira, onde passa a procissão da sua padroeira, a Nossa Senhora d’ Agonia. Por isso a escolhemos para designar a extensão experimental do CCC e a que se associou a Câmara Municipal de Viana do Castelo, para esta iniciativa, no bairro de Monserrate.
Neste caso, a intervenção de rua (que ficará disponível até Outubro de modo a que possa ser estudada/trabalhada, também, por professores e alunos) é fruto de uma acção de muito curta duração, alicerçada em entrevistas semi-abertas a alguns dos responsáveis actuais das ruas por onde passa a Procissão ao Mar (organizada, desde 1968, de forma autónoma da procissão Solene da Senhora da Agonia, padroeira dos pescadores) e a outras pessoas da comunidade ligadas à vida do mar. Este material foi complementado por registos visuais, notas de moradores e outras fontes documentais, nomeadamente o arquivo da Junta de Freguesia, números antigos de jornais locais e um conjunto de fotografias históricas de Manuel Fontes - que nos foi dado a conhecer, em primeira mão, por Gualberto Boa-Morte, que é autor de muitas das fotos cedidas pelos moradores. As imagens de Rui Carvalho, chamando a atenção para detalhes e pormenores ou proporcionando perspectivas distintas do bairro em festa, são complemento indispensável.
O fio condutor da intervenção de rua leva-nos do cais (antiga lota) e campo do castelo até à Igreja de S. Domingos, integra um audiovisual no interior de um armazém que espera novo uso e prolonga-se pelas cinco ruas que formam o itinerário terrestre da Procissão ao Mar. Esta é uma primeira iniciativa de um processo, cujo núcleo passa por uma equipa interdepartamental da CMVC e integra elementos da comunidade piscatória ou a ela ligada por laços de sangue.
O projecto visa reforçar localmente práticas de reflexão em torno da herança cultural das pessoas e comunidades que vivem à borda de água, envolvendo-as num processo de tomada de consciência da cultura que criaram e da importância da sua salvaguarda e transmissão, homenageando, ao mesmo tempo, os que se empenham nessas tarefas. O material recolhido será posteriormente tratado e integrará a base de dados, ficando disponível para uso público.
Cada rua tem um método e um temperamento, experiências acumuladas que ficam gravadas na retina e nos gestos, mas também acidentes, mudanças e transformações. Cada rua vive o ano entre procissões a seu modo… uns sempre com os tapetes em mente, outros deixando que a ideia já semeada possa germinar sem controlo. É deste processo que fala esta intervenção de rua que se faz em simultâneo com a recolha de material para novo modo de olhar a procissão ao mar. Obrigado a todos os que colaboraram nestes trabalhos."


Inserida nesta intervenção, vai ser inaugurada a exposição "PARA A SENHORA PASSAR" no antigo armazém do Forpescas, no Cais da Ribeira, pelas 18H00, do dia 19 de Agosto de 2010.
Paralelamente, foram espalhados por várias ruas da Ribeira de Viana, diversos painéis repletos de fotografias e relatos recolhidos por entre os moradores.

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

A pesca da lampreia no estuário do Lima

Pequenas embarcações, com uma tripulação que varia entre dois e três pescadores por barco, dão vida e movimento a este rio que desagua na cidade de Viana do Castelo. Este é um período muito esperado pelos pescadores locais, pois cada exemplar deste ciclóstomo tem elevado valor comercial. Por estes dias os preços têm estado muito altos, rondando os 100 euros por unidade. A pesca decorre até 10 de abril. Fotos: estuário do rio Lima, fevereiro de 2024.

Um complexo em ruínas chamado Luziamar

Recentemente foi colocada ao redor do que resta deste emblemático empreendimento, uma nova vedação e uma placa com o nome da empresa atual proprietária do espaço. Será que está para breve alguma intervenção no sentido de se recuperar este importante espaço degradado da cidade de Viana do Castelo? O complexo turístico do Luziamar abriu portas em 1974 e fechou em meados da década de 90 do século passado. Durante grande parte do tempo em que se manteve em atividade, foi umas das principais referências na noite da região Norte de Portugal e da Galiza, sobretudo devido à sua discoteca, marcando uma geração que ainda hoje o recorda com saudade. Nos últimos anos, a empresa proprietária do Luziamar já teve diferentes projetos no sentido de recuperar aquele espaço mas, até ao momento, ainda nenhum se concretizou. Em 2015, numa reunião da Câmara Municipal de Viana do Castelo, foi revelado que era vontade do atual proprietário: ..."recuperar a atual envolvência do Luziamar", acresce

A passear por Viana…

Pela zona ribeirinha da cidade. Fevereiro 2024

Enorme “Coração de Viana” de Joana Vasconcelos exposto em Serralves

Uma das obras mais conhecidas e emblemáticas da artista plástica portuguesa Joana Vasconcelos, o "Coração Independente Vermelho”, inspirado no coração de Viana, peça icónica da filigrana portuguesa, está entre as mais de trinta e cinco peças que integram a sua primeira exposição individual em Serralves. A exposição, intitulada “I’m Your Mirror” esteve anteriormente no Museu Guggenheim de Bilbau (Espanha), onde recebeu mais de 640 mil visitantes. Vai estar no Porto, em Serralves, até 24 de junho. A obra "Coração Independente Vermelho”, já esteve exposta no Centro Cultural de Viana do Castelo durante a Romaria d'Agonia de 2014. Joana Vasconcelos foi, nesse mesmo ano, presidente da Comissão de Honra das Festas, tendo participado no cortejo etnográfico e no desfile da Mordomia. Alguns dos trabalhos expostos no Museu e nos Jardins do Parque de Serralves: (Clique na imagem para ver em modo de ecrã inteiro) CORAÇÃO INDEPENDENTE VERMELHO, 2005 | Apresenta-se sob a forma