Avançar para o conteúdo principal

Artistas de Rua - talentos espalhados pela cidade de Lisboa

Sempre que visito Lisboa nesta época do ano, fico maravilhado com os inúmeros artistas de rua que se apresentam principalmente na Rua Augusta, Baixa-Chiado ou Bairro Alto, dando um colorido muito especial à cidade.
É nestes locais que a maioria deles se concentra, pois são lugares onde circulam muitos dos turistas que visitam Lisboa.
São sobretudo músicos e estátuas vivas aqueles que fazem da rua o seu palco e arrancam um pouco da atenção aos turistas e lisboetas mais apressados.
A vida destes artistas de rua não é fácil, muitas vezes debaixo de um sol tremendo, mostram muito talento e criatividade transformando a cidade num enorme e variado celeiro cultural.






Um realce especial para o duo “Tribal Baroque”, que os vi atuar no Chiado, simplesmente genial.
Transcrevo em baixo um extrato de um recorte de jornal que os “Tribal Baroque” exibiam aquando das suas apresentações.



"A mistura do lado negro da voz grave de Thoth com a voz angelical de Lila’Angelique faz muitos transeuntes atrasarem o seu regresso a casa para assistir às performances dos Tribal Baroque. Este contraste entre os artistas é a sua imagem de marca: ele é um contratenor e tem uma postura agressiva, ela é um soprano de ar angelical. Ambos cantam e tocam violino, cada um do seu lado do átrio de entrada no parque de estacionamento do Largo do Carmo, onde todos os dias instalam o seu ‘palco’, ao final da tarde. Atraídas pelos sons, as pessoas bloqueiam a passagem e ficam hipnotizadas com a performance, que também envolve dança e precursão com os pés. 
... A história dos Tribal Baroque começou no Central Park, em Nova Iorque, há cinco anos, quando a jovem LiLa se cruzou com o experiente músico itinerante. «Fiquei muito impressionada com ele, com o seu jeito e com a sua música», revela a cantora. Lila estudava então ópera e teatro, mas abdicou dos estudos para se tornar aprendiz de Thoth. Antes de a jovem artista aparecer na sua vida, Thoth já tinha percorrido um longo percurso – o CD feito com Lila é o 11.º da sua conta pessoal. O seu mérito é há muito reconhecido: em 2002, o documentário curta-metragem Thoth, sobre a sua vida, valeu um Óscar a Sarah Kernochan e Lynn Appeller."

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.