Avançar para o conteúdo principal

Auditório por concluir há 25 anos demolido para dar lugar a um novo por 2,5 ME


Um auditório no centro de Viana do Castelo, por concluir há mais de 25 anos, vai ser demolido para dar lugar a outro, a construir de raiz, por 2,5 milhões de euros. 
A informação foi avançada pelo presidente da câmara, numa altura em que o projeto de execução, em preparação pelo município, acaba de ser reformulado, reduzindo para quase metade o investimento idealizado em 2009, de 4,5 milhões de euros. 
"Estamos a concluir a reformulação do projeto para, mal abram as candidaturas a fundos comunitários, de apoio a escolas profissionais, podermos avançar", explicou José Maria Costa. 
A obra prevê a demolição da atual estrutura, construída para ser um auditório em meados da década de oitenta, mas que nunca chegou a ser concluído por questões políticas e financeiras. 
"Tínhamos definido uma intervenção que agora reduzimos, para um projeto de 2,5 milhões de euros, privilegiando o que serão as áreas funcionais mais necessárias e atendendo às necessidades de própria escola, que ocupa o restante edifício, e da conjuntura económica", acrescentou o autarca. 
Em causa está um projeto que começou a ser desenhado em 1979, para um local onde então existia um edifício do século XVIII, antigo orfanato, que foi demolido para dar lugar a um museu. A obra acabou por não avançar nos moldes previstos, face às críticas do Instituto Português do Património Arquitectónico à volumetria do edifício.
Em 1984 foi aprovado pelo município um novo projeto para o que já estava construído, que passaria a ser Centro de Arte e Cultura de Viana do Castelo. Contudo, e já com mais obra feita, também esta solução seria abandonada pela autarquia em 1990, que optou, antes, pela sua utilização como biblioteca. 
Três anos mais tarde e ainda com todo o edifício em tosco, também esta opção foi descartada, optando a Câmara por ceder o espaço à Escola Profissional de Música de Viana do Castelo e Fundação Átrio da Música, que só o concluíram, com exceção do auditório, em 2008. 
Esta última intervenção prevê o reclamado auditório, já que as duas instituições não têm qualquer espaço para ensaios de orquestra, audições ou pequenos concertos. 
"É uma necessidade vital para o nosso funcionamento porque os alunos têm que se deslocar constantemente para outros espaços. É necessário para o funcionamento das disciplinas, já que os alunos têm que se apresentar ao público", explicou Carla Barbosa, diretora da instituição. 
Entre a escola profissional e a academia, o auditório será utilizado por cerca de 500 estudantes, atualmente limitados a um espaço de ensaio próprio com capacidade para 70 pessoas. 
"Passaremos a poder ter mais de 100 alunos, uma orquestra, em palco, para uma capacidade de 300 pessoas no público. Penso que é a dimensão certa", acrescentou a responsável. 
Estas duas entidades, a par da autarquia, deverão assegurar a componente nacional do projeto a candidatar a fundos comunitários. 
A demolição da estrutura do auditório, apenas em betão, tijolo e com um fosso, é justificada pelas limitações que apresenta perante a legislação atual, nomeadamente ao nível da acessibilidade e pela "grande dimensão" do espaço, "sem que correspondesse às necessidades atuais da escola". 
Além do auditório, a conclusão da construção envolverá ainda uma área para novas salas de aula.
Entretanto, a câmara também acordou com equipa projetista da obra uma redução em 75 mil euros no valor do projeto, que custará agora mais de 274 mil euros, face à redução da área a intervir em comparação com a base inicial, de 2009.

Fonte: Lusa (11.06.2012)

Comentários

  1. É mais uma promessa que vai ficar pelo caminho.
    Quantas vezes já foi anunciada e não concretizada esta obra?

    ResponderEliminar
  2. Tou completamente de acordo. Como essa muitas mais.. a escola precisa do auditorio e de novas salas, para poderem fazer novos projectos a nivel escolar. Acho que deviam ........ Mas já foram feitas tantas promesas.. se penso bem, talvez à mais de 12 anos que foi prometido aquele auditorio.....

