Avançar para o conteúdo principal

Geoparque Litoral de Viana do Castelo já tem aplicação móvel e sítio na internet



A Câmara Municipal de Viana do Castelo lançou hoje a APP e sítio da internet do programa Geoparque Viana do Castelo, uma iniciativa de Smart Tourism e Smart Education que conjuga a proteção e conservação do património, a educação, o turismo e a tecnologia.


O Geoparque Viana do Castelo passa, assim, a estar oficialmente pronto para acolher turistas, no culminar do projeto promovido pelo Município que dotou o território de condições inovadoras e tecnológicas para a conservação e fruição turística do património geológico diferenciado deste território. É também uma ferramenta dedicada a robustecer o trabalho de flexibilidade dos professores dos nossos agrupamentos escolares.


A APP Geoparque Viana do Castelo pode ser descarregada gratuitamente através da APPStore (durante esta semana é lançada a versão para dispositivos móveis Android), permitindo ao utilizador conhecer a localização dos vários elementos patrimoniais, nomeadamente os Monumentos Naturais, as Zonas Especiais de Conservação da Rede Natura2000, os Sítios da Memória, os Arqueossítios e a Viana Subaquática.


É também facilitada informação textual, fotografias panorâmicas e em 3D, vídeos informativos, e também um planeador para apoiar o utilizador quanto às atividades que pode desenvolver, onde comer e onde dormir.


A APP dispõe ainda de um módulo de Realidade Aumentada, que permite ao visitante observar a paisagem envolvente com a câmara do seu telefone e, durante essa utilização, ser informado do que está a observar. Por outro lado, o mecanismo de geofencing permite quantificar o tempo em que o utilizador passa junto de um determinado recurso que, complementado com a funcionalidade de avaliação da visita, permite recolher fortes ‘inputs’ para a medição do interesse turístico dos recursos que integram o Geoparque.


O Município passa, segundo o Vereador do Ambiente, Ricardo Carvalhido, a dispor de um novo produto turístico e educativo que soube compatibilizar as tendências de Smart Destination e Smart Education com as oportunidades trazidas pelas Tecnologias da Informação.


Este projeto conta já com 15 anos de desenvolvimento e com a colaboração de diversas instituições e personalidades. Destaca-se o papel das 27 Juntas e Uniões de Freguesia e dos 7 agrupamentos de escolas de Viana do Castelo, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo e de outras instituições de ensino superior (Universidade do Minho, CIIMAR-UP, Universidade de Coimbra, MARE), do Fórum Português de Geoparques da UNESCO, da Associação Empresarial de Viana do Castelo e dos técnicos municipais.


Esta aplicação pretende assumir-se como uma oferta turística diferenciadora, que provoque emoções positivas no público e que o fidelize. Pretende também contribuir para que os professores tenham as melhores condições para ensinar através de estratégias diferenciadoras e em flexibilidade curricular, assente no nosso património identitário, complementando todo o caminho que tem sido trilhado nos últimos 4 anos, com a criação de dois ícones nacionais - a Rede Escolar de Ciência e as Equipas de Diferenciação e Flexibilidade Curricular de Agrupamento.


Recorde-se que o Geoparque Litoral de Viana do Castelo estende-se por mais de 320 km2 e é reconhecido, desde setembro de 2017, pelo Fórum Português de Geoparques da UNESCO como membro aspirante à rede mundial. O programa já decorre desde 2005, com o desenvolvimento de um extenso trabalho de inventariação e classificação dos recursos patrimoniais, que decorreu por 7 anos, do trabalho de classificação legal dos 13 monumentos naturais (2012-2018) e da valorização e densificação das ferramentas dedicadas aos Agrupamentos Escolares – Rede Escolar de Ciência e as Equipas de Promotoras da Diferenciação e Flexibilidade Curricular.


Comentários

Mais visualizadas nos últimos 7 dias

Escadório de Santa Luzia

A Basílica de Santa Luzia, situada no alto do monte com o mesmo nome, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade de Viana do Castelo. Para lá chegar tem três opções: a estrada, o funicular ou o escadório. Quem optar pelo funicular, fará um percurso de 650 metros, vencendo um desnível de 160 metros, numa viagem com duração de aproximadamente 7 minutos. Quem se sentir atraído a ir a pé pelo escadório, terá que subir 659 degraus. Subir esta escadaria não é assim tão difícil, basta ir com calma, parando quando o cansaço aparecer. Veja algumas fotografias do escadório de Santa Luzia.

Em 2005 era assim...

O Campo d’Agonia / Campo do Castelo num passado não muito remoto. Fotos: Arquivo / Olhar Viana do Castelo

“Mictório” ao ar livre: o mau hábito de urinar na via pública

Esta estrutura situada no espaço relvado da Marina de Viana do Castelo, há muito tempo que é utilizada por algumas pessoas como “mictório” a céu aberto, tal é o mau cheiro que por vezes sente quem por lá passa. Este (mau) comportamento persiste, o que revela falta de civismo.

Casa Brasileira a mais antiga confeitaria de Viana do Castelo

A fachada sóbria da “Casa Brasileira”, a mais antiga confeitaria da cidade de Viana do Castelo, “guarda” no seu interior verdadeiras delícias da doçaria tradicional. Fundada por emigrantes no Brasil, que a abriram precisamente no dia 22 de Março de 1902, no edifício onde ainda existe hoje, em pleno centro histórico da cidade, este estabelecimento citadino foi durante muitos anos um ícone dos doces típicos de Viana do Castelo. Mas, como em tudo na vida, esta confeitaria também teve os seus pontos altos e baixos. Os actuais proprietários, Sr. Norberto Martins e D. Maria Graça Ferreira, ex-emigrantes em França, quando em 2004 assumiram a direcção do estabelecimento, encontraram-no com uma deterioração que fazia esquecer os tempos dourados. Aos poucos, foram renovando o espaço e introduzindo nova doçaria de inspiração francesa que, juntamente com a confecção tradicional fez com que o espaço voltasse a ter a fama e a clientela que entretanto tinha perdido. Entre as especialidades serv

VIANA | Convento de S. Francisco do Monte. Cinco séculos de história votados ao abandono

Desde muito novo que ouço falar do Convento de S. Francisco do Monte, mas nunca o tinha visitado. Na semana passada, na companhia de um amigo, pusemos pés ao caminho e fomos ao encontro do mítico convento. Isolado no meio da encosta do Monte de Santa Luzia, no Lugar de Abelheira, Viana do Castelo, para lá chegarmos foi necessário andar por caminhos pedregosos, com muito mato e de difícil acesso. Antes de chegarmos ao convento, mais ou menos a meio caminho, surge-nos um cruzeiro em granito, encimado por uma cruz. Percorridos mais alguns metros eis-nos em frente a um imponente Pórtico, no cimo do qual se encontram três imagens (S. Francisco, S. Pedro de Alcântara e Santo António). Apesar da entrada se encontrar vedada, olhando para o seu interior, a imagem que se nos depara é desoladora. Só se vê ruína, abandono e vandalismo. O que resta do convento são partes de algumas paredes que ainda se encontram de pé e pouco mais. Convento do século XIV está há vários anos à espera de ser