Avançar para o conteúdo principal

Câmara de Viana do Castelo aprova concurso para construção do novo mercado por 11,3ME


A Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje abrir o concurso público internacional para a construção do novo mercado municipal, no local onde existia o prédio Coutinho, por cerca de 11,5 milhões de euros, ainda sem financiamento comunitário garantido.

A decisão de abrir o concurso foi tomada em reunião camarária, com os votos favoráveis da maioria PS e da vereadora da CDU e os votos contra dos dois vereadores do PSD e da vereadora do CDS-PP, por considerarem que a obra só deveria avançar quando estivesse garantido o financiamento comunitário.

A vereadora da CDU, Cláudia Marinho, justificou o seu voto a favor com o facto de o presidente da câmara, Luís Nobre, ter garantido que o parque de estacionamento do mercado será de gestão municipal e que a autarquia estimulará a presença de produtores locais no novo espaço.

O vereador do PSD Eduardo Teixeira acusou o PS de não ter conseguido a “novidade” por que todos esperavam “depois de duas décadas de retórica e narrativa a dar como garantido o financiamento fundos comunitários”.

Na resposta às preocupações levantadas pela oposição, o presidente da Câmara, Luís Nobre, referiu que vai “avançar com o semáforo amarelo, mas com toda a prudência e segurança”, adiantando que o executivo municipal “terá a criatividade para apresentar a engenharia de financiamento do projeto com toda segurança e responsabilidade”.

“Gerirei cada euro dos vianenses como se fosse meu. É com essa responsabilidade que tenho tomado as decisões e tenho dado continuidade aos assuntos, independentemente das orientações partidárias (…) Posso assegurar que o mais fácil é construir o mercado. Complexo será dinamizá-lo e garantir que cumprirá a sua missão. Se isso não acontecer vai ser um falhanço”, frisou o autarca socialista.
Durante a apresentação da proposta de abertura do concurso público ao executivo municipal, Luís Nobre garantiu que “este é o momento chave da definição de possibilidades de utilização dos fundos do Portugal 2030”.

Segundo o autarca, “em setembro estarão reunidas as condições para estarem mais definidas as regras de execução dos eixos do Portugal 2023”.

“Quando formalmente estivermos em condições de adjudicar a obra, teremos todas as condições para garantir financiamento, pelo menos parte dele”, afirmou, frisando que o procedimento concursal hoje aprovado vai “durar meses” e que a obra “não arrancará este ano”.

O concurso público internacional contempla, além da construção do novo mercado, os arranjos exteriores, sendo que o prazo de execução das duas empreitadas é de 720 dias.
O projeto de execução do novo mercado, alvo de um “reajuste ao nível do sistema estrutural que, no projeto anterior, representava 30% dos custos”, aponta uma estimativa orçamental de 9.070.750,00 euros, mais IVA.

Já o projeto dos arranjos da envolvente ao novo edifício tem um valor de 1.649.385 euros, mais IVA.

Notícias da LUSA, 25 jul 2023

MAIS VISUALIZADAS NOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Trajes tradicionais do concelho de Viana

O Traje de Lavradeira, o Traje de Mordoma, o Traje de Noiva, o Traje de Meia Senhora, Traje de Dó, Traje de Domingar, Traje de Feirar, Traje de Trabalho… são principalmente usados nas diversas festas e romarias que se realizam ao longo do ano, por todo o concelho. É o momento escolhido para se trazer o passado ao presente, vestindo um destes trajes tradicionais.  É durante a realização da Romaria da Senhora d’Agonia que se concentra um maior número de trajes, nomeadamente no Desfile da Mordomia, Cortejo Etnográfico e na Festa do Traje, ocasião para se admirar a beleza e riqueza de todos os detalhes dos tradicionais e coloridos trajes das diferentes freguesias do concelho de Viana do Castelo.  Estes são alguns dos trajes que tive oportunidade de contemplar, durante o Cortejo Histórico-Etnográfico e Desfile de Mordomia das Festas de Viana do Castelo deste ano.

Andando pela cidade…

No segundo espaço verde mais antigo de Viana do Castelo, o Jardim D. Fernando, datado de 1888, está a ser alvo de intervenção uma das principais atrações deste jardim, a taça/cascata e gaiolão que alberga algumas aves.

A passear por Viana…

Pela zona ribeirinha da cidade. Fevereiro 2024

Espaço relvado da Marina ganhou mais árvores

A arborização urbana pode não ser tudo, mas é um elemento importante para a ação climática das cidades e para ajudar com o desconforto térmico nos dias mais quentes do ano.  A autarquia vianense, iniciou recentemente a plantação de cerca de 570 árvores em ambiente urbano, privilegiando espécies autóctones como os Carvalhos, Tílias, Choupos, entre outras de cariz mais ornamental.

Um complexo em ruínas chamado Luziamar

Recentemente foi colocada ao redor do que resta deste emblemático empreendimento, uma nova vedação e uma placa com o nome da empresa atual proprietária do espaço. Será que está para breve alguma intervenção no sentido de se recuperar este importante espaço degradado da cidade de Viana do Castelo? O complexo turístico do Luziamar abriu portas em 1974 e fechou em meados da década de 90 do século passado. Durante grande parte do tempo em que se manteve em atividade, foi umas das principais referências na noite da região Norte de Portugal e da Galiza, sobretudo devido à sua discoteca, marcando uma geração que ainda hoje o recorda com saudade. Nos últimos anos, a empresa proprietária do Luziamar já teve diferentes projetos no sentido de recuperar aquele espaço mas, até ao momento, ainda nenhum se concretizou. Em 2015, numa reunião da Câmara Municipal de Viana do Castelo, foi revelado que era vontade do atual proprietário: ..."recuperar a atual envolvência do Luziamar", acresce