Últimos 12 moradores no prédio Coutinho terão de abandonar o edifício até 24 de junho


O presidente da Câmara de Viana do Castelo anunciou hoje que os últimos 12 moradores no prédio Coutinho terão de abandonar o edifício até 24 de junho, garantindo que as notificações começaram esta semana a ser enviadas.
José Maria Costa, que respondia a uma questão colocada pelos vereadores do PSD, Hermenegildo Costa e Paula Veiga, durante o período antes da ordem do dia da reunião camarária do executivo, explicou que, em abril, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB) "declarou improcedente" a providencia cautelar movida pelos moradores, em março de 2018.
"Com esta decisão, a VianaPolis retomou o processo de desconstrução do prédio Coutinho. Esta semana os últimos 12 moradores começaram a receber as notificações e terão de abandonar o prédio até dia 24 de junho", disse.
O despejo dos últimos moradores do prédio Coutinho estava suspenso desde março de 2018, na sequência da providência cautelar movida por aqueles habitantes.
O edifício de 13 andares, que já chegou a ser habitado por 300 pessoas, está situado em pleno centro histórico da cidade e tem demolição prevista desde 2000, ao abrigo do programa Polis, para ali ser construído o novo mercado municipal.
Hoje, José Maria Costa informou o executivo municipal que "o projeto do novo mercado está em apreciação na Direção Regional de Cultura do Norte e que estão a ser desenvolvidos os estudos de especialidade".
Desde 2005 que a expropriação do edifício estava suspensa pelo tribunal, devido às ações interpostas pelos moradores a exigir a nulidade do despacho que declarou a urgência daquela expropriação.
A empreitada de demolição do prédio Coutinho foi lançada a concurso público no dia 24 de agosto de 2017, por 1,7 milhões de euros, através de anúncio publicado em Diário da República. Em outubro, a VianaPolis anunciou que a proposta da empresa DST - Domingos da Silva Teixeira venceu o concurso por apresentar a proposta mais favorável, orçada em 1,2 milhões de euros.
"O projeto de desconstrução está à espera de visto do Tribunal de Contas", disse José Maria Costa no salão nobre da Junta de Freguesia de Alvarães onde decorre hoje a primeira reunião descentralizada do executivo municipal de Viana do Castelo, em 25 anos de governação socialista.

Notícia da Agência LUSA (2019.05.30)

Comentários

  1. Parece o SCP, "para o ano é que é".
    Daqui a outros 20 anos estou aqui a comentar outra vez.

    ResponderEliminar
  2. Estou para ver se vão ter coragem de arrastar pessoas doentes e idosos à força de sua casa !

    ResponderEliminar
  3. Uma pergunta singela às edilidades: até à data de hoje quanto está a custar a brincadeira?

    ResponderEliminar
  4. Cá os esperamos com toda a nossa força e energia !
    Seremos noticia , em toda imprensa nacional e estrangeira no país das maravilhas.
    Não é uma questão de dinheiro, é uma questão de principio. Não podemos pôr a estética acima das pessoas.

    ResponderEliminar
  5. Qualquer coisa como 30 milhões !

    ResponderEliminar
  6. Mais valia fazer desaparecer o prédio Coutinho sem o demolir!
    Como? Os arquitectos sabem, andaram a estudar para isso... Sei lá, espelhos, cores... Transformar o Coutinho num ícone da cidade. O prédio Coutinho tem qualidade construtiva demais para ser deitado ao lixo. Não o queria ali antes de construir, agora que está feito há 40 anos e dá para 300 pessoas viverem é melhor fazê-lo desaparecer sem o demolir.

    ResponderEliminar
  7. O idoso tem direitos a ...... " é o ditame da Constituição.
    As pessoas idosas são titulares de autênticos direitos , os chamados direitos de envelhecimento. Estes direitos correspondem a deveres , obrigações exigíveis ao Estado.
    O artigo 72 º da Constituição da Republica assegura ao idoso a base legal para que a sua roda de vida mereça um tratamento com a dignidade devida a um cidadão, enquanto ser humano , e quem dedicou e contribuiu com a maior parte da sua actividade para o progresso da sociedade em que vivemos .
    As pessoas estão acima da " Estética " merecem respeito .
    Deixem as pessoas em paz , não as martirizem .

