Avançar para o conteúdo principal

Desleixo e abandono de património no interior do Castelo de Santiago da Barra

O Castelo de Santiago da Barra, em Viana do Castelo, já foi por mim visitado dezenas de vezes, mas só na semana passada me apercebi da existência no seu interior do fontanário que as fotografias documentam.
Indignou-me ver o estado de degradação e abandono a que está votada aquela relíquia (segundo inscrição no seu interior pode ler-se a data de 1794?).
Um equipamento que pela importância que teve noutros tempos merecia ser melhor preservado, pois faz parte do nosso património colectivo. Era bom que houvesse por parte dos responsáveis das duas entidades que presentemente estão instaladas no interior do Castelo (Escola de Hotelaria e Turismo e Turismo do Porto e Norte de Portugal), a sensibilidade necessária para que tal património fosse mais valorizado.




Comentários

  1. Ora vejamos! Não é a Câmara Municipal quem tem gasto rios de dinheiro em coisas como Centros Naúticos para tudo e mais alguma coisa? Porque não recuperou o Castelo. O Instituto do Património agradece! Já agora...olhem para o Castelo Velho!

    ResponderEliminar
  2. Segundo li algures o Castelo de Santiago da Barra foi cedido em 1982 pela Direcçcão Geral do Património do Estado à então Região do Turismo do Alto Minho (RTAM)actualmente Turismo Porto e Norte de Portugal. Por conseguinte não vejo qual a razão de incubir à Câmara Municipal qualquer melhoramento naquele equipamento.

    ResponderEliminar
  3. Laurinda Afonso22 março, 2012 10:20

    Não se compreende como um monumento como o Castelo Santiago da Barra, que atrai todos os anos milhares de visitantes, mantem o seu interior e exterior tão descuidado. É desleixo e sujidade por todo o lado.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Viana do Castelo volta a dedicar Feira de Artesanato aos artesãos do concelho

Várias dezenas de artesãos de Viana do Castelo são esperados na Feira de Artesanato da Romaria da Senhora d’Agonia, que assinala 105 anos da sua primeira edição e que vai realizar-se no Jardim Público da cidade, de 06 a 21 de agosto de 2022. As inscrições arrancam hoje através do site oficial www.festasdagonia.com. De acordo com o regulamento da feira, disponível no site oficial em www.festasdagonia.com, esta volta a realizar-se no Jardim Público, promovida pela VianaFestas e pela Comissão de Festas da Romaria da Senhora d’Agonia. As inscrições dos artesãos, de caráter obrigatório, decorrem de 09 de junho até 03 de julho.    Em 2022, a feira vai decorrer de 06 a 16 de agosto das 16:00 às 23:00, passando de 17 a 21 de agosto a ter lugar das 10:00 às 24:00. A Feira-Exposição de Artesanato das Festas de Nossa Senhora d’Agonia remonta a 1917, quando se realizou a primeira exposição de lavores regionais, chegando aos dias de hoje como um evento âncora da cidade, com dezenas de artesãos. A s

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

O Desfile da Mordomia na Romaria d’Agonia

O Desfile da Mordomia é um dos momentos de maior destaque naquela que é considerada a Rainha das Romarias de Portugal. Depois de dois anos de ausência daquele número devido à pandemia, na Romaria d’Agonia 2022 é esperado um recorde de participações. Cerca de 800 mordomas (número máximo aceite pela organização) irão estar no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto. Em 2019 participaram no desfile 619 mordomas. O Desfile da Mordomia é considerado a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país. No deste ano, estima-se que o valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar (2,5 quilogramas, em média, cada uma), calculado com base no preço atual, atinja os 94 milhões de euros.

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

A estação vai ter um hotel

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disse hoje que a estação de comboios da cidade, construída no século XIX, vai ser transformada em hotel por um investidor local e que o projeto está em fase de licenciamento. Em declarações aos jornalistas, no final da reunião camarária de hoje, durante a qual foi questionado sobre o projeto, pela bancada do PSD e da CDU, Luís Nobre adiantou que “a Infraestruturas de Portugal (IP), proprietária do imóvel, entendeu dar uso a um espaço que está devoluto há mais de uma década”. O autarca socialista garantiu que as funções e serviços, atualmente, a funcionar na estação de caminhos-de-ferro “não vão desaparecer, mas serão transferidos para outro local”. “A bilheteira, o bar e outros serviços, vão manter-se. Não podia ser de outra forma. Ninguém ia fazer um investimento de 90 milhões de euros na modernização da Linha do Minho para depois prejudicar esse investimento”, sustentou. Segundo Luís Nobre, o empresário, que já tem uma unidade hoteleira na c