    ResponderEliminar
  3. Aquela é escola é um sumidoiro de dinheiros públicos. Nada mais do que isso. Primeiro gastam dinheiro numa obra caprichosa e depois atiram-na "ao lixo".
    Além do jovem que agora entrou num instituto politécnico inglês que outros nomes têm saído da "escola": ZERO!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

O Desfile da Mordomia na Romaria d’Agonia

O Desfile da Mordomia é um dos momentos de maior destaque naquela que é considerada a Rainha das Romarias de Portugal. Depois de dois anos de ausência daquele número devido à pandemia, na Romaria d’Agonia 2022 é esperado um recorde de participações. Cerca de 800 mordomas (número máximo aceite pela organização) irão estar no desfile que vai decorrer no dia 18 de agosto. Em 2019 participaram no desfile 619 mordomas. O Desfile da Mordomia é considerado a maior montra de trajes e ouro ao ar livre do país. No deste ano, estima-se que o valor total do ouro que as 800 mordomas vão usar (2,5 quilogramas, em média, cada uma), calculado com base no preço atual, atinja os 94 milhões de euros.

0 Bar da Estação

  O BAR DA ESTAÇÃO, um bar com marcas do passado, onde o balcão imponente e decorado com fotografias a recordar as antigas locomotivas a vapor, o elegante móvel encostado a uma parede onde são expostas bebidas e outros artigos, o revestimento do chão e mais fotografias nas paredes, são alguns elementos decorativos do espaço. Um ponto de encontro de pessoas tanto nas partidas, como nas chegadas à estação ferroviária de Viana do Castelo.   O bonito edifício da estação ferroviária de Viana do Castelo foi projetado pelo Eng.º Alfredo Soares. Começou a ser construído em 1878 e concluiu-se 5 anos mais tarde. Foi aberto ao público em 1882 e inaugurado a 25 de março de 1887. Veja imagens do exterior do belo edifício da estação ferroviária de Viana do Castelo, clicando AQUI .

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

Viana do Castelo volta a dedicar Feira de Artesanato aos artesãos do concelho

Várias dezenas de artesãos de Viana do Castelo são esperados na Feira de Artesanato da Romaria da Senhora d’Agonia, que assinala 105 anos da sua primeira edição e que vai realizar-se no Jardim Público da cidade, de 06 a 21 de agosto de 2022. As inscrições arrancam hoje através do site oficial www.festasdagonia.com. De acordo com o regulamento da feira, disponível no site oficial em www.festasdagonia.com, esta volta a realizar-se no Jardim Público, promovida pela VianaFestas e pela Comissão de Festas da Romaria da Senhora d’Agonia. As inscrições dos artesãos, de caráter obrigatório, decorrem de 09 de junho até 03 de julho.    Em 2022, a feira vai decorrer de 06 a 16 de agosto das 16:00 às 23:00, passando de 17 a 21 de agosto a ter lugar das 10:00 às 24:00. A Feira-Exposição de Artesanato das Festas de Nossa Senhora d’Agonia remonta a 1917, quando se realizou a primeira exposição de lavores regionais, chegando aos dias de hoje como um evento âncora da cidade, com dezenas de artesãos. A s

VIANA BATE FORTE | Um Festival gratuito com 16 concertos em 3 palcos

O Festival “Viana Bate Forte” realiza-se em dois dias (13 e 14 de setembro). É a quarta edição dum festival com entrada gratuita, que se apresenta em três palcos diferentes. Palco da República (na Praça da República), o Palco da Liberdade (na Praça da Liberdade) e o Palco da Erva (na Praça da Erva), são os palcos para a edição 2019. Há música para todos os gostos. As atuações começam às 20H30 e estendem-se até às 03H30. Consulte abaixo as atuações, os locais e os horários na íntegra.