Avançar para o conteúdo principal

Uma arena de touros vai ser transformada em pavilhão desportivo

A antiga praça de touros de Viana do Castelo vai ser transformada em pavilhão desportivo, seis anos depois de ter sido desativada quando a cidade se declarou antitouradas. 
Segundo o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, o socialista José Maria Costa, o objetivo da autarquia passa por transformar a antiga arena num espaço polivalente para a prática de várias modalidades, em simultâneo, como ginástica, esgrima, patinagem artística e hóquei em patins e basquetebol. 
A praça foi construída em 1948 e teve uma intensa atividade inicial mas, nos últimos anos, ficou reduzida a apenas um espetáculo anual, por altura da Romaria da Senhora d'Agonia, o que aconteceu pela última vez em agosto de 2008. Está encerrada desde 2009, quando Viana do Castelo se declarou cidade antitouradas. 
Chegaram a ser avançadas várias hipóteses para aquele imóvel, como um centro de Ciência Viva, um Centro de Mar - entretanto instalado a bordo do antigo navio hospital Gil Eannes - e um espaço de restauração e atividades náuticas. Até hoje não foi dada qualquer utilização pública ao equipamento.
Agora, a "vontade clara" da autarquia de dar resposta à "falta de condições físicas com que se debate a Escola Desportiva de Viana (EDV)" está na origem da transformar o espaço num pavilhão desportivo. 
"Conversámos com os dirigentes da EDV e estudámos várias alternativas. Pareceu-nos que a antiga praça de touros é um espaço interessante para estas funções", sustentou. Questionado pela Lusa, o autarca afirmou ser prematuro falar do montante do investimento, adiantando apenas que será um projeto a candidatar ao novo Quadro Comunitário de Apoio (QCA). 
Primeiro, sublinhou, "é preciso avaliar as condições estruturais" do imóvel situado junto ao rio Lima.
Em novembro, a Câmara encomendou ao Instituto da Construção da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto um estudo para determinar se o edifício, com 66 anos, está em condições de ser recuperado ou se terá de ser demolido para acolher as novas funções. "Se esse estudo disser que a estrutura aguenta uma remodelação avançaremos para os estudos prévios e para os projetos de execução. Se, pelo contrário, não garantir condições de estabilidade para uma refuncionalização, a solução passará pela demolição e pela construção de um novo equipamento naquele local", acrescentou. 
Contactado pela agência Lusa, o presidente da EDV, Rui Jorge Silva, manifestou "satisfação", sublinhando que, "pela primeira vez em 39 anos de existência, o clube começa a ver alguma luz ao fundo do túnel", no que diz respeito a instalações próprias. 
Atualmente, acrescentou Rui Jorge Silva, o clube, com 1300 atletas, "cresceu até ao limite", pelo que defendeu a necessidade do espaço da antiga arena da praça de touros, com uma área de 3800 metros quadrados e cerca de 65 metros de diâmetro, "ser rentabilizada, permitindo a prática de várias modalidades em simultâneo". 
Para o exterior do edifício, situado no parque da cidade, é proposta a criação de estruturas que permitam a prática desportiva ao ar livre.

Notícia do JN de 01.12.2014


MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Mordoma do cartaz da Romaria d’Agonia 2024 escolhida por concurso

Pela primeira vez na história da Romaria d’Agonia a mordoma do cartaz que leva a maior festa popular portuguesa a todo o mundo será selecionada por um júri entre 20 finalistas, todas elas escolhidas entre as concorrentes, abrindo assim espaço para mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos participarem. “Qualquer mulher que sinta a nossa Romaria pode concorrer e pode aspirar a ser a mordoma da festa. É uma inovação que introduzimos este ano, pensando em todas as jovens mulheres que alimentam este sonho”, explicou Manuel Vitorino, presidente da VianaFestas, a entidade organizadora das festas da cidade. O novo regulamento para escolha do cartaz da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia vai ser implementado este ano e substitui o modelo anterior, de concurso promovido, que estava em vigor desde 2011, e que implicava escolher o conjunto do autor, do cartaz e da mordoma. No formato para a definição do cartaz da Romaria a estrear este ano, o mesmo passa a contemplar três fases, com qualquer mul

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Campo de girassóis chama a atenção em Carreço (Viana)

Um extenso campo de girassóis pinta de amarelo a paisagem na Veiga de Carreço (Viana do Castelo), junto à estrada Nacional 13. Para quem passa por ali é difícil ficar indiferente à imensidão de flores que encanta qualquer um. A beleza é tanta que não falta quem pare por alguns minutos para observar os girassóis e aproveite a paisagem como cenário para tirar algumas fotografias.

“Mercado dos Descobrimentos”, de 07 a 10 de junho

A cidade de Viana do Castelo vai entrar na época dos Descobrimentos e mostrar as riquezas que os portugueses trouxeram do continente americano. Desde o chocolate, ao café, passando pelo milho, pimentos e batatas, até aos perus, os novos produtos e especiarias do outro lado do mundo vieram revolucionar a cozinha portuguesa.   A segunda edição do “Mercado dos Descobrimentos”, de  0 7 a 10 de junho, vai fazer uma ponte histórica e cultural entre os dois lados do Atlântico, com diversos apontamentos musicais, teatrais e de animação, com destaque para o artesanato e a gastronomia.   O Castelo Santiago da Barra e a zona envolvente terão oito diferentes espaços, com um programa de animação itinerante durante mais de 20 horas e a participação de  150  mercadores, artífices, artesãos e regatões, característicos da época dos Descobrimentos ao longo dos quatro dias.    “Voltamos a aliar a história, a animação, a cultura e a gastronomia num único evento que contará com mais de 60 momentos ao longo

Monumento a Viana do Castelo…

A dar as boas vindas a quem chega a Viana do Castelo pelo mar.