Avançar para o conteúdo principal

Farol de Montedor, há 110 anos a guiar os navegantes


Faz hoje sexta-feira, 20 de março, 110 anos que começou a funcionar o Farol de Montedor, localizado no Lugar de Montedor, Carreço (8 km a norte de Viana do Castelo).
Com 28 metros de altura, tem um alcance de 22 milhas (40 km). É um dos 15 faróis visitáveis em Portugal continental que integram o programa lançado pela Marinha Portuguesa. Assim sendo, todas as quartas-feiras, das 14h00 às 17h00, no período de verão e das 13h30 às 16h30, no período de inverno, aproveite as visitas gratuitas para conhecer por dentro este magnífico farol. Não há dois faróis iguais, cada um tem características físicas e um código de luz próprio.

AVISO segundo informação no site da Autoridade Marítima Nacional - Direção de Faróis: 
Informa-se que os Faróis e o Núcleo Museológico da Direção de Faróis se encontram encerrados a visitas por tempo indeterminado, como medida preventiva para conter a propagação do coronavírus (Covid-19).


UM POUCO DE HISTÓRIA (Texto recolhido no interior do farol) 
O alvará da Junta Geral da Fazenda de 1 de Fevereiro de 1758, incluía-o entre os seis faróis que mandava edificar: Berlengas, Nª Sª da Guia, Fortaleza de S. Lourenço (Bugio), S. Julião da Barra, barra do Porto e costa de Viana.  
A verdade porém, é que nem o farol de Montedor nem os outros, viriam a ser concretizados ao abrigo deste alvará.  
A concretização definitiva do projectado farol só começa a adquirir contornos nítidos no seio de uma comissão designada por portaria de 1902.  Ultimado em 1908 e orçado em vinte e dois contos de reis o projeto da edificação, viria a concluir-se a obra em 1910, data em que o farol começou a funcionar. 
Foi-lhe instalado um aparelho lenticular de Fresnel de 3ª ordem, produzindo grupos de três relâmpagos brancos de 10 em 10 segundos. O aparelho iluminante era um candeeiro de nível constante de 4 torcidas, funcionando a petróleo. Em 1926 o grupo de 3 relâmpagos foi reduzido para 2.  
Ao longo do tempo foi sendo modernizado, principalmente ao nível da energia e da fonte luminosa, funcionando desde 1936 com a incandescência pelo vapor de petróleo, para em 1947 ser ligado à rede elétrica de distribuição pública.  
Posteriormente foram feitas várias transformações, permitindo a este farol possuir equipamento cada vez mais moderno. Em 1987 acabou por ser automatizado, reduzindo em parte a intervenção humana.  

LOCALIZAÇÃO | Lugar de Montedor - 8 km a norte de Viana do Castelo.  
FUNÇÃO | Costeiro  
ESTABELECIMENTO | 20 de março de 1910  
ALTURA | 28 m  
ALTITUDE | 103 m  
ALCANCE | 22 milhas (40 km)  
CARATERÍSTICAS | Dois flashes brancos com intervalos de 9,5 segundos

Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

LIRATOV: O Artista Urbano do Azulejo que ninguém sabe quem é

As dezenas de trabalhos que vai deixando nos mais inesperados locais da cidade de Viana do Castelo e noutras localidades, estão a tornar famoso este artista anónimo. Apesar de manter essa faceta de clandestinidade tem uma página na rede social Instagram ( AQUI ), onde vai partilhando fotografias das suas obras. As fotografias aqui apresentadas, são os últimos trabalhos descobertos recentemente por mim na cidade, executados por LIRATOV, o artista que (quase) ninguém sabe quem ele é.

Olha que três!

Esta foto tem a particularidade de permitir contemplar um dos mais belos enquadramentos arquitetónicos da cidade. O Chafariz-Estátua de Viana, no seu enfiamento, num plano superior a Capela das Malheiras e no alto do monte de Santa Luzia, o Santuário do Sagrado Coração de Jesus (Templo de Santa Luzia).

Bom dia, Viana do Castelo!

Embarcações de pesca e de turismo lado a lado, com o sempre presente navio-museu Gil Eannes, na antiga doca comercial de Viana do Castelo. 

Andando por aí...