Avançar para o conteúdo principal

Farol de Montedor, há 110 anos a guiar os navegantes


Faz hoje sexta-feira, 20 de março, 110 anos que começou a funcionar o Farol de Montedor, localizado no Lugar de Montedor, Carreço (8 km a norte de Viana do Castelo).
Com 28 metros de altura, tem um alcance de 22 milhas (40 km). É um dos 15 faróis visitáveis em Portugal continental que integram o programa lançado pela Marinha Portuguesa. Assim sendo, todas as quartas-feiras, das 14h00 às 17h00, no período de verão e das 13h30 às 16h30, no período de inverno, aproveite as visitas gratuitas para conhecer por dentro este magnífico farol. Não há dois faróis iguais, cada um tem características físicas e um código de luz próprio.

AVISO segundo informação no site da Autoridade Marítima Nacional - Direção de Faróis: 
Informa-se que os Faróis e o Núcleo Museológico da Direção de Faróis se encontram encerrados a visitas por tempo indeterminado, como medida preventiva para conter a propagação do coronavírus (Covid-19).


UM POUCO DE HISTÓRIA (Texto recolhido no interior do farol) 
O alvará da Junta Geral da Fazenda de 1 de Fevereiro de 1758, incluía-o entre os seis faróis que mandava edificar: Berlengas, Nª Sª da Guia, Fortaleza de S. Lourenço (Bugio), S. Julião da Barra, barra do Porto e costa de Viana.  
A verdade porém, é que nem o farol de Montedor nem os outros, viriam a ser concretizados ao abrigo deste alvará.  
A concretização definitiva do projectado farol só começa a adquirir contornos nítidos no seio de uma comissão designada por portaria de 1902.  Ultimado em 1908 e orçado em vinte e dois contos de reis o projeto da edificação, viria a concluir-se a obra em 1910, data em que o farol começou a funcionar. 
Foi-lhe instalado um aparelho lenticular de Fresnel de 3ª ordem, produzindo grupos de três relâmpagos brancos de 10 em 10 segundos. O aparelho iluminante era um candeeiro de nível constante de 4 torcidas, funcionando a petróleo. Em 1926 o grupo de 3 relâmpagos foi reduzido para 2.  
Ao longo do tempo foi sendo modernizado, principalmente ao nível da energia e da fonte luminosa, funcionando desde 1936 com a incandescência pelo vapor de petróleo, para em 1947 ser ligado à rede elétrica de distribuição pública.  
Posteriormente foram feitas várias transformações, permitindo a este farol possuir equipamento cada vez mais moderno. Em 1987 acabou por ser automatizado, reduzindo em parte a intervenção humana.  

LOCALIZAÇÃO | Lugar de Montedor - 8 km a norte de Viana do Castelo.  
FUNÇÃO | Costeiro  
ESTABELECIMENTO | 20 de março de 1910  
ALTURA | 28 m  
ALTITUDE | 103 m  
ALCANCE | 22 milhas (40 km)  
CARATERÍSTICAS | Dois flashes brancos com intervalos de 9,5 segundos

Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Escadório de Santa Luzia

A Basílica de Santa Luzia, situada no alto do monte com o mesmo nome, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade de Viana do Castelo. Para lá chegar tem três opções: a estrada, o funicular ou o escadório. Quem optar pelo funicular, fará um percurso de 650 metros, vencendo um desnível de 160 metros, numa viagem com duração de aproximadamente 7 minutos. Quem se sentir atraído a ir a pé pelo escadório, terá que subir 659 degraus. Subir esta escadaria não é assim tão difícil, basta ir com calma, parando quando o cansaço aparecer. Veja algumas fotografias do escadório de Santa Luzia.

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Em 2005 era assim...

O Campo d’Agonia / Campo do Castelo num passado não muito remoto. Fotos: Arquivo / Olhar Viana do Castelo

Casa Brasileira a mais antiga confeitaria de Viana do Castelo

A fachada sóbria da “Casa Brasileira”, a mais antiga confeitaria da cidade de Viana do Castelo, “guarda” no seu interior verdadeiras delícias da doçaria tradicional. Fundada por emigrantes no Brasil, que a abriram precisamente no dia 22 de Março de 1902, no edifício onde ainda existe hoje, em pleno centro histórico da cidade, este estabelecimento citadino foi durante muitos anos um ícone dos doces típicos de Viana do Castelo. Mas, como em tudo na vida, esta confeitaria também teve os seus pontos altos e baixos. Os actuais proprietários, Sr. Norberto Martins e D. Maria Graça Ferreira, ex-emigrantes em França, quando em 2004 assumiram a direcção do estabelecimento, encontraram-no com uma deterioração que fazia esquecer os tempos dourados. Aos poucos, foram renovando o espaço e introduzindo nova doçaria de inspiração francesa que, juntamente com a confecção tradicional fez com que o espaço voltasse a ter a fama e a clientela que entretanto tinha perdido. Entre as especialidades serv

Dia de sol em Viana

“A Brasileira”, a confeitaria mais antiga de Viana do Castelo, de portas abertas desde 1902. Rua Sacadura Cabral É sexta-feira!!! Bom fim de semana.