    ResponderEliminar
  8. A cidade e o país , vai parar para ver o " espectáculo " no dia 24 de Junho de 2019.

    ResponderEliminar
  9. O dia 24 de Junho de 2019 ,vai ser um dia vergonhoso , um dia negro .
    Viana vai parar , o País vai ficar apreensível.
    Ver pessoas idosas e doentes a ser despejadas à força de suas casas onde viveram durante 40 anos .

    ResponderEliminar
  10. Para criar o caos e confusão a porteira do edifício , foi despedida. Os idosos doentes e moradores vão estar entregues a si mesmo .
    Lamento profundamente esta forma de lidar com as pessoas. Não foi isso que apreendi ao longo da vida ! A história os há-de julgar .

    ResponderEliminar
  11. Galiza está surpresa e indignada .28 junho, 2019 01:07

    Aguentem !
    Força não desistam o pior já passou .
    A TV Galiza já pensa vos visitar .

    ResponderEliminar
  12. Coragem, só falta esses pseudo especialistas em urbanismo virem demolir o Cristo Rei. Deixem o Souto Moura pôr aí a sua arte e o prédio fica um ExLibris de Viana.

    ResponderEliminar
  13. URGE DIZER NÃO À QUADRILHA DE POLÍTICOS CHEQUE-EM-BRANCO.
    .
    Leia-se, DEMOCRACIA SEMI-DIRECTA (o Direito ao veto de quem Paga):
    - isto é, votar em políticos não é (não pode ser) passar um cheque em branco... isto é, ou seja, os políticos e os lobbys pró-despesa poderão discutir à vontade a utilização de dinheiros públicos... só que depois... a 'coisa' terá que passar pelo crivo de quem paga (vulgo contribuinte).
    -» Explicando melhor, o contribuinte deve reivindicar que os políticos apresentem as suas mais variadas ideias de governação caso a caso, situação a situação, (e respectivas consequências)... de forma a que... o contribuinte/consumidor esteja dotado de um elevado poder negocial!!!
    -» Dito de outra maneira: são necessários mais e melhores canais de transparência!
    .
    Exemplo:
    - Todos os gastos do Estado [despesas públicas superiores, por exemplo a 1 milhão (nota: para que o contribuinte não seja atafulhado com casos-bagatela)], e que não sejam considerados de «Prioridade Absoluta» [nota: a definir...], devem estar disponíveis para ser vetados durante 96 horas pelos contribuintes na internet num "Portal dos Referendos"... aonde qualquer cidadão maior de idade poderá entrar e participar.
    -» Para vetar [ou reactivar] um gasto do Estado deverão ser necessários 100 mil votos [ou múltiplos: 200 mil, 300 mil, etc] de contribuintes.
    {ver blog « http://fimcidadaniainfantil.blogspot.pt/ »}
    .
    Uma nota: a Democracia Directa não tem interesse - serve é para atafulhar o contribuinte com casos-bagatela.
    .
    .
    35 milhões para demolir um edifício (pois, uma negociata para pessoal amigo da construção civil)... etc, etc, etc... e depois não há dinheiro para salvar milhares de vidas comprando modernas máquinas para usar em medicina.
    -» Urge dizer não à quadrilha de políticos cheque-em-branco.
    -» Existem pessoas para trabalhar na actividade política sem que os contribuintes lhes passe um cheque-em-branco!...


    ResponderEliminar
  14. Demolição decidida pelo Governo de António Guterres induzida pelo ministro do ambiente que era nem mais nem menos... Ora adivinhem quem era um mãos largas para gastar?

    Orçamento actual: €1.200.000,00 sabendo-se de antemão que custa €60.000.000,00...
    O que vai acontecer?

    Vai ficar ali um abcesso durante 50 anos que se vai prolongar a demolição termina em 2070!
    E depois construir o novo mercado?

    Mais 30 anos até 2100!
    Assim se governam os Viannenses...

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Viana Florida 2021

Flores embelezam espaço público

O antes e o depois

Dez anos após naufrágio…